PUBLICIDADE
Topo

Rio de Janeiro

Liesa adia desfiles no Rio por covid-19: 'Nossa prioridade é a segurança'

Liesa ainda deve estudar novos cenários para a realização dos desfiles no meio do ano - Júlio César Guimarães/UOL
Liesa ainda deve estudar novos cenários para a realização dos desfiles no meio do ano Imagem: Júlio César Guimarães/UOL

Do UOL, em São Paulo

24/09/2020 21h49

O presidente da Liesa (Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro), Jorge Castanheira, anunciou o adiamento dos desfiles das agremiações cariocas em função da pandemia da covid-19.

Após debater a pauta em uma plenária com os representantes das escolas, Castanheira afirmou que não há condições de garantir a realização do Carnaval em fevereiro de 2021 por conta das indefinições a respeito da vacina contra o coronavírus.

"Em função de toda essa insegurança, essa instabilidade em relação à área da ciência, de não saber se lá em fevereiro vamos ter ou não a vacina, chegamos à conclusão que esse processo tem que ser adiado", declarou o presidente da Liesa. "Nossa prioridade é essa questão da segurança".

"Não temos como fazer em fevereiro. As escolas já não vão ter tempo nem condições financeiras e de organização de viabilizar até fevereiro", explicou.

Na reunião realizada na sede da instituição no Centro da capital fluminense, as escolas não chegaram a definir uma nova data para a realização dos desfiles. "Discutimos hoje não o cancelamento, mas uma possibilidade de um adiamento, uma solução alternativo, algo que venha num momento com segurança contribuir para a cidade do Rio de Janeiro", afirmou Castanheira.

Por fim, ele relatou que segue em diálogo com as agremiações para estudar os formatos possíveis em consonância com as empresas parceiras e o poder público para definir os próximos passos.

"Vamos continuar lutando, buscando alternativas para encontrarmos um projeto nosso que permita que as escolas de samba possam fazer algum processo alternativo aos desfiles que acontecem em fevereiro para também não prejudicar o carnaval de 2022", disse.

Compositor do Salgueiro foi vítima da covid-19

Na última segunda-feira, Diego Tavares, que fazia parte da ala de compositores do Acadêmicos do Salgueiro, morreu vítima da covid-19. Ele não resistiu à doença e faleceu após ter ficado duas semanas internado em estado grave. Diego tinha 37 anos e deixou uma filha de 8 anos.

"Infelizmente não venceu a luta contra a covid-19, no entanto, foi um verdadeiro campeão em tantas batalhas de versos que serão eternizados em várias agremiações do Carnaval", afirmou a agremiação em nota de pesar divulgada em suas redes sociais.

A disputa de samba-enredo do Salgueiro para o carnaval de 2021 estava prevista para começar no último dia 12, mas a agremiação adiou o evento porque compositores das parcerias inscritas haviam testado positivo para o coronavírus.

"Em um momento delicado como este, a presidência e diretoria entenderam ser mais seguro e justo, postergar o início da disputa para que tenhamos os nossos poetas plenamente recuperados. Informaremos nova data para o concurso oportunamente", afirmou André Vaz, presidente da agremiação, em nota.

Desfiles em SP também foram adiados

O Carnaval de São Paulo de 2021 foi oficialmente adiado no dia 24 de julho. O anúncio foi feito pelo prefeito da capital paulista, Bruno Covas (PSDB), em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes. O evento deve acontecer a partir de maio do ano que vem.

Apesar de não ter uma nova data confirmada, Covas disse que o Carnaval em São Paulo dificilmente será realizado em junho de 2021, mesma data dos festivais de São João no Nordeste do Brasil.

"Estamos definindo ou final de maio ou começo de julho. Estamos definindo isso em conversa com outras cidades, para que possa haver um movimento conjunto. Adiamos os preparativos para fevereiro do ano que vem para ter uma segurança. É claro que esta data pode ser revista mais para a frente, como aconteceu com a Parada e a Marcha. Estamos tentando dar a maior previsibilidade possível às pessoas", afirmou Covas.

Rio de Janeiro