Topo

Palmeiras faz jogo "à la Felipão" e vê Deyverson dar resposta após vaias

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

21/10/2019 12h00

Resumo da notícia

  • Segundo Mano, marcação do Athletico obrigou Palmeiras a jogar com bolas longas
  • Técnico elogiou participação de Deyverson, que fez o gol alviverde na partida
  • Atacante, que havia sido vaiado na quarta-feira, deve seguir na equipe
  • Luiz Adriano, que vinha sendo titular absoluto, ainda se recupera de lesão na coxa

O técnico Mano Menezes tem tentado mudar o estilo do Palmeiras para um futebol jogado mais pelo chão, com posse de bola, construção de jogadas desde a defesa e troca rápida de passes. Mas a partida que a equipe fez no empate por 1 a 1 com o Athletico Paranaense ontem, na Arena da Baixada, pelo Campeonato Brasileiro, lembrou mais o modelo imposto pelo antecessor Luiz Felipe Scolari. Nesse cenário, Deyverson, que viveu seus melhores momentos no clube com Felipão, deu boa resposta após ter sido vaiado no meio de semana e quebrou um longo jejum de gols.

O Palmeiras teve dificuldades com a marcação adiantada do Athletico, como o próprio Mano analisou após a partida, e teve que recorrer a vários lançamentos longos direto para o pivô de Deyverson, sem fazer a bola passar pelo meio-campo. O centroavante conseguiu dar sequência às jogadas, brigou bastante na frente e ainda fez o gol alviverde, aproveitando cruzamento de Willian. Sua última bola na rede havia sido na vitória sobre o Avaí, em 13 de junho.

"Ele [Deyverson] teve a oportunidade, está merecendo, hoje fez um grande jogo. Principalmente nos momentos em que tivemos mais dificuldade de transição da defesa para o ataque. O Athletico marcou alto, então tivemos que fazer um jogo mais longo, nas costas da linha defensiva. Para disputar a primeira bola, o Deyverson foi fundamental. E foi premiado com o gol pelo esforço que teve", elogiou Mano.

Os números provam o bom jogo de Deyverson, que na última quarta-feira saiu muito vaiado e até xingado por parte da torcida na vitória por 1 a 0 sobre a Chapecoense, no Allianz Parque. Contra o Athletico, de acordo com as estatísticas do SofaScore, o atacante acertou 74% dos passes, deu quatro passes decisivos, ganhou oito de 12 duelos no chão, sete de 15 duelos aéreos e sofreu sete faltas, sendo o jogador mais caçado em campo.

"Eu passei uma fase não muito boa, a comemoração que fiz [sem celebrar o gol] não foi por torcedor criticar, foi por um momento meu, mesmo. Eu não estava bem comigo mesmo, não estava jogando, e quando entrava, não fazia um bom jogo. Eu sou homem para falar que joguei bem e para me criticar também. Torcedor criticar é normal, é amor e ódio ao mesmo tempo", disse Deyverson.

Segundo indicou Mano, o centroavante deve ser mantido no time para o jogo do próximo domingo (27), contra o Avaí. O técnico disse que um jogador da posição precisa de confiança para render, e que o camisa 16 tem merecido a vaga pelo esforço. Desta forma, Henrique Dourado, que havia surgido com uma possível alternativa para a equipe titular, deve seguir no banco por enquanto.

O outro concorrente, Borja, perdeu espaço com Mano após ter iniciado o trabalho do treinador como reserva imediato de Luiz Adriano. Este, por sua vez, ainda se recupera de lesão muscular na coxa e não tem prazo para voltar aos gramados.

O Palmeiras terá a semana livre até o jogo com o Avaí. O elenco terá folga amanhã e se reapresenta na quarta-feira para treinos em dois períodos. Com 54 pontos, a equipe está na segunda posição do Brasileirão, a dez pontos de distância do líder Flamengo, que tem 64. Faltam 11 rodadas para o fim da competição.