PUBLICIDADE
Topo

Rio de Janeiro

Rio: Associação de blocos diz que Carnaval de rua só acontecerá com vacina

O bloco Cordão do Bola Preta, no centro do Rio de Janeiro (RJ) - Fotoarena/Estadão Conteúdo
O bloco Cordão do Bola Preta, no centro do Rio de Janeiro (RJ) Imagem: Fotoarena/Estadão Conteúdo

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

25/09/2020 10h12

A Associação Independente dos Blocos de Carnaval de Rua da Zona Sul, Santa Teresa e Centro do Rio (Sebastiana) reafirmou na manhã de hoje que também vai adiar o Carnaval de rua de 2021 da capital fluminense. A Sebastiana é uma associação que reúne 11 dos mais tradicionais blocos do Rio de Janeiro como: Carmelitas, Simpatia é Quase Amor, Suvaco de Cristo, Escravos da Mauá, Gigantes da Lira, Imprensa que eu Gamo, entre outros.

A presidente da associação, Rita Fernandes, disse que a festa só acontecerá com a população vacinada. Ela também considerou acertada a decisão da Liesa (Liga Independente das Escolas de Samba) sobre adiar os desfiles no Sambódromo.

"Não há como ter Carnaval sem vacina e não basta só a vacina estar disponível, a população tem que estar vacinada e a gente acha pouco provável que isso aconteça até fevereiro. É uma questão de segurança, a gente ter que ser responsável, com a cidade".

A presidente da Sebastiana disse ainda que vai aguardar a evolução da doença para decidir se os cortejos serão adiados ou cancelados.

"Temos que aguardar a evolução da doença. Estabelecemos um deadline que até julho do ano que vem. Depois de julho não tem mais como fazer o Carnaval de rua, pois a cidade entra em um outro calendário de eventos. O importante é termos ciência que o momento é grave e que não podemos desrespeitar as indicações dos órgãos da cidade".

Liesa fala em adiar desfiles

A Sebastiana já havia comunicado sobre o cancelamento ou adiamento em julho e elogiou hoje a decisão da Liesa de não realizar os desfiles das escolas de samba em 2021.

O presidente da Liesa (Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro, Jorge Castanheira, anunciou o adiamento dos desfiles das agremiações cariocas em função da pandemia da covid-19. Após debater a pauta em uma plenária com os representantes das escolas, Castanheira afirmou que não há condições de garantir a realização do Carnaval em fevereiro de 2021 por causa das indefinições a respeito da vacina contra o coronavírus.

"Em função de toda essa insegurança, essa instabilidade em relação à área da ciência, de não saber se lá em fevereiro vamos ter ou não a vacina, chegamos à conclusão que esse processo tem que ser adiado".

"Não temos como fazer em fevereiro. As escolas já não vão ter tempo nem condições financeiras e de organização de viabilizar até fevereiro", explicou.

Casos de covid-19 no RJ

De acordo com dados divulgados ontem pelo governo estadual, o estado do Rio registrou 126 mortes e 3.100 novos casos do novo coronavírus nas últimas 24 horas. Ao todo, são 18.037 vítimas e 257.985 infectados pela covid-19 desde o início dos testes, em março. Os novos números mostram um aumento pelo 7º dia seguido na média móvel de mortes - o que mostra um novo crescimento no contágio da doença.

Rio de Janeiro