PUBLICIDADE
Topo

Papo Preto #40: Alimentação saudável e população negra

Mais Papo Preto
1 | 25

De Ecoa, em São Paulo

21/07/2021 06h00

Os termos "nutricídio" e "racismo alimentar" apareceram em discussões com muito mais frequência nesse momento de pandemia. A crise econômica decorrente da crise sanitária levou muito mais famílias a uma situação de insegurança alimentar, principalmente entre as populações negras e periféricas.

Neste episódio de Papo Preto, Yago Rodrigues e Nadine Nascimento, editora do Alma Preta Jornalismo, conversam com Etna da Silva, membro do GT Racismo e saúde da Abrasco (Associação Brasileira de Saúde Coletiva) e doutoranda em Saúde Pública pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais).

Etna diz que a pandemia apenas escancarou uma situação que vem se agravando muito nos últimos três anos com o desmonte de políticas públicas que garantiam a segurança alimentar do brasileiro. "Não é possível o distanciamento social sem medidas para proteger essa população" (a partir de 5:40 do arquivo acima).

A fome da população negra é ainda mais grave, conforme apontou a pesquisa feita pela Rede Brasileira de Pesquisadores de Soberania e Segurança Alimentar em 2020. Nos lares de famílias negras foi maior a incidência de situação de insegurança alimentar.

"Insegurança alimentar não é só estar com fome. A fome é o estágio mais grave", explica Etna. "Se há a preocupação de não saber se vou ter comida para todos os dias, se tenho que contar o dinheiro e não posso gastar com lazer e educação também estou em insegurança alimentar. Isso nos leva a pensar em quanto é grave essa situação" (a partir de 12:20 do arquivo acima).

A falta de oferta de alimentos saudáveis e de consciência sobre o que é uma alimentação ideal dificulta a percepção de que a essas pessoas está sendo negado o que é delas por direito. "É responsabilidade do Estado garantir alimentação a todos, a alimentação não é uma responsabilidade apenas do indivíduo", diz ela a partir de 26:21 do arquivo acima.

Papo Preto é um podcast produzido pelo Alma Preta, uma agência de jornalismo com temáticas sociais, em parceria com o UOL Plural, um projeto colaborativo entre o UOL, coletivos e veículos independentes. Novos episódios vão ao ar todas as quartas-feiras.

Podcasts são programas de áudio que podem ser ouvidos a qualquer hora e lugar — no computador, smartphone ou em outro aparelho com conexão à internet. Você pode ouvir Papo Preto no canal do UOL no YouTube e nas plataformas de podcast Spotify, Google Podcast, Deezer, Apple Podcast e CastBox.