PUBLICIDADE
Topo

União da Ilha e Estácio de Sá são rebaixadas para o Grupo de Acesso

Felipe Pinheiro

Do UOL, em São Paulo

26/02/2020 18h12

União da Ilha e Estácio de Sá foram as escolas rebaixadas para o Grupo de Acesso do Carnaval 2020 do Rio de Janeiro. Um dos sinais de que ambas as escolas não agradaram tanto os jurados é que cada uma delas recebeu apenas uma nota 10 durante a apuração das notas, no quesito Bateria. A União da Ilha ficou em último lugar, com apenas 264,2 pontos, enquanto a Estácio somou 264,7. A escola campeã do Grupo Especial foi a Viradouro, com 269,6 pontos.

A União da Ilha, que apresentou um desfile desastroso, começou mal na apuração, sendo penalizada em um décimo por ter estourado o tempo. A agremiação teve dificuldades e realizou o desfile em 71 minutos, sendo que o permitido são 70 minutos. A escola estava desde 2010 no Grupo Especial.

A Estácio, por sua vez, retornou neste ano ao Grupo Especial após ficar afastada por três anos. A escola venceu o Grupo Especial apenas uma vez, em 1992. No ano passado, a Estácio foi campeã da Série A, com o enredo "A fé que emerge das águas".

Desfile caótico da União da Ilha

Problemas técnicos, choro e correria marcaram o desfile da União da Ilha - Júlio César Guimarães/UOL
Problemas técnicos, choro e correria marcaram o desfile da União da Ilha
Imagem: Júlio César Guimarães/UOL
A União da Ilha do Governador --cujo samba-enredo deste ano é "Nas encruzilhadas da vida, entre becos, ruas e vielas a sorte está lançada: Salve-se quem puder!" e tem como rainha de bateria a musa fitness Gracyanne Barbosa, mulher do cantor Belo-- enfrentou problemas técnicos no desfile por causa de um carro alegórico com motor quebrado, que precisou ser empurrado e acabou abrindo um buraco na avenida, prejudicando a evolução da escola. O enredo abordou a dura realidade das favelas do Rio de Janeiro.

Mas não foram apenas os problemas técnicos que marcaram o desfile da União da Ilha. Logo no começo da apresentação, componentes brigaram na Praça da Apoteose. Um homem, aparentemente ligado à comissão de frente, foi agredido verbalmente por dois outros integrantes da escola. Dois carros ainda chegaram a colidir de leve e uma alegoria ficou danificada.

No passado a agremiação levou à Avenida sambas-enredo que se tornariam históricos, como "O Amanhã" (1978) e "É hoje!" (1982).

A volta ao Grupo Especial

Em sua volta ao Grupo Especial, a Estácio de Sá apresentou na avenida o enredo intitulado "Pedra". Da Pré-história ao garimpo, a agremiação abriu os desfiles contando a evolução do uso do material pela humanidade e criticou a destruição do meio ambiente para extrair minérios.

O ponto de partida do enredo da Estácio de Sá, idealizado pela carnavalesca veterana Rosa Magalhães, foi o famoso poema "No Meio do Caminho", escrito por Carlos Drummond de Andrade (1902-1987) e publicado no livro "Alguma Poesia" (1930): "No meio do caminho tinha uma pedra, tinha uma pedra no meio do caminho".

Confira a classificação

1º Viradouro 269,6
2º Grande Rio 269,6
3º Mocidade 269,4
4º Beija-Flor 269,4
5º Salgueiro 269
6º Mangueira 268,9
7º Portela 268,8
8º Vila Isabel 268,6
9º Unidos da Tijuca 267,6
10º São Clemente 267
11º Paraíso do Tuiuti 266,2
12º Estácio de Sá 264,7
13º União da Ilha 264,2

Rio de Janeiro