PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Retrospectiva: veja dez momentos marcantes do esporte em 2021

Parada cardíaca de Eriksen dentro de campo em jogo da Eurocopa foi um dos momentos mais tensos do ano no esporte - Martin Meissner - Pool/Getty Images
Parada cardíaca de Eriksen dentro de campo em jogo da Eurocopa foi um dos momentos mais tensos do ano no esporte Imagem: Martin Meissner - Pool/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

25/12/2021 04h00

O ano de 2021 foi marcado por muita emoção no esporte. Além das Olimpíadas, o mundo viu histórias incríveis - para o bem e para o mal - e se deparou com um calendário apertado por conta dos adiamentos causados pela covid-19 no ano passado.

Nesta retrospectiva, o UOL Esporte traz dez fatos que, com certeza, serão lembrados por muito tempo tanto no Brasil quanto no mundo.

Retorno do público aos estádios

Depois de um 2020 caótico em torno da pandemia de coronavírus, o ano seguinte trouxe a vacinação e, com isso, os torcedores aos estádios e arenas espalhadas mundo afora.

A Europa foi uma das responsáveis por dar o pontapé inicial, e a Eurocopa, disputada no meio do ano, teve estádios cheios e lotados. No Brasil, o retorno do público foi gradual e, de outubro para cá, a capacidade máxima liberada atingiu os 100%.

Torcedores do Atlético-MG cantam no Mineirão durante partida do Campeonato Brasileiro - Pedro Souza / Atlético - Pedro Souza / Atlético
Torcedores do Atlético-MG cantam no Mineirão durante partida do Campeonato Brasileiro
Imagem: Pedro Souza / Atlético

Título(s) do Palmeiras na Libertadores

A temporada de 2020 acabou em 2021 e, por isso, o Palmeiras pode se gabar da façanha de ter conquistado duas Libertadores no mesmo ano.

No fim de janeiro, Breno Lopes garantiu o bicampeonato da equipe em cima do Santos, em jogo disputado no Maracanã. Dez meses depois, foi a vez de Deyverson aproveitar um erro de Andreas Pereira e dar o título continental novamente para a equipe de Abel Ferreira.

Palmeiras ergue a taça da Copa Libertadores pela terceira vez após bater o Flamengo em Montevidéu - Juan Mabromata / AFP - Juan Mabromata / AFP
Palmeiras ergue a taça da Copa Libertadores pela terceira vez após bater o Flamengo em Montevidéu
Imagem: Juan Mabromata / AFP

Atletas contra a vacina

Alguns esportistas - no Brasil e fora dele - se mostraram contrários à vacina contra o coronavírus durante o ano.

Um dos casos mais simbólicos aconteceu na NBA. Kyrie Irving, astro da liga norte-americana de basquete, recusou a imunização e precisou ser afastado pelo Brookyln Nets. LeBron James também mostrou ressalvas, mas se vacinou já na parte final de 2021.

Kyrie Irving foi afastado do Brooklyn Nets por recusar a imunização contra a covid-19 - Steven Ryan/Getty Images - Steven Ryan/Getty Images
Kyrie Irving foi afastado do Brooklyn Nets por recusar a imunização contra a covid-19
Imagem: Steven Ryan/Getty Images

Racha no vôlei

Convocados constantemente à seleção brasileira de vôlei, Maurício Souza e Douglas Souza protagonizaram, provavelmente, a maior polêmica do ano no país envolvendo o esporte.

O central não gostou do fato de o atual Superman ser anunciado como bissexual pela DC Comics e publicou comentários considerados homofóbicos por uma série de atletas, empresas e celebridades.

Douglas foi um dos mais assertivos na crítica ao colega de profissão e, depois de trocar farpas com Maurício, acabou satisfeito com a demissão do jogador do Minas Tênis Clube. O caso repercutiu até internacionalmente.

Maurício Souza não aceitou o fato de o atual Superman ser bissexual - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Maurício Souza não aceitou o fato de o atual Superman ser bissexual
Imagem: Reprodução/Instagram

Eurocopa agitada

Adiada para 2021 por conta da pandemia, a Eurocopa começou com um susto: Eriksen, da Dinamarca, sofreu uma parada cardíaca na estreia de seu país no torneio.

Depois da angústia e da posterior recuperação do atleta, a competição ficou marcada pela emoção e por grandes jogos. Na final, a Itália superou a Inglaterra nos pênaltis e saiu com o troféu.

Jogadores da Dinamarca pedem socorro médico para o colega Christian Eriksen  - Jonathan Nackstrand/Reuters - Jonathan Nackstrand/Reuters
Jogadores da Dinamarca pedem socorro médico para o colega Christian Eriksen
Imagem: Jonathan Nackstrand/Reuters

Messi e Cristiano Ronaldo trocam de time

Um ano depois do famoso pedido para deixar o Barcelona - e ser convencido a ficar pouco depois -, Lionel Messi deixou de vez o time catalão em agosto. O destino? O PSG, de Neymar e Mbappé. Fim de uma era histórica no futebol mundial.

Dias depois, outro astro que mudou de camisa foi Cristiano Ronaldo. Ele optou por deixar a Juventus e estava perto do Manchester City, até que o Manchester United trabalhou nos bastidores e repatriou o português.

Enquanto Messi saiu da Espanha rumo à França, CR7 deixou a Itália para retornar à Inglaterra - Getty Images - Getty Images
Enquanto Messi saiu da Espanha rumo à França, CR7 deixou a Itália para retornar à Inglaterra
Imagem: Getty Images

Só deu Brasil!

Além do título do Palmeiras sobre o Flamengo na final da Libertadores, a Copa Sul-Americana também teve dois finalistas brasileiros: Athletico-PR e Bragantino.

Em jogo disputado no Uruguai, melhor para os paranaenses, que alcançaram o troféu após Nikão marcar o único gol do confronto.

Thiago Heleno levanta o troféu de campeão da Copa Sul-Americana pelo Athletico-PR - FocoUy/AGIF - FocoUy/AGIF
Thiago Heleno levanta o troféu de campeão da Copa Sul-Americana pelo Athletico-PR
Imagem: FocoUy/AGIF

E o Galo? O Galo ganhou...

Soberano, o Atlético-MG conquistou a tríplice coroa (ou triplete alvinegro) com estilo: Campeonato Mineiro, Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil.

Poucos times foram capazes de parar a equipe de Hulk e companhia na temporada - o atacante, aliás, é um dos símbolos das conquistas e já virou ídolo.

Hulk comemora gol do Atlético-MG na final da Copa do Brasil - Flickr/Atlético-MG - Flickr/Atlético-MG
Hulk comemora gol do Atlético-MG na final da Copa do Brasil
Imagem: Flickr/Atlético-MG

Copa América na Argentina? EUA? Não, no Brasil...

A realização da Copa América de 2021, que inicialmente tinha a Argentina e a Colômbia como sedes, mudou de local repentinamente.

A alteração (às pressas) se deu pelo fato de os dois países observarem uma alta nos casos de covid-19 - a situação da Colômbia era ainda pior diante de protestos sociais.

Em meio às dúvidas, especulou-se que o torneio pararia nos EUA, que naquela época tinha níveis sanitários melhores do que todo o resto da América.

Por interferência do governo Jair Bolsonaro (PL), no entanto, a Conmebol optou por trazer a Copa América para o Brasil, fato que gerou revolta por parte de médicos e governadores.

O desfecho disso tudo, aliás, não foi nada feliz para a seleção brasileira, que perdeu a final para a Argentina em pleno Maracanã.

Messi é jogado ao alto pelos colegas de Argentina ao conquistar seu 1° título pela seleção - Thiago Ribeiro/Thiago Ribeiro/AGIF - Thiago Ribeiro/Thiago Ribeiro/AGIF
Messi é jogado ao alto pelos colegas de Argentina ao conquistar seu 1° título pela seleção
Imagem: Thiago Ribeiro/Thiago Ribeiro/AGIF

Fórmula 1 alucinante

Os fãs da Fórmula 1, que no Brasil deixou se ser exibida na Globo rumo à Band, não podem reclamar da falta de emoção durante toda a temporada.

Max Verstappen (Red Bull) e Lewis Hamilton (Mercedes) brigaram ponto a ponto pelo título até as últimas curvas do GP final, em Abu Dhabi. Melhor para o holandês, que ultrapassou o rival no fim e conquistou o seu 1° título na categoria.

Max Verstappen e Lewis Hamilton lado a lado; holandês da Red Bull ficou com o título - REUTERS/Ahmed Yosri - REUTERS/Ahmed Yosri
Max Verstappen e Lewis Hamilton lado a lado; holandês da Red Bull ficou com o título
Imagem: REUTERS/Ahmed Yosri

Esporte