PUBLICIDADE
Topo

Libertadores - 2020

Herói improvável: Breno marca, Palmeiras vence Santos e é bi da Liberta

Eder Traskini, Thiago Ferri e Thiago Tassi

Do UOL, no Rio de Janeiro e em São Paulo

30/01/2021 19h03Atualizada em 30/01/2021 23h04

A obsessão do torcedor está nas mãos do Palmeiras. Pela segunda vez em sua história, o Alviverde sente o sabor de conquistar a Copa Libertadores da América: hoje (30), no Estádio do Maracanã, o clube venceu o rival Santos por 1 a 0 e conquistou a edição 2020 do principal torneio do futebol sul-americano. Breno Lopes, aos 53 minutos do segundo tempo, fez o gol que entra para a história.

Antes deste sábado, o clube alviverde havia conquistado o torneio em 1999, com Luiz Felipe Scolari no comando e um time de lendas como o goleiro Marcos e os ídolos verdes Arce, Paulo Nunes e Evair —entre muitos outros.

A partir de agora, o Mundial de Clubes vira o grande compromisso do Palmeiras. O torneio da Fifa começa em 4 de fevereiro, mas o clube brasileiro estreia no dia 7. Antes disso, ao menos por enquanto, o Alviverde enfrenta o Botafogo na terça-feira (2). O vice-campeão Santos visita o Grêmio na quarta (3). Ambos os jogos são do Campeonato Brasileiro.

Veja o gol do título do Palmeiras, marcado por Breno Lopes

Após a conquista, Rony afirmou que nunca tinha sentido medo como na decisão de hoje. "Só tenho que agradecer a Deus, a esse grupo, a esse time, nunca senti medo na minha vida como senti hoje, mas falei com Deus. Título é nosso, mas a glória é de Deus. Sem ele, a gente não é nada. Agradecer a Deus e toda minha família", disse o atacante ao SBT.

Weverton também falou com a emissora, mas comemorou o título com cuidado. "Eu fico até com receio de comemorar [perto dos convidados no Maracanã], tem muita gente aqui, eu ainda não peguei Covid-19. Tem Mundial na semana que vem."

Breno Lopes: herói improvável

Breno Lopes chegou recentemente ao Palmeiras para compor elenco. E como o futebol é impressionante, ele foi acionado no segundo tempo mesmo com o técnico Abel Ferreira tendo opções mais conhecidas no banco (Willian, por exemplo, estava cotado para iniciar o jogo). Mas foi o garoto que veio do Juventude quem fez o gol que deu o bicampeonato para a equipe na Libertadores e colocou seu nome na história do clube. Foi apenas o segundo tento anotado com a camisa do time paulista — ele havia balançado as redes pela primeira vez no empate contra o Vasco, na última terça-feira (26).

Zé Rafael faz pouco e sai

Escalado ao lado de Danilo, Gabriel Menino e Raphael Veiga, Zé Rafael participou bem da marcação do Palmeiras, que teve menos a bola no primeiro tempo, mas cansou. Tanto é que aos 32 da etapa final deixou o gramado para a entrada de Patrick de Paula.

Amigos? Nem tanto, pelo menos hoje...

Marcos Rocha e Cuca venceram a Libertadores juntos, em 2013, pelo Atlético-MG. Presume-se que são amigos, então. E, na verdade, eles são. Só que o lateral do Palmeiras foi tentar cobrar um lateral rapidamente e, impedido pelo treinador rival, empurrou o ex-companheiro. O comandante do Peixe foi expulso e eles até conversaram amigavelmente depois. Cuca, então, deixou o gramado e foi para as arquibancadas até o fim do jogo.

Palmeiras mantém titulares e 4-4-2

Depois de descansar seus titulares nos últimos dois jogos, o Palmeiras entrou jogando na maior parte do tempo com um 4-4-2 sem a bola, mas com Gabriel Menino em alguns momentos fechando uma linha de cinco. Sem correr grandes riscos no primeiro tempo, o time aparentou apenas evitar sofrer o gol na etapa final e levar o jogo para a prorrogação. As jogadas com Luiz Adriano pouco funcionavam, mas a entrada de Breno Lopes acabou sendo providencial e mudando o rumo de um jogo com pouquíssimas chances. Ele entrou na vaga de Gabriel Menino, tornou o time mais ofensivo e entrou na área logo após a expulsão de Cuca para fazer o gol do título.

Santos segura meio com três volantes

O técnico Cuca optou por começar a partida com o volante Sandry formando o trio de meio-campo com Alison e Diego Pituca. Os três marcaram homem a homem o trio adversário e impediram o Palmeiras de criar jogadas, mas, por outro lado, também pouco criaram para o Peixe na primeira etapa. No segundo tempo, Lucas Braga entrou na vaga de Sandry e a equipe melhorou ofensivamente, se movimentando mais e criando mais opções de passe, mas não foi suficiente para abrir o placar.

Cronologia do jogo

Depois de um primeiro tempo nervoso e de muito estudo, as equipes começaram a se soltar na segunda etapa. Com 30 minutos, Diego Pituca teve liberdade e mandou uma bomba, Weverton espalmou. No rebote, Felipe Jonatan chutou com bastante perigo. Foi a primeira grande oportunidade pelo chão. Já nos minutos finais, quando a partida caminhava para a prorrogação, Breno Lopes completou cruzamento e, de cabeça, tirou totalmente John da jogada. Fez o gol histórico para o clube.

Veja fotos do Rio antes da decisão

Público aglomera no Maracanã

A Conmebol foi autorizada a colocar 5 mil pessoas, entre convidados, imprensa, dirigentes e representantes dos clubes na final da Libertadores no Maracanã. Pela regra, todos deveriam manter as máscaras o tempo inteiro e evitar aglomerações.

Mas torcedores se aproximaram e tiraram as máscaras para fazer fotos, o que ocorreu também na tribuna de honra. As torcidas ocuparam somente o setor oeste do Maracanã. Os palmeirenses mais à direita das cabines de rádio e os santistas, mais à esquerda da cabine.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 X 0 SANTOS

Final da Copa Libertadores da América 2020
Data:
30/01/2021 (sábado)
Horário: 17h
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro
Árbitro: Patricio Loustau (Argentina)
Assistentes: Ezequiel Brailovsky e Diego Bonfa (ambos da Argentina)
Quarto Árbitro: Dario Herrera (Argentina)
VAR: Mauro Vigliano (Argentina)
Cartões amarelos: Gustavo Gómez, Viña, Marcos Rocha e Breno Lopes (Palmeiras); Lucas Veríssimo, Diego Pituca, Soteldo e Alison (Santos)
Cartão vermelho: Cuca (Santos)

Gol: Breno Lopes, aos 53 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS
Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez, Viña; Danilo, Zé Rafael (Patrick de Paula), Gabriel Menino (Breno Lopes), Raphael Veiga (Alan Empereur); Rony (Felipe Melo) e Luiz Adriano. Técnico: Abel Ferreira.

SANTOS
John; Pará (Bruno Marques), Lucas Veríssimo, Luan Peres, Felipe Jonatan (Wellington Tim); Alison, Sandry (Lucas Braga) e Diego Pituca; Soteldo, Marinho e Kaio Jorge (Madson). Técnico: Cuca.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que havia sido informado na primeira versão do texto, Breno Lopes fez o segundo gol pelo Palmeiras, e não o primeiro. O erro foi corrigido.