PUBLICIDADE
Topo

Papo Preto #27: "Por que não vejo histórias como a da minha família na TV?"

Mais Papo Preto
1 | 25

De Ecoa, em São Paulo

14/04/2021 08h45

Realizadora audiovisual e pesquisadora da representação negra na TV e no cinema, a paulista Lygia Pereira cresceu assistindo à televisão dos anos 1990.

Já naquela época, ela identificou uma falta de referências que dialogassem com sua vida e sua realidade familiar. Filha de professores da rede pública, de pai negro e mãe branca, ela viveu boa parte da vida na Cohab I, em Arthur Alvim, na Zona Leste de São Paulo.

Formou-se em Midialogia pela Unicamp e é mestre em Meios e Processos Audiovisuais pela USP, onde estudou a produção de cineastas negras.

"Tive um avô preto que viveu 76 anos, criou sete filhos, trabalhou a vida inteira e eu nunca vi uma história dessa na televisão", pontuou (a partir de 9:34 do arquivo acima).

Pereira identifica algumas mudanças positivas na representação negra no audiovisual mainstream brasileiro, mas enfatiza serem recentes.

"Até pouco tempo atrás, narrativas das grandes mídias basicamente negavam a existência do racismo, a desigualdade, para investir naquele discurso de democracia racial", disse (a partir de 12:30 do arquivo acima).

Papo Preto é um podcast produzido pelo Alma Preta, uma agência de jornalismo com temáticas sociais, em parceria com o UOL Plural, um projeto colaborativo entre o UOL, coletivos e veículos independentes. Novos episódios vão ao ar todas as quartas-feiras.

Podcasts são programas de áudio que podem ser ouvidos a qualquer hora e lugar — no computador, smartphone ou em outro aparelho com conexão à internet. Você pode ouvir Papo Preto no canal do UOL no YouTube e nas plataformas de podcast Spotify, Google Podcast, Deezer, Apple Podcast e CastBox.