PUBLICIDADE
Topo

Anitta alerta sobre assédio no Carnaval: "Fantasia não é autorização"

Anitta participa de evento em São Paulo - Patrícia Devoraes/Brazil News
Anitta participa de evento em São Paulo Imagem: Patrícia Devoraes/Brazil News

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

19/02/2020 04h00

Carnaval nem sempre é sinônimo apenas de alegria. E, mesmo com a agenda cheia de shows e compromissos durante a folia, Anitta resolveu alertar o público sobre um assunto muito sério: assédio. A reação da cantora veio assim que ela soube que seu nome havia sido usado por um motorista de aplicativo do RS que assediou uma passageira menor de idade dizendo que a garota usava um short "tipo Anitta".

"Um homem jamais pode achar que por causa de uma fantasia, ou de uma roupa, ou um jeito de dançar, a menina está pedindo para ser assediada", disse a cantora a jornalistas em São Paulo, logo depois de um evento fechado em que divulgou sua nova linha de desodorantes.

"O Carnaval está chegando e, como as pessoas bebem, os homens acham que podem tudo. As mulheres gostam de se fantasiar, e isso não significa que elas dão liberdade ou autorização para qualquer tipo de assédio. Puxada de cabelo, puxada de braço, passar a mão. Isso não existe", alertou Anitta, que também se posicionou sobre o assunto no Twitter, onde é seguida por mais de 10 milhões de pessoas, momentos antes do seu evento.

"Achei importante colocar isso no meu Twitter bem rápido. Foi instantes antes de eu entrar para a coletiva. Nem pensei muito, já escrevi e vou falar mais, porque como o Carnaval está chegando é sempre bom reforçar isso."

Limites e respeito

Defensora da liberdade sexual da mulher, Anitta falou ainda sobre limites e respeito. "As mulheres podem gostar de pegação. Mas uma coisa é você paquerar, outra é você assediar uma pessoa", ponderou, ressaltando o agravante de que a menina assediada pelo motorista era menor de idade.

Nem a fama e o estafe que está sempre em torno de Anitta conseguem livrar a cantora de também viver situações de assédio. "Até hoje ainda acontece comigo. E eu faço questão de parar e dar o devido sermão. Sou bem rígida em relação a isso", contou, destacando, porém, que nem todas as mulheres têm a mesma reação.

"Tem gente que fica com vergonha ou acaba rindo, mas a gente sabe que é aquele riso de nervoso. Ele [o motorista do Uber] falou que a menina estava rindo. Tem mulher que ri de nervoso, é a reação de cada uma. Eu tenho uma reação mais explosiva. Mas a culpa nunca é da mulher, afinal ela não tem que se preparar para a reação, ele é que não tem que fazer isso."

Entenda o caso

Uma jovem de 17 anos de Viamão (RS) registrou um boletim de ocorrência na delegacia da mulher da cidade depois de ser assediada por um motorista de aplicativo. Ela registrou os comentários invasivos do homem em um vídeo e publicou as provas em uma rede social, alertando outras meninas sobre a situação desconfortável.

Identificado e chamado a depor, André Lopes Machado, de 43 anos, falou com jornalistas na porta da delegacia e tentou justificar a situação, dizendo que a passageira estava usando um short "tipo Anitta". A fala pública do motorista mais uma vez viralizou e gerou revolta nas redes, chegando à Anitta, que respondeu diretamente ao comentário machista.

"A menina estar usando um short 'tipo Anitta', para mim significa que ela é independente, não tem medo de ser quem ela quer e, acima de tudo, bem inteligente pra denunciar e expor um assediador para que outras meninas não passem pelo mesmo que ela", declarou a cantora.

CarnaUOL