PUBLICIDADE
Topo

Mundial de Clubes - 2020

Arnaldo: Palmeiras pode ficar para a história, mas não pelo futebol jogado

UOL Esporte

14/02/2021 03h00

O Palmeiras concluiu sua participação no Mundial de Clubes com a frustrante quarta colocação, mas caminha para encerrar uma temporada na qual venceu o Campeonato Paulista e a Libertadores e ainda pode ser campeão da Copa do Brasil. No podcast Posse de Bola #99, Arnaldo Ribeiro afirma que a temporada pode ser marcante para o Palmeiras em caso de título também na Copa do Brasil, mas devido aos resultados, e não ao futebol apresentado. "Eu acho que a questão é a seguinte: esses times todos, históricos, marcantes, eles tiveram não só histórias épicas nas vitórias, como algo dentro de campo que impressionou e tudo mais. Esse Palmeiras pode ficar para a história, mas não pelo futebol que apresentou, são partidas que a gente conta nos dedos. Até por conta sim da temporada da pandemia, a dificuldade de trabalho e pouco tempo de treino", diz Arnaldo. "A final da Libertadores em jogo único, você ser superior ao adversário estrategicamente, ou ser equiparado, é uma maneira de tentar ganhar, mas essa maneira podia ser utilizada da mesma forma, se não tem repertório tão vasto, para anular o Tigres e para vencer o Al Ahly. Não tem outra palavra, a palavra que o palmeirense mais vai aceitar é frustrante, mas ela é pouca, é uma palavra muito dócil. Foi mais que frustrante, foi um fiasco", completa. Arnaldo afirma que a repercussão do Palmeiras no Mundial cresceu por que o clube pede o reconhecimento do título de 1951 e por causa do discurso de dirigentes como o presidente Mauricio Galiotte e a patrocinadora Leila Pereira, da Crefisa. Ele diz que o time pode ficar marcado como o que venceu três taças na temporada, mas também será lembrado como o pior sul-americano da história do Mundial de Clubes. "O Palmeiras tem esse negócio do Mundial, que se vive nas esquinas de São Paulo, amplificou o negócio do Mundial. O corintiano vivia isso até 2012, até ganhar a Libertadores. O cara não conseguia ir na esquina e ouvir falar em Libertadores. Hoje é o palmeirense, porque também ele como instituição, o Galiotte presidente, a Leila patrocinadora, os caras falam do Mundial o tempo todo, e anteriormente fizeram aquela situação que ficou discutível, no mínimo, que foi pleitear 1951 como título mundial", diz Arnaldo. "O Palmeiras perdeu uma chance de fazer um Mundial digno, de pelo menos ir para a final contra o melhor time do mundo, e isso vai ficar marcado na história também, assim como a última. A temporada