PUBLICIDADE
Topo

Estaduais começaram. E aí, eles deveriam acabar? Blogueiros opinam

Cássio levanta taça de campeão paulista 2019 pelo Corinthians - Marcello Zambrana/AGIF
Cássio levanta taça de campeão paulista 2019 pelo Corinthians Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Do UOL, em Santos (SP)

23/01/2020 12h00

Resumo da notícia

  • Estaduais devem acabar? Fizemos essa pergunta aos blogueiros
  • "Devem. Não cabem mais no calendário", opina André Rocha
  • Juca Kfouri: "Devem ser disputados durante o ano todo"
  • Renato Maurício Prado: "Têm de ser drasticamente modificados"
Classificação e Jogos

Entra ano, sai ano, e a mesma discussão volta à tona quando os campeonatos estaduais recomeçam. Eles são importantes e apenas precisam de alguns ajustes? Não fariam falta e devem acabar?

Pedimos as opiniões dos blogueiros do UOL Esporte sobre o tema. A maioria deles acredita que eles têm de continuar, mas que não podem ficar como estão. Confira:

ANDRÉ ROCHA

Devem. Não cabem mais no calendário. Absurdo encavalar jogos no segundo semestre. Ou podem ser inseridos nas datas Fifa. Os pequenos? Jogam Copa do Brasil e suas respectivas séries no Brasileiro. A Série D regionalizada pode ser ampliada para contemplar mais times. Ou até ser criada uma Série E. Dinheiro da CBF para fomentar os campeonatos não falta.

Leia o blog do André Rocha.

BENJA

Os Estaduais já acabaram, só esqueceram de avisar! Jogos sem qualquer apelo. Mas, talvez, para não acabarem de vez, seria necessária uma mudança radical na fórmula de disputa. Por exemplo: os clubes grandes só entrariam na disputa no final.

Leia o blog do Benja.

BOLÍVIA

Cada ano que passa, ficam mais sem graça. Rivalidade nas semis e finais, apenas. É preciso inventar alguma coisa para não matar os times do interior, como novas divisões do Brasileiro ou torneios por região, como a Copa do Nordeste.

Leia o blog do Bolívia.

JUCA KFOURI

Não. Devem ser disputados durante o ano todo. Sem os clubes que estiverem nos Campeonatos Brasileiros.

Leia o blog do Juca.

JULIO GOMES

Os Estaduais não devem e não podem acabar. Mas não podem ficar como estão. O modelo atual está destruindo uma das coisas mais valiosas do futebol brasileiro, destruindo sua raiz, em nome de uma elitização que agrada muita gente (porque beneficia os clubes mais populares), mas que, na real, está matando o interesse genuíno pelo esporte, afastando o país inteiro do jogo. Os Estaduais precisam ser repensados, precisam de regulamentos dinâmicos, precisam ser bons para grandes e pequenos. Não podem acabar. Mas estão acabando com eles.

Leia o blog Julio Gomes.

MARCEL RIZZO

Não devem acabar, mas devem mudar e não ter os times da elite brasileira. O calendário por aqui deveria girar em torno do Brasileiro, que deveria começar em fevereiro, máximo em abril. Os Estaduais deveriam ser o classificatório para o Nacional e poderia ter os da elite em três ou quatro datas, contra aqueles que foram os melhores nas fases iniciais, que se abririam com o Brasileiro estendido.

Leia o blog do Marcel Rizzo.

MAURO CEZAR

Não precisam acabar, basta que não durem, para os times das Séries A e B, pelo menos, mais do que seis semanas. Ou essas equipes o disputariam em Datas Fifa ao longo do ano, evitando desfalques nas competições mais relevantes.

Leia o blog do Mauro Cezar.

MENON

Sim, devem continuar. Sem dúvida. Se acabarem os Estaduais, será o assassinato do futebol. Pensando em São Paulo, por exemplo, o que farão equipes que estão fora das quatro divisões nacionais. E um time que está na D? Jogará apenas alguns meses no ano? E o desemprego? Pode haver mudanças para que se tenha um calendário mais racional. O campeonato estadual poderia ter seis meses de duração, com a participação dos grandes apenas nas fases finais, por exemplo. Uma simulação: campeonato com 20 times, dois turnos, sem os grandes. Os quatro primeiros se juntariam aos quatro grandes em um mata-mata de uma semana ou dez dias.

Leia o blog do Menon.

PERRONE

Não devem acabar, mas é preciso encaixá-los melhor no calendário. O Paulista, por exemplo, precisa ter menos clubes para diminuir o número de datas ou adotar um modelo mais coerente de competição. A fórmula atual é uma piada. Mas, reduzir a quantidade de clubes não é bom politicamente para as federações.

Os Estaduais têm muita história, rivalidade e, de maneira geral, ainda cativam os torcedores. Por isso não devem acabar.

Leia o blog do Perrone.

RENATO MAURÍCIO PRADO

Os Estaduais precisam ser drasticamente modificados e os grandes devem reduzir suas participações, entrando, somente nas fases finais e liberando datas de seus calendários. Não faz mais o menor sentido gastar três meses com torneios que não empolgam mais ninguém e são menosprezados pelos próprios clubes.

Leia o blog do Renato Maurício Prado.

RODRIGO MATTOS

Estaduais têm que sofrer uma redução drástica para terem de seis a oito datas para os times das Séries A e B. Poderiam ser colocados no início como pré-temporada de um mês, ou espalhados durante a temporada, solução que tem uma barreira que é a incapacidade de times pequenos de manter elencos por vários meses. Em paralelo, deve-se buscar competições para os times menores que não estejam nas quatro divisões.

Leia o blog do Rodrigo Mattos.