PUBLICIDADE
Topo

Tensão e euforia marcam título da Águia e quase queda da Gaviões

Anahi Martinho

Colaboração para o UOL, em São Paulo

26/02/2020 04h00

Faltavam três quesitos para a Acadêmicos do Tatuapé levantar o troféu no Anhembi. Os profissionais da imprensa já se aglomeravam em volta da agremiação, quando de repente a Águia de Ouro começou a virar o jogo.

O desempate saiu nos quesitos harmonia e bateria. A Águia de Ouro se sagrou campeã do Carnaval paulista e a Tatuapé acabou ficando com o quarto lugar.

Eufóricos, os integrantes da Águia de Ouro ergueram o troféu debaixo de um temporal e saíram pela avenida celebrarando o seu primeiro campeonato no Grupo Especial.

"Não tenho palavras, só o sentimento nessa hora. Estou muito feliz", disse Mestre Juca, emocionado.

"Dois dias antes do Carnaval, a gente não tinha fantasia da bateria. A bateria toda se uniu, fez as fantasias e veio aqui trazer o título para a nossa escola", revelou o mestre.

Já o presidente da Tatuapé disse que "não entendeu" a perda de pontos nos três últimos quesitos.

"A Tatuapé sabidamente canta alto e canta com intensidade, e o quesito harmonia avalia justamente isso. Quero pegar as justificativas e entender o que houve", disse o presidente da quarta colocada.

Clima tenso na Gaviões

Na Gaviões da Fiel, o clima foi completamente diferente. A possibilidade real de rebaixamento tomou conta. Até o penúltimo quesito, a escola da organizada do Corinthians era a penúltima colocada.

A agremiação, que apostou no carnavalesco carioca Paulo Barros e investiu pesado em seu desfile de 50 anos, acabou ficando em 11º lugar. Por pouco, não caiu para o grupo de acesso.

O comentário geral na agremiação era que Barros "colocou água" no desfile —uma alfinetada em referência ao carro abre-alas da escola, que tinha de fato uma fonte jorrando água das mãos de Zeus.

A reportagem presenciou um membro da agremiação dizendo que "idiota é quem coloca água no desfile".

No final da apuração, os membros da Gaviões já estavam chorando e comemorando o não-rebaixamento. Quem desceu para o Acesso foram Pérola Negra e X-9 Paulistana.

Vai-Vai sobe

O temporal que caiu no Anhembi fez atrasar a apuração do Grupo de Acesso. Depois que a chuva deu trégua, a apuração foi feita de forma rápida.

Vai-Vai e Acadêmicos do Tucuruvi foram as campeãs e subiram para o Grupo Especial.

"A gente se livrou de todos os males. Só tenho que agradecer a Deus e à minha comunidade", disse Anna Maria Murari, presidente da Vai-Vai, muito emocionada.

São Paulo