PUBLICIDADE
Topo

BaianaSystem 'navega' no pós-Carnaval de SP com bloco marcado por protestos

Russo Passapusso, vicalista do BaianaSystem, durante o desfile do bloco Navio Pirata na avenida Tiradentes, em São Paulo - Marcelo Justo/UOL
Russo Passapusso, vicalista do BaianaSystem, durante o desfile do bloco Navio Pirata na avenida Tiradentes, em São Paulo Imagem: Marcelo Justo/UOL

Sara Puerta

Colaboração para o UOL, em São Paulo

29/02/2020 14h49

Milhares de Foliões —muitos com a icônica máscara de carranca que se tornou símbolo do BaianaSystem, seja em pintura ou acessórios— seguiram hoje o Navio Pirata, trio elétrico da banda baiana. O desfile aconteceu neste sábado (29) no Circuito de Carnaval da Avenida Tiradentes, em São Paulo.

Pelo terceiro ano consecutivo no pós-Carnaval de São Paulo, o Navio Pirata teve participações de BNegão e Curumin. As rodas entre os foliões — chamadas de furacão — o dub, o sistema de sound system e a guitarra baiana, também marcas características da banda, complementaram a "experiência" de acompanhar o trio.

A fotógrafa Danielle Leon, 35, veio com sua filha de seis anos, e classificou o Carnaval do BaianaSystem como uma revolução. "É uma imensa manifestação popular. Parece um ritual coletivo", disse.

Para Tom Azevedo, 17, o Baiana System representa a diversidade: "É um grande abraço. Uma outra energia, é diferente de qualquer outro bloco".

A estudante Luísa Moura, que nasceu na Bahia, mas mora em São Paulo há dois anos, também estava curtindo o bloco. "Eles têm uma mistura que é muito característica da cultura e da energia Bahia. Incluindo o estilo de acompanhar o trio, agitando muito, aos pulos", classificou a jovem.

Democratização e protestos

A ausência das cordas, que separam foliões, comum em trios baianos, é uma marca do Navio Pirata, o trio do BaianaSystem, que preza pela democratização e o maior contato com as pessoas.

Para o designer Fabio Rodrigues, 33, um outro elemento torna algo "transcendente" no Carnaval do BaianaSystem: " O som grave das caixas de som, que faz as pessoas sentirem o trio de uma forma mais intensa", explicou o fã. O grave é comum no Sound System, um estilo que surgiu na Jamaica, que conta com muitas caixas de som.

Foliões protestam contra o presidente Jair Bolsonaro e a polícia no bloco Navio Pirata, do BaianaSystem, na avenida Tiradentes, região central de São Paulo - Marcelo Justo/UOL
Foliões protestam contra o presidente Jair Bolsonaro e a polícia no bloco Navio Pirata, do BaianaSystem, na avenida Tiradentes, região central de São Paulo
Imagem: Marcelo Justo/UOL

Com letras criticas, os foliões também aproveitaram a visibilidade do bloco para levar seus cartazes de protesto. Marielle Franco e Mestre Moa apareceram nas mensagens, além do coro de " Ei, Bolsonaro, vai tomar no c*" puxado diversas vezes pela multidão.

Russo Passapusso também fez seu protesto no comando do navio. O vocalista do BaianaSystem pegou uma camiseta da UNE (União Nacional dos Estudantes), amarrou no rosto e pendurou no trio.

Blocos de Rua