PUBLICIDADE
Topo

Colorado do Brás conta história de Dom Sebastião e terá 1ª madrinha trans

Colorado do Brás passou 25 anos no Grupo de Acesso e em 2019 voltou a desfilar no Grupo Especial - Ricardo Matsukawa/UOL
Colorado do Brás passou 25 anos no Grupo de Acesso e em 2019 voltou a desfilar no Grupo Especial Imagem: Ricardo Matsukawa/UOL

Colaboração para o UOL

Em São Paulo

30/01/2020 12h34

A Colorado do Brás vem para o Carnaval 2020 em busca de seu primeiro título no Grupo Especial, com o tema "Que Rei Sou eu?". O enredo da escola vai contar a história de Dom Sebastião, rei de Portugal entre 1557 a 1578, passando pelos mistérios, lutas, lendas, crenças e outros fatos de sua vida.

A corte à frente dos ritmistas da Colorado é em família. Isso porque a escola tem como rainha de bateria Muriel Quixaba, de 35 anos, que vai desfilar ao lado da filha pela segunda vez seguida, a rainha mirim Izabelly Quixaba, de 10.

A agremiação é a primeira a ter uma madrinha de bateria transexual no Grupo Especial, a modelo Camila Prins.

De acordo com a programação do Carnaval de São Paulo, a Colorado será a segunda a desfilar no sábado (22 de fevereiro). A previsão é que a escola do Brás entre no sambódromo do Anhembi às 23h20.

SAMBA-ENREDO

Que Rei Sou eu?

Compositores: Márcio Pessi, Evandro Bocão, Moisés Santiago, Edson Dafféh, Marcelo Valença e André Diniz

LETRA

O luar do Maranhão clareia
Meu samba na veia
O sonho só começou
Meu povo querendo mais
Eu sou Colorado do Brás

Se cada um escreve seu destino?
O meu foi conduzido pelo Criador
Um órfão, um guerreiro, um menino
"O escolhido", que rei eu sou?
"No clamor desejado", capitão de Deus
Herdeiro esperado por toda nação
De nobres e plebeus
Ao santo flechado, mais que devoção?
Meu nome virou uma lenda
A Coroa me fez Dom Sebastião

Pode acreditar? louco eu não sou
Missionário sonhador...
Marejado na retina
Consagrado? luz divina
Abençoado? fiel desbravador

Lá no Marrocos, segui a minha missão
Sumi do mapa, ficou a interrogação
Por onde está nossa alteza?
Na Índia ou habitando mosteiro
Preso, misterioso em Veneza
É o povo em busca do meu paradeiro?
Mas, a realidade é que sempre estive aqui

No Belo Monte ou na Praia dos Lençóis
A alegria do Brasil eu descobri
É o presente que há em cada um de nós
E o touro encantado é minha magia
Vermelho e branco, encantaria Numa só voz?

São Paulo