PUBLICIDADE

Topo

Outubro de 2021: pressões internacionais sobre o país se tornam constantes

Outubro de 2021: pressões internacionais sobre o país se tornam constantes - Alexander Andrews/Unsplash
Outubro de 2021: pressões internacionais sobre o país se tornam constantes Imagem: Alexander Andrews/Unsplash

Barbara Abramo

De Universa

01/10/2021 00h00

Em outubro, muita coisa parada nos últimos meses finalmente irá adiante e isso tem tudo a ver com Plutão, Saturno e Júpiter retomando o movimento direto. Plutão é o primeiro a sair da retrogradação, no dia 7, trazendo a movimentação de grandes grupos econômicos que devem promover transformações para encarar a crise mundial. Com isso, a primeira quinzena do mês aponta para decisões no plano de negócios, economia e política.

Contribuindo para o cenário, a Lua nova em Libra acontece conjunta a Marte, na manhã do dia 6, simbolizando mais movimento, iniciativa e pressa em resolver questões, principalmente as judiciais. Com a entrada de Vênus em Sagitário, no dia 7, podemos esperar novidades para as finanças e a política. O astro anima os investimentos de risco e traz movimento às ações de empresas ligadas à informação.

Para a política e a economia, outro momento de importância ocorre quando Sol e Marte começam o trígono com Júpiter, no dia 10. Até o dia 20, importantes decisões serão tomadas e prometem trazer boas notícias ao Brasil. Na mesma época, entre os dias 11 e 14, Vênus e Saturno em sextil favorecem investimentos e a estabilidade financeira, com maior controle da inflação. Ótimo período para empresas ligadas ao comércio exterior.

A partir do dia 11, Saturno retoma seu movimento direto em Aquário, apelando para o senso de responsabilidade social. Em ótimo aspecto com Lua e Júpiter no mapa astral do Brasil, o planeta representa um período de maior consciência e percepção do povo sobre o momento atual. No entanto, na noite do dia 12, ocorre a crescente lunar em Capricórnio. Em uma explosiva quadratura a Marte e Mercúrio retrógrado, a Lua trará impaciência e descontrole nas negociações políticas. É um momento delicado para o país e que também pede cuidado com as nossas relações.

O movimento será breve e, no dia 14, Lua e Saturno em conjunção e em trígono a Mercúrio retrógrado iniciam um período de conversações e acertos na política. Para dar uma levantada no astral geral e aquecer um pouco a economia, Sol e Marte seguem em conjunção por vários dias em outubro, formando trígono com Júpiter nos dias 16 e 17, que serão favoráveis para fazer algo novo.

No dia 18, chega a hora de Júpiter encerrar seu período retrógrado, expandindo a comunicação e a economia ligada à ciência e tecnologia. O astro também anuncia uma leve retomada do turismo. Por fim, no dia 19, Mercúrio termina sua retrogradação prometendo a resolução de contratos e acertos. Para a economia e a política, esse astral significa mais fluidez.

Apesar disso, as pressões internacionais sobre o Brasil se tornam constantes, gerando conflitos conforme indicam Sol e Marte em quadratura a Plutão até o dia 21. Além disso, no dia 20, a Lua cheia em Áries faz transbordar a paciência de muita gente perante o cenário político nacional. Em oposição a Marte, a cheia lunar denota um clima áspero e beligerante.

Do dia 20 ao 29, Vênus e Júpiter em sintonia fortalecem acordos entre as oposições na política e trazem boas iniciativas no campo das artes e da educação. Decisões judiciais continuam sendo assuntos em alta. Com o Sol em Escorpião no dia 24, o Governo Federal ganha destaque. Neste ínterim, Marte em quadratura a Plutão e em trígono a Júpiter sinaliza conflitos de poder e o resultado de medidas judiciais, como a CPI, por exemplo.

O mês termina sob o clima de revisões e reflexões com a Lua minguante em Leão na tarde do dia 28. Em seguida, no dia 30, Marte em Escorpião abre uma temporada em que o Governo Federal terá de se esforçar para se distanciar de confrontos pesados com grupos sociais e políticos. Esse panorama torna notável que outubro terá mais acontecimentos, decisões e encaminhamentos do que agosto e setembro.