PUBLICIDADE

Topo

Horóscopo

Março de 2021: Há luz no fim do túnel, mas todos precisam se unir

Março de 2021: Uma desorientação geral está no horizonte - Min An/Pexels
Março de 2021: Uma desorientação geral está no horizonte Imagem: Min An/Pexels

Barbara Abramo

De Universa

01/03/2021 00h00

Março começa um tanto acanhado, com tensões e aspectos astrológicos que anunciam a disseminação da pandemia no Brasil. Uma desorientação geral está no horizonte. Apesar disso, há sinais de avanços no fim do mês, quando uma mudança de qualidade em termos de controle do vírus e melhoria econômica pode acontecer.

Na primeira semana, um encontro auspicioso entre Mercúrio e Júpiter aponta debates e soluções inovadoras para educação, ciência e tecnologia. Vênus e Urano também reforçam essas tendências e anunciam boas novas para negociações internacionais - é um sinal favorável de que o Brasil pode encontrar ou criar pontes mais fortes com outros países, o que proporcionará boas consequências para a saúde pública e a economia. Além disso, no dia 3, Marte ingressa em Gêmeos, anunciando semanas de mais dinamismo e agitação nas comunicações, mídias e educação.

No dia 13, a Lua nova em Peixes marca a última lunação de um ciclo doloroso, encerrando um período com esperanças de renovação — algo que virá mais a frente, com a entrada do Sol em Áries. Acionando Plutão, a necessidade de rever valores e estruturas vem à tona. É uma Lua nova importante para o Brasil, já que proporciona um momento de reflexão e mudanças coletivas.

No dia 15, Mercúrio ingressa em Peixes, onde movimenta as artes e promete avanços nas áreas da ciência. Acontecimentos ligados aos oceanos e à vida marinha atrairão a atenção dos estudiosos e da população, talvez como uma chamada à necessidade de cuidarmos melhor de nosso planeta. Boas novas chegam com o aspecto auspicioso entre Mercúrio e Urano, que ocorre entre 20 e 22 de março, reforçando a configuração astral positiva para invenções e descobertas científicas. Poderemos ter boas novidades sobre a distribuição de vacinas e medicamentos.

No que diz respeito à pandemia, a primeira quinzena é bastante perigosa em termos de disseminação e a tendência se repete entre os dias 28 e 31. Decisões importantes poderão ser tomadas entre os dias 19 e 24, quando Mercúrio se harmoniza com Saturno, planeta dos limites e das responsabilidades. As oposições ao Governo Federal viverão um período de intensas conversas, negociações e debates, com reviravoltas e soluções inovadoras prometidas entre 20 e 22 de março.

O ano novo astrológico chega no dia 20, com a entrada do Sol em Áries trazendo o ímpeto da novidade e da vanguarda. Será uma forte energia criativa, mas que pede cuidado com a impulsividade destrutiva. Neste começo de ciclo, a economia ganha destaque, bem como soluções inovadoras. No dia 21, a Lua crescente acelera o ritmo no signo do povo, Câncer. Sinal de maior destaque às necessidades da população e, inclusive, dos bancos e empresários.

No mesmo dia, Vênus ingressa em Áries. É uma posição explosiva e afoita para um astro cuja natureza e modo de operar é justamente o oposto. O trânsito aponta algumas semanas de desacordos sobre negociações anteriores e reforça acontecimentos na economia devido à impulsividade e falta de negociação.

Já no dia 28, a Lua cheia em Libra traz o recado: será necessário fazer acordos de paz para colocar o interesse de muitos acima de interesses individuais ou de grupos específicos. A fase lunar trará consciência e senso de limites, com ótimo aspecto com Saturno e Júpiter. Há luz no fim do túnel, mas todos precisam se unir para superar situações difíceis de maneira coletiva.

Sem dúvidas o final de março traz aspectos astrológicos que apontam suavização e soluções. Podemos esperar consciência e responsabilidade social, senso de limites, acordos e curas.

Horóscopo