Topo

Com pico de oxigênio, Marte tem mais presença do gás do que imaginávamos

Robô Curiosity em Marte - Reprodução/NASA
Robô Curiosity em Marte Imagem: Reprodução/NASA

De Tilt, em São Paulo

18/11/2019 17h42

A Nasa fez uma descoberta após seis anos investigando Marte: o planeta vermelho tem mais oxigênio em sua atmosfera do que os cientistas imaginavam — e o que tem lá é muito estranho.

Na primavera e verão de Marte, o nível de gás oxigênio atinge um pico 30% maior do que os pesquisadores esperavam, baseados em outros gases na atmosfera do planeta. Esse aumento está ligado a um mistério: um fluxo sazonal de metano atmosférico em Marte.

"Marte nos enganou novamente!", disse Sushil Atreya, cientista planetário da Universidade de Michigan, que faz parte da equipe que reportou o curioso resultado.

Embora seja mais comum pensar em fotossíntese ao ouvir sobre o oxigênio na atmosfera de um planeta, sabe-se que os processos não vivos produzem oxigênio em Marte e essas descobertas não são necessariamente evidências de vida.

Em vez disso, os resultados destacam lacunas em nossa compreensão da química da superfície do planeta vermelho —buracos que devem ser preenchidos se quisermos buscar evidências diretas do passado ou presente do planeta.

No próximo verão, quatro países lançarão missões a Marte para promover esse objetivo, incluindo o rover Mars 2020 da Nasa, que armazenará amostras para futuro retorno à Terra.

A União Europeia e a Rússia também se uniram à missão ExoMars, que inclui o rover Rosalind Franklin. Esse explorador robótico perfurará mais de um metro e oitenta na superfície marciana, explorando a química interna do planeta vermelho para tentar entender suas curiosidades.

Astronomia