PUBLICIDADE
Topo

Futebol

O que explica Itália de campeã da Euro a fora da Copa pela 2ª vez?

Domenico Berardi lamenta chance desperdiçada em jogo entre Itália e Macedônia do Norte pelas Eliminatórias Europeias - Matteo Ciambelli/DeFodi Images via Getty Images
Domenico Berardi lamenta chance desperdiçada em jogo entre Itália e Macedônia do Norte pelas Eliminatórias Europeias Imagem: Matteo Ciambelli/DeFodi Images via Getty Images

Do UOL, em São Paulo

25/03/2022 04h00

Classificação e Jogos

A seleção italiana deu adeus às chances de ir à Copa do Mundo do Qatar ao perder para a Macedônia do Norte, em Palermo (ITA), o jogo válido pela repescagem das Eliminatórias Europeias para a Macedônia do Norte. O único gol da partida foi anotado por Aleksandar Trajkovski, aos 47 minutos do segundo tempo. Para deixar a situação ainda mais trágica, o atacante atuou pelo Palermo.

Com um futebol dinâmico e eficiente, a Itália encantou o mundo da bola ao conquistar a última Eurocopa e indicar que a ausência na Copa da Rússia, há quatro anos, foi um episódio isolado. A Azzurra, porém, se complicou no decorrer das Eliminatórias e viu a Suíça ficar com a vaga para o Mundial do Qatar.

Mas, como explicar a derrocada da até pouco tempo empolgante seleção italiana? Por dois fatores: excesso de empates e pênalti desperdiçado pelo ítalo-brasileiro Jorginho.

A Itália iniciou sua participação nas Eliminatórias Europeias de forma arrasadora. No Grupo C, a Azzurra somou três vitórias consecutivas (contra Irlanda do Norte, Bulgária e Lituânia). Na sequência, porém, vieram empates contra Bulgária e Suíça.

A goleada por 5 a 0 sobre a Lituân,ia em casa, porém, mostrava que a classificação para a Copa seria tranquila. Naquele momento, a tetracampeã mundial liderava com sobras a sua chave, com 14 pontos, seis a mais em relação à vice-líder Suíça. Além disso, os italianos chegavam ao 37º consecutivo sem derrota, sendo o último revés em 10 de setembro de 2018.

Sem entrar em campo, a Itália viu a Suíça vencer dois jogos e colar na classificação. Neste cenário, as seleções se encontraram no estádio Olímpico de Roma (ITA) no confronto direto pela vaga no Mundial do Qatar. Uma vitória deixaria a Azzurra com um pé na Copa, mas o ítalo-brasileiro Jorginho isolou um pênalti e o jogo terminou empatado em 1 a 1.

Jorginho - REUTERS - REUTERS
Imagem: REUTERS

Itália e Suíça foram para a última rodada dividindo a liderança da chave, com 15 pontos cada. O tropeço diante da Irlanda do Norte, somado ao triunfo suíço sobre a Bulgária, mandaram a Itália direto para a repescagem.

Lá, a seleção de Roberto Mancini precisaria vencer dois jogos — incluindo possível embate com Portugal de Cristiano Ronaldo — para carimbar o passaporte para o Mundial. O primeiro adversário era a Macedônia do Norte, vice-líder do Grupo J.

Jogando em casa, a Itália sufocou o adversário, superou 30 finalizações, mas não conseguiu concretizar a superioridade em gols. Se afobando conforme o tempo passava, a Azzurra viu o jogo se arrastar para a prorrogação até os 47 do segundo tempo, quando Aleksandar Trajkovski acertou belo chute de fora da área, sem defesa para Gianluigi Donnarumma.

A empolgação em um ano atrás se transformou em imensa frustração, e a Itália se despede do sonho de ir à Copa do Qatar com campanha composta por quatro vitórias, quatro empates e uma derrota.

Futebol