PUBLICIDADE
Topo

De Digão a Fred, Flu ainda busca velhos conhecidos para ter novo perfil

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

14/01/2020 04h00

Classificação e Jogos

Em cinco dias, o Fluminense estreará em 2020. O primeiro compromisso do Tricolor será contra a Cabofriense, em Bacaxá, domingo (19), às 19h, pelo Campeonato Carioca. E se não estará completa nesta partida, a equipe será bem diferente em relação ao ano passado. Sob o comando de Odair Hellmann, o Flu começa a tomar uma nova cara para a temporada.

Com Nino na seleção pré-olímpica, ainda sem regularizar Egídio, Henrique e Yago Felipe, além de Matheus Ferraz e Muriel retomando a forma após recuperarem-se de lesão, o Flu que estreará no Estadual dificilmente refletirá o que será a equipe na temporada. Reforços estrangeiros, como o peruano Fernando Pacheco e o uruguaio Michel Araújo, tampouco estarão à disposição.

A começar pelas mudanças no mercado da bola, com muitas saídas e alguns reforços, o Tricolor estará renovado para 2020. Da equipe titular, por exemplo, saíram alguns destaques como Caio Henrique, Allan, Daniel e Yony González. A reposição teve perfil diferente das últimas temporadas: uma mescla de apostas jovens com jogadores tarimbados.

Com o desejo de implementar um sistema mais equilibrado, independente do esquema tático, Odair conversou sobre alguns nomes e tomou as rédeas de diversas negociações. Partiram dele indicações do já anunciado Hudson e do bem encaminhado reforço de Wellington Silva, cria das divisões de base do clube.

Lucas Merçon/Fluminense FC
Imagem: Lucas Merçon/Fluminense FC

A nova cara do Tricolor terá uma base no 4-4-2, com alterações para o 4-3-3. Por enquanto, Hudson e Henrique atuam nos lados de um losango de meio-campo. Yuri está mais atrás, e Ganso mais à frente. Marcos Paulo e Evanílson formam o ataque ideal na cabeça do treinador, que terá como opções três reforços que brigarão por vaga nas pontas: Pacheco, Araújo e Caio Paulista. Em modificação que deve retirar um volante da equipe, uma das opções para as pontas deve substituir Yuri, tornando o Flu mais dinâmico na parte ofensiva.

Faltam poucas movimentações para que o Tricolor encerre momentaneamente a montagem do elenco neste período de transferências. Detalhes separam acertos com o zagueiro Digão e com o atacante Wellington Silva, bem como a chegada do uruguaio Araújo.

Assim, restará apenas um pedido de Odair: um volante de características mais dinâmicas, como as de Allan, preferencialmente pela esquerda do meio-campo. Neste setor, o Flu tentou Andrés Cubas, do Talleres-ARG, mas esbarrou na alta pedida. Outros sul-americanos foram oferecidos, e o Tricolor também busca informações no mercado nacional. Por ora, não há um nome definido, e a cúpula do futebol procura pelo perfil traçado.

Única exceção fica por conta do atacante Fred, desejo mais do que conhecido do Fluminense. No clube, seu retorno não parece mais questão de "se", mas de "quando". O Tricolor aguarda a definição do acordo de seu ídolo com o Cruzeiro para seguir nas tratativas e reatar o casamento.

Fluminense