PUBLICIDADE
Topo

CarnaUOL

Morre, aos 95 anos, a sambista Dona Neném, baluarte da Portela

Dona Nenem, personagem importante do carnaval carioca e do samba em geral - Reprodução/Grupo Globo
Dona Nenem, personagem importante do carnaval carioca e do samba em geral Imagem: Reprodução/Grupo Globo

Do UOL, em São Paulo

04/05/2020 16h19

Morreu na madrugada de hoje, aos 95 anos, Yolanda de Almeida Andrade, conhecida pelo apelido de Dona Neném, viúva do compositor Manacéa e baluarte da agremiação. A informação foi confirmada pela própria Portela em seu perfil oficial no Instagram.

Segundo familiares, a sambista estava com uma infecção urinária e faleceu em casa.

"Dona Neném era a maior referência viva feminina da Portela. Mesmo nem sempre fisicamente presente, tínhamos a certeza de sabermos que ela estava sempre ali, no alto daquela casa, olhando por todos nós e por nossa história. Por nós que sempre precisamos tanto dela", lamentou o presidente Luís Carlos Magalhães", afirmou a escola.

"Era uma das integrantes mais antigas e admiradas da Portela. Conheceu o lendário Paulo da Portela e testemunhou a evolução a Azul e Branco de Madureira. Seu irmão, Lincoln, foi parceiro do fundador Paulo, violonista e membro da Velha Guarda Show da Portela", completou.

Dona Neném casou-se com o compositor Manacéa no início dos anos 1950. Em seguida, nasceram os filhos Helo, Ana e Áurea Maria, que é pastora da Velha Guarda e membro do Conselho Deliberativo da escola.

Morre Dona Neném, baluarte da Portela e viúva do compositor Manacéa A Portela está de luto. Morreu, na madrugada desta segunda-feira (4), aos 95 anos, Yolanda de Almeida Andrade, a dona Neném, viúva do compositor Manacéa e baluarte da escola. Segundo familiares, a sambista estava com uma infecção urinária e faleceu em casa. "Dona Neném era a maior referência viva feminina da Portela. Mesmo nem sempre fisicamente presente, tínhamos a certeza de sabermos que ela estava sempre ali, no alto daquela casa, olhando por todos nós e por nossa história. Por nós que sempre precisamos tanto dela", lamentou o presidente Luis Carlos Magalhães. Dona Neném era uma das integrantes mais antigas e admiradas da Portela. Conheceu o lendário Paulo da Portela e testemunhou a evolução a Azul e Branco de Madureira. Seu irmão, Lincoln, foi parceiro do fundador Paulo, violonista e membro da Velha Guarda Show da Portela. Casou-se com Manacéa em 1951. Em seguida, nasceram os filhos Helo, Ana e Áurea Maria, que é pastora da Velha Guarda e membro do Conselho Deliberativo da escola. A partir de 1970, dona Neném viu o quintal de sua casa, na Rua Dutra e Melo (atual Compositor Manacéa), transformar-se em um ponto de encontro dos bambas da Azul e Branco para ensaios, rodas de samba e gravações. O sucesso da canção "Quantas Lágrimas", gravada no primeiro disco da Velha Guarda, "Portela, Passado de Glória", em 1970, e depois por Cristina Buarque, em 1974, trouxe reconhecimento ao grande compositor Manacéa, que iniciara sua história gloriosa na escola bem antes, ao vencer sambas-enredos na década de 1940. O presidente Luis Carlos Magalhães, o vice-presidente Fábio Pavão e toda a diretoria da Portela lamentam profundamente o falecimento de dona Neném e se solidarizam com seus familiares e amigos.

Uma publicação compartilhada por Portela (de ) (@oficialportela) em

CarnaUOL