Topo

CarnaUOL

Blocos de rua


"A gente quer ser chupada gostoso", diz cantora de bloco em Belo Horizonte

A cantora Michelle Andreazzi defendeu prazer da mulher e condenou assédio no desfile do bloco Então Brilha em BH - Nereu Jr/UOL
A cantora Michelle Andreazzi defendeu prazer da mulher e condenou assédio no desfile do bloco Então Brilha em BH Imagem: Nereu Jr/UOL

Miguel Arcanjo Prado

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

10/02/2018 17h00

A cantora Michelle Andreazzi fez um discurso em defesa da mulher contra o assédio e pelo prazer feminino no sexo. A fala ocorreu durente o desfile do bloco Então Brilha, em Belo Horizonte.

Um dos maiores da capital mineira, o bloco arrastou 100 mil pessoas desde as primeiras horas da manhã e até o meio-dia deste sábado (10) entre a rua Guaicurus e a praça da Estação, na região central de BH.

Boa parte da multidão nas cores rosa e amarelo, além de purpurina cobrindo boa parte do corpo. Michelle Andreazzi fez aguerrido discurso, que foi bastante aplaudido pelos foliões.

"Quando o taxista passa devagarzinho do meu lado me paquerando eu tenho medo de ser estuprada. Por isso, meu amigo, meu parceiro, nós somos contemporâneos, me respeite. O não é não", bradou.

A cantora prosseguiu: "Mas a gente quer amar, a gente quer carinho, a gente quer afeto, a gente quer ser chupada gostoso. Por favor! Lembre-se de uma palavrinha mágica: clitóris. Como é que chama gente? Clitóris. E para que o clitóris serve? Para gozar!".

Cantor Gustavito afastado após acusação de assédio

Cheio de purpurina rosa e amarela, Bloco Então Brilha coloriu centro de BH com 100 mil pessoas neste sábado (10) - Nereu Jr/UOL
Cheio de purpurina rosa e amarela, Bloco Então Brilha coloriu centro de BH com 100 mil pessoas neste sábado (10)
Imagem: Nereu Jr/UOL
A fala de Michelle Andreazzi condenando o assédio masculino acontece poucas semanas após o bloco afastar seu cantor desde a fundação em 2010, o músico mineiro Gustavito.

Gustavito foi acusado no ano passado nas redes sociais por uma mulher de a ter assediado sexualmente. O relato, feito em detalhes de forma anônima nas redes sociais, comoveu as mulheres do bloco, que exigiram o afastamento do cantor.

O músico nega as acusações nas redes sociais e afirma que luta na Justiça para provar sua inocência. "Basta de mentiras! O que aconteceu em 2017 foi uma calúnia e estou movendo uma ação na justiça contra a pessoa responsável. Sigo com a consciência tranquila e lamento por todas as formas de violência", declarou o músico em sua rede social.

Mesmo assim, até o veredito judicial, o bloco resolveu por bem afastar o cantor. Desta forma, Gustavito não esteve no Então Brilha neste Carnaval de BH 2018.

Corda, aperto e empurrões

Este foi o primeiro ano que o Então Brilha utilizou trio elétrico com cordas, que reservaram boa parte da avenida do Contorno para o trio, a ala coreografada, uma ala de inclusão social, a bateria e seletos convidados.

Muitos foliões reclamaram dos empurrões dados pela equipe responsável pela corda, espremendo muitas vezes a multidão. Um folião chegou a agredir um "cordeiro", fazendo com que o bloco parasse e a cantora Michelle Andreazzi discursasse outra vez.

Em resposta às acusações de que o bloco estaria se tornando elitista, segundo a cantora, a corda não seria para fazer "camarote ou área VIP" em pleno espaço público, mas, sim, por uma questão técnica de segurança para o desfile do bloco, agora com trio.

Fato é que enquanto a maioria se apertava, poucos eleitos desfilavam com todo o espaço do mundo dentro da corda.

Descompasso no trio e muitas pausas

Apesar do trio inédito, o Então Brilha ainda ficou devendo no quesito musical, exceto a bateria comandada pelo talentoso mestre e percussionista Di Souza.
O trio ainda não supriu a necessidade de potência musical que um bloco de 100 mil pessoas exige.

Pareceu também muitas vezes faltar fôlego aos vocalistas durante o desfile, já que houve muitas pausas, quebrando o fluxo do bloco. A bateria, no chão, ficou muitas vezes em descompasso com a banda e os vocalistas, no alto do trio. Muitas vezes também os vocalistas não conseguiam encontrar o tom certo das canções.

Mas os milhares de animados foliões do Então Brilha ajudaram o bloco a não perder o fio da meada dos axés entoados por todos, grande parte deles hits da década de 1990.

Entre os cantores que soltaram a voz quem mais se destacou foi Rubens Aredes, por sua voz potente e demonstração de técnica e afinação mesmo nos momentos mais complicados do bloco.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor