PUBLICIDADE
Topo

Olimpíadas, dia 4: ouro de Ítalo, bronze de Scheffer e Scheidt na briga

Jonne Roriz/COB
Imagem: Jonne Roriz/COB

Colaboração para o UOL, em São Paulo

27/07/2021 11h20

A terça-feira teve mais duas medalhas para o Brasil, inclusive o primeiro ouro, que veio no surfe, com Ítalo Ferreira. As águas japonesas, aliás, foram o palco de outros momentos quentes do quarto dia de competições nos Jogos Olímpicos Tóquio-2020. A praia de Tsurigasaki viu notas polêmicas nas baterias de Gabriel Medina, enquanto a raia olímpica de Enoshima teve um Robert Scheidt consistente e que entrou de vez na briga pelas medalhas.

A jornada teve ainda uma medalha de bronze na natação, com Fernando Scheffer, e uma zebra grande no tênis, com Naomi Osaka foi eliminada nas oitavas de final. Quer saber o que mais aconteceu de importante? Role a página e fique por dentro do que aconteceu na madruga!

Surfe: Ítalo Ferreira é ouro

Saiu a primeira medalha de ouro do Brasil em Tóquio-2020. O mérito é do potiguar Ítalo Ferreira, que teve um dia quase perfeito e tornou-se também o primeiro campeão olímpico do surfe masculino. Primeiro, nas quartas de final, Ítalo bateu o japonês Hiroto Ohhara por 16,30 a 11,90, conseguindo a melhor onda da competição (9,73). Mais tarde, nas semifinais, venceu uma apertada bateria contra o australiano Owen Wright: 13,17 a 12,47. Por fim, na decisão, mesmo tendo uma prancha quebrada nos primeiros minutos, dominou o japonês Kanoa Igarashi por 15,14 a 6,60

Por pouco, o Brasil não saiu da praia de Tsurigasaki com duas medalhas. Nas semifinais, Gabriel Medina esteve perto de derrotar Igarashi, mas viu o japonês conseguir uma nota 9,33 para virar a bateria e colocar 17,00 a 16,76 no placar. Depois disso, o mar não ajudou, e o brasileiro não conseguiu mais nenhuma onda boa. Depois, na disputa do bronze, Medina perdeu outra bateria apertada: 11,97 a 11,77 para o australiano Owen Wright.

Nas duas derrotas, houve muitas queixas sobre as notas supostamente generosas dadas aos adversários de Medina. A esposa do atleta, Yasmin Brunet, disse que o marido foi "roubado na cara dura" e pediu que o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) fosse cobrado após as derrotas. Pouco depois, Yasmin teve sua live no Instagram derrubada.

Yasmin disse que Medina foi roubado na cara dura e pediu que o COB fosse cobrado. Depois teve a live derrubada.

Silvana Lima também entrou na água nesta terça, mas foi superada pela americana Carissa Moore, atual líder do Circuito Mundial. A favorita somou 14,26 pontos contra 8,30 da brasileira. Após a eliminação, Silvana anunciou que casará com sua namorada, a empresária Juliana Souza, que ficou no Brasil.

scheffer - Odd ANDERSEN / AFP - Odd ANDERSEN / AFP
Imagem: Odd ANDERSEN / AFP

Natação: Scheffer é bronze nos 200m livre

A primeira medalha brasileira desta terça-feira veio com Fernando Scheffer nos 200m livre. Nadando na raia oito, ele completou a prova em terceiro, nadando para 1min44s66, apenas 0s44 atrás do britânico Tom Dean (1min44s22), que conquistou o ouro. A prata ficou com Duncan Scott (1min44s26), também do Reino Unido.

O Brasil não conquistava uma medalha nos 200m livre há 25 anos - desde Gustavo Borges em Atlanta-1996. Coube ao gaúcho Scheffer, que esteve entre os três primeiros desde o início da prova, encerrar o jejum.

Scheffer foi um dos atletas que precisou reinventar métodos de treinamento para não perder ritmo. Sem conseguir treinar no seu clube, o Minas Tênis, o gaúcho de 23 anos montou um espaço dentro de sua própria casa para manter a forma e chegou a nadar em um açude. Veja aqui.

Nos 200m borboleta, Leonardo de Deus terminou em segundo lugar na sua semifinal e vai largar na raia 5 na final da prova, marcada para a noite desta terça (horário de Brasília). O brasileiro nadou para 1min54s97 e ficou atrás apenas do húngaro Kristif Milak, que anotou 1min52s22. Natural de Campo Grande (MS), o atleta de 30 anos é o segundo brasileiro a chegar a uma final olímpica nos 200m borboleta. O anterior foi Kaio Márcio Almeida, sétimo colocado em Pequim-2008.

Guilherme Costa - Satiro Sodré/SSPress/CBDA - Satiro Sodré/SSPress/CBDA
Imagem: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Mais natação: outras duas finais para o Brasil

Nas eliminatórias da natação realizadas na manhã desta terça-feira (27), o Brasil se classificou para mais duas finais.

Nas provas individuais, Guilherme Costa deu a volta por cima após sua frustração pessoal de não avançar à disputa de medalha nos 400m livre, e passou entre os oito melhores nos 800m livre. Ele marcou o tempo de 7min46s09, e foi o quinto melhor ranqueado. O mais rápido foi o ucraniano Mykhailo Romanchuk, com a marca de 7min41s28. A final será na quarta-feira (28), às 22h30 (horário de Brasília).

A outra classificação brasileira veio no revezamento 4x200m livre masculino. O quarteto formado por Fernando Scheffer, Luiz Altamir, Breno Correia e Murilo Sartori ficou com a oitava e última vaga na disputa de medalha, com o tempo de 7min07s73. O time mais veloz foi a favorita Grã-Bretanha, com 7min03s25. A final acontecerá na madrugada desta quarta-feira (28), às 0h26 (horário de Brasília).

scheidt - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

Vela: Scheidt pula para terceiro

O dia teve três regatas na classe Laser, e Robert Scheidt teve duas ótimas apresentações que lhe fizeram subir da oitava para a terceira colocação na classificação geral. O bicampeão olímpico somou um terceiro , um 17º e um 5º lugares nesta terça-feira e agora, já contando o descarte do 15º lugar, acumula 33 pontos após seis das dez regatas que serão disputadas antes da medal race. Scheidt não venceu nenhum regata, mas sua consistência vem dando resultados. O brasileiro terminou o primeiro dia em 11º e estava na oitava colocação antes das três regatas de hoje.

A liderança da classe agora é do cipriota Pavlos Kontides, que venceu duas regatas nesta terça e agora tem apenas 18 pontos. A segunda posição pertence ao australiano Matt Wearn, com 27.

Angelina Melnikova, ginástica artística da Rússia - REUTERS/Mike Blake - REUTERS/Mike Blake
Imagem: REUTERS/Mike Blake

Ginástica: drama de Biles, e ouro da Rússia

A saída da estrela americana Simone Biles em plena final por equipes na ginástica artística feminina roubou a cena na manhã desta terça-feira (27) em Tóquio. A multimedalhista olímpica e mundial deixou a competição logo após sua performance no salto, em que realizou uma aterrisagem imperfeita e por pouco não caiu. O episódio foi envolto em mistério, já que a federação americana de ginástica, no Twitter, relatou apenas que a atleta foi substituída por Jordan Chiles por "questões médicas", sem dar mais detalhes. Biles passou a ser dúvida para a final do individual geral, nesta quinta-feira.

Quem se aproveitou da ausência de Biles foi a equipe da Rússia, que conquistou a medalha de ouro, com o quarteto formado por Liliia Akhaimova, Viktoriia Listunova, Angelina Melnikova e Vladislava Urazova. Os Estados Unidos de Simone Biles faturou a prata, e a Grã-Bretanha ganhou o bronze.

Brasil, futebol feminino - Mike Ehrmann/Getty Images - Mike Ehrmann/Getty Images
Imagem: Mike Ehrmann/Getty Images

Futebol: Brasil avança e se livra de americanas

Com uma vitória magra de 1 a 0 sobre a Zâmbia na manhã desta terça-feira (27), com gol de falta marcado por Andressa no primeiro tempo, o Brasil terminou na segunda posição no Grupo F do futebol feminino, com sete pontos conquistados. A liderança ficou com a Holanda, que somou a mesma pontuação, após o time golear a China por 8 a 2.

O fato de ficar em segundo lugar na chave, porém, não pode ser encarado como algo ruim. Desta forma, o Brasil se livrou de um difícil confronto contra os Estados Unidos, atuais campeãs do mundo, nas quartas de final.

O adversário brasileiro será o Canadá, na sexta-feira (30), às 5h (horário de Brasília). Coube à Holanda duelar com as americanas na próxima fase, no que será justamente a reedição da final da última Copa do Mundo feminina, realizada em 2019.

Brasil, vôlei feminino - Valentyn Ogirenko/Reuters - Valentyn Ogirenko/Reuters
Imagem: Valentyn Ogirenko/Reuters

Vôlei: vitória apertada no feminino

Em um jogo bastante equilibrado e decidido apenas no tie break, a seleção brasileira feminina de vôlei conseguiu sua segunda vitória em duas partidas realizadas em Tóquio. A equipe treinada por José Roberto Guimarães, que celebrou o aniversário de 40 anos da central Carol Gattaz, comemorou também o triunfo por 3 sets a 2 sobre a República Dominicana. As parciais foram de 22/25, 25/17, 25/13, 23/25 e 15/12.

Com o resultado, o Brasil ocupa a segunda posição no Grupo A, com cinco pontos. A Sérvia lidera, com seis. A próxima partida da seleção feminina será às 7h40 de quinta-feira (29), contra o Japão.

Hugo Calderano - REUTERS/Luisa Gonzalez - REUTERS/Luisa Gonzalez
Imagem: REUTERS/Luisa Gonzalez

Tênis de mesa: Calderano entre os oito melhores

Esperança de medalha no tênis de mesa para o Brasil, Hugo Calderano classificou-se na manhã desta terça-feira (27) para as quartas de final da competição masculina individual. Após eliminar o esloveno Bojan Tokic por 4 sets a 1 na rodada anterior, com parciais de 13/11, 11/7, 7/11, 11/9 e 12/10, o carioca de 25 anos superou de virada nas oitavas de final o sul-coreano Woojin Jang, por 4 a 3 (parciais de 11/7, 9/11, 6/11, 11/9, 4/11, 11/5 e 11/6).

Calderano jogará por uma vaga na semifinal nesta quarta-feira (28), às 9h (horário de Brasília), contra o alemão Dimitrij Ovtharov.

Quem não teve a mesma sorte foi Gustavo Tsuboi, derrotado nas oitavas de final por Yun Ju Lin, de Taiwan. O brasileiro perdeu por 4 a 2, parciais de 11/5, 11/7, 11/2, 9/11, 9/11 e 13/11, e disse adeus ao torneio individual masculino.

Handebol: Seleção feminina bate a Hungria

Depois de um empate com o time russo na estreia, a Seleção feminina de handebol derrotou a Hungria por 33 a 27 nesta terça-feira. O resultado colocou o time verde-e-amarelo provisoriamente a liderança do Grupo B, mas a Suécia retomou a dianteira ao superar o Bahrein por 32 a 31.O Brasil agora ocupa a segunda colocação, com 3 pontos em dois jogos. Atrás vêm a França (dois pontos, um jogo), o time do Comitê Russo (um ponto em dois jogos), a Hungria (duas derrotas em dois jogos) e a Espanha (um jogo e um revés). Os quatro primeiros classificados avançam às quartas de final e enfrentarão os quatro primeiros do Grupo A, que, por enquanto, é liderado por Holanda, Noruega, Montenegro e Japão.

Tênis: Osaka dá adeus; Djokovic pega brasileiros

osaka - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images
A cada dia que passa, mais candidatos ao ouro caem de forma precoce no Torneio Olímpico de Tênis. Nesta terça-feira, foi a vez de Naomi Osaka, número 2 do mundo e tinha status de superfavorita especialmente após as derrotas de Ashleigh Barty, número 1 do mundo, e Aryna Sabalenka, número 3. Pois a japonesa se despediu nas oitavas de final. Em uma tarde para esquecer, cometendo muitos erros, Osaka foi superada pela tcheca Marketa Vondrousova, #42 do mundo, por 6/1 e 6/4.

O tombo da japonesa, contudo, não foi a única zebra do dia. Karolina Pliskova, (#7) cabeça de chave 5 em Tóquio e vice-campeã de Wimbledon, foi eliminada pela italiana Camila Giorgi (#61): 6/4 e 6/2.

A terça-feira tenística também teve a definição da chave de duplas mistas. O Brasil tinha inscrito duas parcerias, mas apenas o time formado por Marcelo Melo e Luisa Stefani conseguiu vaga na chave. O sorteio, porém, não foi tão bom assim para eles. Na estreia, Marcelo e Luisa vão enfrentar Novak Djokovic e Nina Stojanovic, da Sérvia. Os primeiros jogos da modalidade serão realizados nesta quarta-feira, dia 28.

Judô: mais um dia sem medalhas

A expectativa por mais uma medalha no judô não se confirmou. Na categoria até 63kg, Ketleyn Quadros começou sua participação com uma vitória por WO - a hondurenha Cergia Guity foi cortada por não bater o peso para competir - e, em seguida, superou Gankhaich Bold, da Mongólia, pelas oitavas de final. Nas quartas, porém, foi superada pela canadense Catherine Beauchemin-Pinard, que aplicou dois wazaris. Ketleyn ainda teve uma chance na repescagem e precisava vencer uma luta para alcançar a disputa do bronze, mas não teve sucesso. Perdeu para a holandesa Juul Franssen.

Na categoria até 81kg para homens, Eduardo Yudy não passou da estreia e tombou diante do israelense Sagi Muki.

Vôlei de praia: dia de altos e baixos

Evandro e Bruno Schmidt seguem invictos em Tóquio. Nesta terça, a parceria venceu sem problemas a dupla marroquina formada por Abicha e Elgraoui: 21/14 e 21/16. O resultado garante classificação para as oitavas, e o próximo passo é o jogo contra os poloneses Bryl e Fijalek, que também venceram seus dois confrontos anteriores. Quem vencer o duelo marcado para sexta-feira fica com o primeiro lugar do Grupo E.

O dia também trouxe a primeira derrota brasileira na praia. Alison e Álvaro foram superados pelos norte-americanos Lucena e Dalhausser: 24/22, 19/21 e 15/13. O resultado deixa o Grupo D indefinido. Alison e Álvaro decidem sua sorte na quinta-feira, às 10h (de Brasília), contra os holandeses Brouwer e Meeuwsen.

Na manhã desta terça-feira, o vôlei de praia nacional fechou a jornada com mais uma derrota. Ágatha e Duda, líderes do ranking mundial, foram superadas pelas chinesas Wang e Xia por 2 sets a 0, com parciais de 21/18 e 21/14. As brasileiras ocupam agora a terceira posição no Grupo C, com três pontos, com as asiáticas em primeiro, com quatro. As próximas adversárias serão as vice-líderes, as canadenses Brandie e Bansley, na quinta-feira (29), na última rodada da primeira fase.

Triatlo: brasileiras fora do top 20

A melhor brasileira no triatlo feminino foi Vittoria Lopes, que concluiu a prova no 28º lugar, 7min33 atrás da medalhista de ouro, a atleta Flora Duffy, de Bermudas, que cruzou a linha final em 1h55min36. A outra brasileira na prova, Luisa Baptista, ficou em 32º lugar.

Georgia Taylor-Brown (1h56min50), da Grã-Bretanha, ficou com a prata. Katie Zaferes (1h57min03), dos Estados Unidos, completou o pódio.

Tufão adia provas

O mau tempo, com chuva, vento forte e até a possibilidade de um tufão chamado Nepartak, forçou algumas modalidades a mudarem suas programações. Enquanto o surfe antecipou suas baterias, remo e tiro com arco adiaram disputas para quarta-feira (dia 28). No tiro com arco, Marcus Vinícius vai enfrentar o britânico Patrick Huston, pelo individual masculino, na madrugada do dia 28, por volta de 1h24 (de Brasília). Já Ane Marcelle terá que esperar ainda mais. Ela encara a mexicana Ana Vazquez às 5h57 (de Brasília) do dia 29 pelo individual feminino.