PUBLICIDADE
Topo

Bronze em Pequim, Ketleyn deixa Tóquio sem pódio no judô: "Cabeça erguida"

Ketleyn Quadros perdeu na repescagem do judô e desperdiçou a chance de disputar o bronze em Tóquio - Lara Monsores / CBJ
Ketleyn Quadros perdeu na repescagem do judô e desperdiçou a chance de disputar o bronze em Tóquio Imagem: Lara Monsores / CBJ

Demétrio Vecchioli

Do UOL, em Tóquio

27/07/2021 05h38

A brasileira Ketleyn Quadros, de 33 anos, perdeu sua luta na repescagem do judô até 63kg para a holandesa Juul Franssen e desperdiçou a oportunidade de disputar uma medalha de bronze nas Olimpíadas de Tóquio. Ela sofreu uma imobilização por 20 segundos, tempo limite para o encerramento do duelo.

Porta-bandeira do Brasil na cerimônia de abertura dos Jogos e bronze em Pequim-2008, Quadros garantiu que sai da competição de cabeça erguida.

"É muito rápido para avaliar, mas aqui quem acerta é por mérito. Saio de cabeça erguida e muito grata a Papai do Céu, pois só cheguei onde cheguei por causa dele, por causa das pessoas que me apoiam, ao meu clube, que confia em mim e acredita no meu trabalho. É óbvio que fizemos por onde para merecer a medalha, mas o judô é isso, não tem o que justificar. Acontece que um dia alguém tem que ser melhor e hoje o detalhe não estava a meu favor", declarou à TV Globo, complementando:

"Estou muito feliz por ter dado meu máximo e triste por ter ficado no quase. Não tem muito o que explicar da competição, entram 33 atletas e só quatro sobem ao pódio. Quero aproveitar e mandar um beijão para todo o Brasil pelo carinho que recebi. É importante o reconhecimento de uma vida inteira voltada ao esporte".

Perdeu para canadense nas quartas

Ketleyn Quadros já havia sido derrotada nas quartas de final, por ippon, para a canadense Catherine Beauchemin-Pinard.

Anteriormente, nas oitavas, a brasileira superou Gankhaich Bold , da Mongólia, ao aplicar dois wazaris, o que pelas, regras, se tornam um ippon.

Em sua primeira luta do dia a vitória veio por W.O., já que sua adversária, a hondurenha Ceglia David não compareceu ao tatame para o duelo por questões físicas.

Yudi foi eliminado na primeira rodada

No masculino, o brasileiro Eduardo Yuri, da categoria até 81kg, foi eliminado na primeira rodada pelo israelense Sagi Muki, campeão mundial de 2019 e cabeça de chave número 2 da competição. O judoca levou um ippon com menos de um minuto de combate.

Judô é soberano no Brasil em Olimpíadas

Apesar do dia ruim, o judô segue sendo soberano como o esporte com o maior número de medalhas na história do Brasil nas Olimpíadas. São 23 no total até aqui, sendo quatro ouros, três pratas e 16 bronzes.

Nas Olimpíadas de Tóquio, a modalidade levou um bronze até o momento com o gaúcho Daniel Cargnin, de 23 anos, na categoria até os 66kg.