PUBLICIDADE
Topo

Blocos de rua

Maracatus rurais fazem a festa em Olinda, na segunda de Carnaval

Mateus Araújo

Colaboração para UOL, em Olinda

12/02/2018 18h48

Em meio à folia olindense, uma tradição se renova a cada ano, sob a beleza reluzente dos mantos de caboclos de lança: a 28ª edição do Encontro de Maracatu Rural, nesta segunda (12), reuniu centenas de pessoas para assistir à apresentação de 40 grupos de cultura popular nordestina. 

“São homens e mulheres que mantêm viva a tradição popular”, conta o brincante e bailarino Pedro Salustiano, um dos organizadores do evento. Neste ano, a festa rememora o mestre Salustiano, que morreu há 10 anos.

Salu, como é conhecido em Pernambuco, foi um dos símbolos da cultura popular no Estado, responsável pela visibilidade e valoração do folguedo surgido na zona da mata norte. “Aqui, quando a gente fala de Carnaval, fala de paixão”, explica Pedrinho, que é filho do mestre Salustiano. 

A beleza e a tradição dos maracatus rurais perpassam gerações, como é o caso dos caboclos Lucas, 5 anos, e Daniel, 9, do Gavião Misterioso. Eles encantavam o público com a destreza e o amor pelo folguedo. 

A funcionária pública paulistana Clarissa Peres Silva foi pela primeira vez ao encontro dos maracatus rurais, em Olinda, e achou linda a experiência. “É um evento que representa a tradição afro e valoriza ela. O que é muito importante para preservar”, conta. 

Essa foi a 28ª edição da festa, criada por mestre Salustiano. Grupos de Pernambuco, Ceará e Paraíba participaram do evento, que também teve a presença de caboclinhos, folguedo ligado à tradição indígena.