PUBLICIDADE
Topo

Blocos de rua

Astronauta troca botas por chinelos em bloco de Belo Horizonte

Zirlene Lemos

Colaboração para o UOL

12/02/2018 23h23

Em seu segundo ano no carnaval em Belo Horizonte, o bloco Havayanas Usadas iniciou seu desfile ao som de "Assim falava Zaratrusta" com uma performance onde um astronauta se erguia do meio da bateria e trocava suas botas por chinelas.

O bloco trouxe como uma das convidadas a sambista paulista Fabiana Cozza, pela primeira vez cantando na festa momesca da capital mineira. Antes de subir no trio elétrico, a cantora saiu no meio da bateria Chinelada, composta por 170 ritmistas, sendo quase metade mulheres. 

Cozza ressaltou o protagonismo feminino no Carnaval da capital. "BH tem a primeira bateria feminina que é a Imperatriz só com mulheres na bateria. O carnaval de BH é um lugar de pensar inclusive quais bandeiras a gente quer levantar”.

A multidão de foliões (segundo informações da organização, mais de 200 mil pessoas) acompanhou todo o percurso cantando sucessos do axé dos anos 1980 e 1990, da Banda Mel, passando por Daniela Mercury e Netinho.

O desfile, que trouxe como tema "Chineláctea – a viagem do chinelo espacial" teve criação artística do músico, ator e performer mineiro Marcelo Veronez, e a inspiração veio da escuta do repertório do grupo, a partir da música Eva, um clássico do carnaval baiano. 

A letra fala da busca da pequena Eva por um novo mundo após a destruição da terra, “o que para os membros do bloco representa o atual cenário político pelo qual o País passa, marcado por desrespeitos e intolerâncias”, ressaltou Veronez.

Outro convidado que deu um colorido diferente ao desfile foi o músico mineiro Barulhista. Premiado por trilhas em cinema e teatro, ele foi o responsável pela incorporação de timbres incidentais que trouxeram a sonoridade do espaço sideral ao repertório executado com maestria pela Bateria Chinelada.