PUBLICIDADE

Topo

Podcast

Sexoterapia

A sexóloga Ana Canosa e a jornalista Marina Bessa conduzem o papo sobre sexo e relacionamento.


Sexoterapia #17: "Estou apaixonado, mas estamos impedidos de nos ver"

De Universa

17/04/2020 04h00

Daniel John* está namorando à distância desde janeiro. Os encontros presenciais, que aconteciam de 15 em 15 dias, foram atrapalhados pela pandemia do novo coronavírus. "Vivo com meus pais em Portugal, e como não sou assumido para eles, não foi possível me juntar ao meu namorado na quarentena. Neste momento, a nossa convivência física está como a dos restaurantes: suspensa por prazo indeterminado e sem direito a entrega", contou ao podcast Sexoterapia. Daniel diz que, apesar do afastamento e das incertezas provocadas por ele, o companheirismo do casal se acentuou nesse período. "É uma oportunidade de conhecer melhor quem a gente ama", afirma.

Segundo a sexóloga Ana Canosa, essa distância imposta, de fato, pode ter o lado positivo de nos ajudar a fazer um investimento emocional maior. "A gente, como sociedade, não está mais acostumado a investir nossa curiosidade sobre o outro por muito tempo Criamos expectativa por um período curto, para que, se houver, a frustração já venha logo", afirma. Além disso, segundo a especialista, situações estressoras, como a de isolamento social, nos deixa muito vulneráveis, e isso tende a aproximar as pessoas, ainda que estejam distantes fisicamente. "Dividir esses momentos difíceis faz com que a intimidade aumente", explica.

Nunca te vi, sempre te amei

Mas o fato é que a facilidade de conhecer muita gente em pouco tempo pela internet fez as pessoas esquecerem como é demorar meses para encontrar um crush. A maquiadora e influenciadora digital Fabi Gomes está passando por isso. Ela conheceu um cara por meio de um aplicativo durante a quarentena, engataram um romance online, mas não fazem ideia de quando irão se ver ao vivo.

"A falta de contato físico, e o excesso de contato pela tela são bem desafiadores. Isso acaba dando espaço para muitas coisas virem à tona, como sofrimento, dor, e angústia", diz a maquiadora. Sem contar a insegurança sobre a química sexual. "A gente fala muito sobre sexo, é quase um exercício literário, mais do que visual. Essa coisa de descrever cenários e situações é muito erótica e pode ser bem excitante", afirma.

Ana reforça que a insinuação por meio de palavras pode ser até mais excitante do que trocar fotos e vídeos para alguns casais, mas diz que essas ferramentas também ajudam a enfrentar a falta de contato físico, assim como acessar vídeos eróticos e fantasias juntos. "Lembrando que é preciso tomar alguns cuidados para não ter a intimidade exposta na internet, principalmente quando se tratam de pessoas que não se conhecem bem", aconselha.

* O nome é fictício, trocado para preservar a identidade do personagem.

Acompanhe o Sexoterapia

Amor e sexo em tempos de pandemia é o tema do décimo sétimo episódio do podcast Sexoterapia, um espaço criado por Universa para falar de sexo e relacionamento.

Nesse episódio, as apresentadoras Marina Bessa, editora chefe de Universa, e Ana Canosa, sexóloga, recebem a maquiadora e influenciadora Fabi Gomes. Sexoterapia está disponível no UOL, no Youtube de Universa e nas plataformas de podcasts, como Spotify, Apple Podcasts, no Castbox e Google Podcasts.

Sexoterapia