PUBLICIDADE

Topo

Horóscopo

Janeiro de 2021: Sol e Júpiter assinalam bom período para a saúde pública

Barbara Abramo

De Universa

01/01/2021 00h00

Depois de um ano tão difícil e triste como 2020, tudo o que queremos é norteamento, esperança e um mínimo de segurança, certo? Mas será que os astros confirmam nossa expectativa? Sem dúvidas, o que podemos esperar em janeiro são algumas surpresas. Afinal, a trajetória dos planetas revela que ainda há muito a ser esclarecido antes de traçarmos um caminho mais certo para o futuro.

Com Mercúrio formando diversos aspectos importantes nos primeiros dez dias do mês, podemos esperar esclarecimentos, notícias e revelações - algumas delas poderão agitar o cenário social no mundo. No Brasil, as coisas podem ser um tanto mais difíceis, pois haverá choque e discussão entre poderes e poderosos. Como sempre, quem paga a conta é a população, que estará submetida a esse movimento bastante crítico. Como astro mensageiro, Mercúrio também anuncia, entre os dias 6 e 12, novas regras que afetarão a sociedade, além de movimento nas Câmaras e decisões no Senado - tudo em conflito com o Executivo.

Já a lunação em Capricórnio, que acontece no dia 13, ativa Plutão, intensificando a necessidade de transformação, esclarecimento e busca por segurança em termos econômicos, sociais e políticos, principalmente no que diz respeito às questões da pandemia. Urano retoma seu movimento direto no dia 14, sinalizando mudanças em padrões e valores.

As moedas que até agora eram consideradas fortes também poderão sofrer abalos a partir de então, como indicado por Marte. Em Touro desde o dia 6, o planeta guerreiro forma conjunção com Urano entre os dias 10 e 28, estabelecendo um período mundial de oscilações nos mercados, nas moedas e no comércio de itens básicos. Marte vai caminhando também para um aspecto tenso com Júpiter, que vigora de 7 a 23. No campo político, divergências de direcionamento no campo da economia estarão em alta.

Os aspectos astrológicos tensos de janeiro também evocam fenômenos climáticos e geológicos mais fortes ao redor do mundo. Marte, Júpiter, Saturno e Urano em conflito astral denotam um mês repleto de alterações na natureza, na atmosfera e na Terra como um todo. De 10 a 28 serão dias mais sensíveis nesse sentido. Em especial, Júpiter e Saturno formam tensão com Urano, reforçando a ideia de mudanças drásticas de adaptação a um mundo cada vez mais surpreendente e imprevisível.

Como se vê, janeiro será um mês recheado de aspectos fortes e importantes. Porém, Sol e Saturno trazem um pouco de lucidez, responsabilidade e foco quando formam conjunção, no dia 18. Durante o trânsito, que vai até o dia 28, a precaução, o diálogo e a ciência devem prevalecer sobre o caos e a indeterminação. No final da tarde do dia 19, o Sol entra em Aquário levando o foco para o poder do diálogo e da reunião de forças.

Mais para o final do mês, com a proximidade da Lua cheia em Leão, que acontece no dia 28, um clima mais enérgico se espalha pelo país, com novidades sobre acordos comerciais ou decisões ligadas a leis. Mercúrio entra em retrogradação no dia 30, pedindo e proporcionando a reavaliação de contratos e acordos. Já entre 24 e 31, problemas econômicos com Vênus e Plutão se alternam com alguns exageros.

Sobre saúde pública, ciência, vacinas e pandemia, valem algumas observações. A formação astral entre Sol e Netuno, que acontece de 6 a 12 de janeiro, promete novas leis e regras. Será um momento positivo para o mundo e também para o Brasil. Para completar o cenário, Mercúrio e Júpiter em boa relação astral anunciam esperanças do dia 8 ao dia 14. Novas descobertas e soluções, além de resultados promissores de pesquisas, devem surgir entre 11 e 15. Já entre 22 e 28, Sol e Júpiter assinalam um bom período para a saúde pública, com decisões sobre vacinação, inclusive. Aguardemos!

Horóscopo