PUBLICIDADE

Topo

Alto Astral

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Sinastria: entenda o que é e como ela pode ajudar na sua vida amorosa

Claudia Dias

Colaboração para Universa

19/07/2021 04h00

Em Romance nas Estrelas, o novo programa de MOV, a produtora de vídeos do UOL, a influenciadora Any Borges passa por uma maratona de dates, e tem seu mapa astral — e dos pretendentes — analisado pela astróloga Marcia Fernandes. A especialista também se baseia na sinastria para ajudar a ariana Any e encontrar seu par ideal.

"Sinastria é um termo grego que designa 'simpatia entre astros', numa tradução livre. Significa encontrar pontos em comuns entre mapas astrais", resume Barbara Abramo, astróloga de Universa. A análise do céu no momento de nascimento de ambas as pessoas pode trazer respostas para várias questões que envolvem um casal.

Com a sinastria, é possível identificar a compatibilidade e a atração sexual, o entrosamento familiar, as expectativas sobre casamento e vida a dois, os objetivos espirituais e filosóficos. "Ainda mostra objetivos de carreira, também importantes, porque às vezes podem gerar conflito", acrescenta Barbara.

Benefícios para o casal

Assim, se o par quer reforçar os pontos que fluem e superar atritos, a sinastria é ótima, pois ajuda cada um a se conhecer e a respeitar as diferenças mútuas.

Quando há vontade de manter a relação, a sinastria pode ser bem produtiva
Barbara Abramo, astróloga

Com as informações levantadas, os dois podem - ou melhor, devem - focar nos pontos que fluem e são positivos. Da mesma forma, precisam trabalhar as dificuldades e diferenças com boa vontade, humor e elasticidade.

Tanto que o momento ideal para se submeter à sinastria, segundo a astróloga, é quando surgem atritos e dificuldades e o casal não quer abrir mão da relação, buscando maneiras para superá-los. "Outra bom momento é quando ambos querem dar um passo mais sério e saber quais as dificuldades e facilidades que devem manejar", ensina Barbara.

Como análise é feita

A sinastria ocorre com a análise do mapa astral das duas pessoas envolvidas na relação. Por isso, saber todos os detalhes sobre o nascimento (local e horário exato, por exemplo) é importante para que a interpretação seja completa.

"Romance nas Estrelas": Any Borges recebe a ajuda de Marcia Fernandes para encontrar seu par ideal - Mariana Pekin/UOL - Mariana Pekin/UOL
"Romance nas Estrelas": Any Borges recebe a ajuda de Marcia Fernandes para encontrar seu par ideal
Imagem: Mariana Pekin/UOL

Porém, mesmo que alguns detalhes sejam desconhecidos por um ou outro, ainda é possível fazer a sinastria. "A falta de informações dificulta, sim, mas sabendo pelo menos em que parte do dia nasceu, já dá para aproximar", afirma Barbara.

Os dados são importantes para definir a posição de astros e planetas. Nesse contexto, as informações sobre a Lua são muito importantes, já que ela representa a intimidade e a necessidade de acolhimento e a emoção. "Não identificar o Ascendente também atrapalha saber, com clareza, o que a pessoa espera de um relacionamento", comenta a especialista.

Além da Lua, que está relacionada à vida na intimidade e à maneira de cuidar e querer ser cuidado, o Sol é bastante observado, já que ilustra a criatividade e o brilho das duas pessoas e como cada uma pode enriquecer a vida da outra.

Vênus e Marte, por sua vez, apontam atração. O planeta vermelho ainda importa porque mostra a maneira que os dois procuram se afirmar e vencer desafios, enquanto indivíduos. Júpiter, enquanto isso, fala de esperanças e visão de vida.

Resultado não é determinante

Se a sinastria aponta que o futuro não inclui muita harmonia para o casal, isso é motivo para dizer "adeus"? De jeito nenhum! "Se o resultado for harmônico ou desarmônico, o que decide a parada é a disposição, o desejo e a vontade de um ou de ambos em manter ou cortar a relação. Não é a sinastria que determina o sucesso ou fracasso da relação e, sim, a disposição de conviver ou a falta de interesse de um ou de ambos", frisa Barbara.

Em décadas de atuação como astróloga, ela conta já ter visto sinastrias maravilhosas, mas que, no dia a dia, não havia nem interesse sexual entre o casal, bem como vontade de estarem juntos. Da mesma forma, constatou sinastrias complicadíssimas entre pares, que superaram os empecilhos e já comemoraram bodas de ouro.

"Há um nível misterioso que extrapola a conjugação astral. A experiência me ensinou que as pessoas são mais complexas do que a técnica pode desvendar. Por isso, não acho que ela seja o determinante para manter ou acabar com uma relação."

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Alto Astral