PUBLICIDADE
Topo

Com baixas no meio de campo, Botafogo pode ter de ir ao mercado por reforço

Paulo Autuori, técnico do Botafogo - Vitor Silva/Botafogo.
Paulo Autuori, técnico do Botafogo Imagem: Vitor Silva/Botafogo.

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

26/07/2020 04h00

Em meio a anúncios de reforços feitos nos últimos dias, o Botafogo pode ter de sanar um novo problema. Isso porque o técnico Paulo Autuori perdeu opções para o meio de campo e a chegada de nomes para o setor pode se tornar necessária.

A diretoria estuda a rescisão de contrato do equatoriano Gabriel Cortez, que se envolveu em uma polêmica em rede social na madrugada de sexta-feira para sábado. O jogador vinha sendo alternativa a Honda e Bruno Nazário, que integram o time titular.

Além disso, recentemente, Leandrinho acionou o Alvinegro na Justiça alegando salários atrasados e pediu a rescisão do vínculo, que iria até o fim deste ano. Cria da base do Glorioso, o jogador voltou para General Severiano para esta temporada, após passagem pelo Sport, mas não engrenou.

Paulo Autuori, por sua vez, vem realizando testes, avaliando formas de atuação e esquemas para o Botafogo. Apesar de elogiar a postura demonstrada pelo grupo e indicar evolução no time, admite que ainda podem chegar peças. Porém, diante da atual situação financeira do Alvinegro, o treinador ressalta que tem de ser "cirúrgicos".

"Temos de ser rigorosos e cirúrgicos nessas contratações. Estamos preocupados com o futuro do clube. E o torcedor brasileiro começa a entender isso. Os sócios e torcedores estão dando uma ideia de muito mais maturidade, de apoiar o clube. O programa de sócios-torcedores está aí para isso. Para que o clube consiga, mais na frente, ter um time à altura dessa história", disse, após a derrota para o Fluminense em amistoso realizado ontem (25).

Na última semana, o Glorioso anunciou o zagueiro Rafael Forster, o lateral-direito Kevin, o lateral-esquerdo Victor Luis e vive a expectativa pela chegada do atacante marfinense Salomon Kalou, que pode ser apresentado no próximo sábado. Ao mesmo tempo, o clube atravessa um processo de transformação do departamento de futebol em S.A. e há uma intenção de enxugar a folha salarial.

Botafogo