Topo

Beleza

Harmonização facial: respondemos às 5 perguntas que todo mundo faz

Segundo o Google, interesse por harmonização facial teve aumento de 540% em relação a 2018 - iStock Images
Segundo o Google, interesse por harmonização facial teve aumento de 540% em relação a 2018 Imagem: iStock Images

Natália Eiras

De Universa

07/08/2019 04h00

De acordo com o Google, nunca se buscou tanto por intervenções estéticas faciais. Em levantamento divulgado com exclusividade para Universa, o mecanismo de busca dá conta que, entre julho de 2018 e julho de 2019, temas como botox e ritidoplastia -- conhecida como lifting facial -- bateram o recorde de buscas dos últimos 14 anos. Porém, o queridinho do público é a harmonização facial, termo cujo interesse cresceu seis vezes este ano, um aumento de 540% comparado ao número de pessoas que pesquisaram sobre o assunto no período anterior (julho de 2017 a julho de 2018).

Com adeptos famosos como as cantoras Gretchen e Joelma e o atleta olímpico Diego Hypolito, a harmonização facial até pode parecer novidade, uma vez que começou a despertar interesse por volta de 2017, mas o procedimento existe há mais de 40 anos. O assunto ainda levanta, no entanto, muitas questões. Por isso, Universa falou com especialistas para esclarecer os cinco temas mais comuns no Google:

1- O que é harmonização facial?

"É um conjunto de procedimentos em geral não-cirúrgicos que promovem a melhora na harmonia da face", diz o cirurgião plástico Wendell Uguetto, membro do corpo clínico do Hospital Albert Einstein, de São Paulo (SP). Segundo o especialista, as intervenções podem ser feitas com preenchedores, estimuladores de colágeno e fios de sustentação. "Os preenchedores são usados para definir partes como a maçã do rosto, o queixo ou os lábios. Os estimuladores não têm efeito imediato, mas deixam a pele mais firme e combatem a flacidez, enquanto os fios de sustentação são colocados para suspender o tecido da região da bochecha, agindo como um lifting sem cirurgia". Em alguns casos, no entanto, a harmonização facial também pode incluir procedimentos cirúrgicos como a bichectomia -- retirada de gordura do rosto -- e intervenções odontológicas, como o uso de lentes de contato nos dentes e clareamento.

2. Quanto custa uma harmonização facial?

Em média, o procedimento pode sair de R$ 10 mil a R$ 20 mil. O cirurgião plástico Bernardo Ramalho, do Rio de Janeiro (RJ), afirma que o produto mais utilizado no procedimento é o ácido hialurônico. Por isso, o valor da harmonização vai depender de quantas ampolas do componente serão utilizadas. No Rio e em São Paulo, as seringas custam de R$ 1.000 até R$ 2.000. "Cada uma tem 1 ml. Dependendo de cada caso, podem ser usadas de 5 ou até 15 ampolas", diz o médico.

3. O que faz a harmonização facial?

Segundo os especialistas, o conjunto de procedimentos não deve promover uma mudança radical, mas apenas pequenas e discretas intervenções. "Na nossa sociedade, temos certos padrões estéticos. A harmonização facial exalta as características que consideramos belas e 'corrige' o que pode ser visto como feio", afirma Wendell Uguetto. "É o realce natural da beleza de cada pessoa. Por isso, não podemos mudar radicalmente o rosto do paciente e nem exagerar nos preenchedores. Cada caso precisa ser muito individualizado", completa Ramalho.

4. Qual profissional faz harmonização facial?

Dentre os médicos, os mais habilitados são os cirurgiões-plásticos e dermatologista. Segundo resolução do Conselho Federal de Odontologia, publicada em 29 de janeiro de 2019, cirurgiões-dentistas também possuem as habilidades técnicas necessáripara fazer procedimentos de harmonização facial como a bichectomia, a diminuição da gengiva e a aplicação de lentes de contato nos dentes. O assunto, no entanto, é polêmico.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia orienta que a harmonização facial seja feita por médicos e reitera a importância da legislação que protege o Ato Médico (lei nº 12.482/2013). "Apenas graduados em medicina podem realizar procedimentos estéticos invasivos e fazer o diagnóstico e tratamento de doenças", diz um comunicado do órgão divulgado em julho de 2019. Por outro lado, o Conselho Federal de Odontologia "reconhece a harmonização orofacial como especialidade odontológica".


5. O que é feito na harmonização facial masculina?

Segundo os especialistas, a harmonização facial masculina costuma ter pontos específicos, levando em conta o padrão estético dos homens. É comum, por exemplo, evidenciar o ângulo do maxilar. "Enquanto nas mulheres a gente foca bastante nas maçãs do rosto, nos homens nós usamos preenchedores para exaltar a mandíbula", fala Wendell Uguetto. A aplicação de ácido hialurônico deixa o maxilar e o queixo mais quadrados. "Também usamos estimuladores de colágeno para diminuir as linhas de expressão em geral", complementa o médico.

Beleza