Massagens faciais: há benefícios reais do procedimento à pele ou é balela?

Massagens faciais estão ganhando espaço nos "menus" dos spas. Seja para evitar o envelhecimento ou para diminuir inchaços, as opções nos dão a sensação de que ajudam com muito mais do que um simples relaxamento. Será mesmo?

Para especialistas, elas podem, sim, trazer alguns benefícios, mas não são substitutas de tratamentos estéticos mais potentes, como botox e lasers, por exemplo.

"Essas massagens podem ajudar a aliviar a tensão muscular e reduzir o estresse. Elas também melhoram a circulação e o fluxo sanguíneo na área, o que facilita a oxigenação e a entrega de nutrientes para a pele", diz a dermatologista Márcia Linhares.

Fernanda Chauvin, dermatocosmética e farmacêutica bioquímica, concorda. Segundo ela, a massagem ajuda a pele a se preparar para a síntese de nutrientes que podem melhorar o viço e aparência da região.

"É necessário energia e oxigênio para a síntese de qualquer substância, como o colágeno. Quando você faz essa massagem facial está criando um ambiente adequado para essa absorção, mesmo que de forma indireta", explica Chauvin.

E quando você melhora a absorção desses nutrientes, consegue perceber uma aparência mais jovem na pele e até o desaparecimento de linhas finas temporariamente. Poros abertos e melhor circulação formam o combo perfeito para a entrega dos ativos dos produtos de skincare no rosto.

Yáscara Pinheiro Lages Pinto, dermatologista e chefe da Unidade de Especialidades Médicas do Hospital Universitário da UFPI (Universidade Federal do Piauí), não acredita no poder do lifting dessas massagens. Para ela, os resultados existem quando o procedimento vem de uma indicação médica, e não para melhorias estéticas.

"As ginásticas faciais, por exemplo, podem aumentar as rugas e marcas de expressão, mesmo de quem usa botox. Existem indicações específicas, como drenagens no rosto, para quem se submeteu a um tratamento cirúrgico ou até mesmo algum tipo de fisioterapia", afirma Lages Pinto.

É bom, mas é coadjuvante

Apesar das possíveis melhorias que podemos observar na pele pós-massagem, os resultados são passageiros. "Acredito que as massagens são boas coadjuvantes para os tratamentos médicos, mas não vão substituir procedimentos dermatológicos", diz Linhares.

Continua após a publicidade

Botox, preenchimentos e laser, por exemplo, sempre serão mais eficazes que os estímulos feitos à mão na pele. "Você não consegue tratar acne e olheira só com massagem. É preciso associar a outros tipos de procedimentos", diz Linhares. Sem contar que o resultado vai depender da técnica usada na massagem —e da habilidade da terapeuta.

A dermatologista Linhares afirma ainda que há risco de efeito colateral. Mesmo se tratando de ações pouco invasivas, o paciente pode apresentar inchaço, vermelhidão e irritação no rosto por causa do atrito.

"É sempre importante a avaliação de um dermatologista ou cirurgião plástico para saber se você tem indicação para esse tipo de procedimento. Você pode fazer drenagens, por exemplo, mas não dá para saber se isso realmente trará um resultado estético", finaliza Lages Pinto.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes