Conteúdo publicado há 30 dias

Arlindinho lamenta caso de racismo contra filha: 'Não pode mais acontecer'

Arlindinho sobe ao palco da Arena Campo Limpo, neste domingo (19), para o último dia da Virada Cultural da Solidariedade, em São Paulo, mas antes, se encontrou com a filha, vítima de racismo.

O que aconteceu

O sambista chegou dos Estados Unidos nesta manhã para o show e já esteve com a pequena Maria Helena, 9. A criança foi vítima de racismo na escola em que estuda, em São Paulo.

"Isso não pode mais acontecer com qualquer criança, estamos tomando as medidas cabíveis. Assim que cheguei ao Brasil, já fui dar um abraço nela", conta ele, em entrevista exclusiva a Splash.

Na última sexta, Arlindinho desabafou nas redes sociais sobre a situação. Talita Arruda, ex-mulher do cantor e mãe de Maria, relatou que o incidente ocorreu durante uma aula de vôlei e que um boletim de ocorrência foi registrado. "Uma criança preconceituosa se referiu a ela com palavras criminosas. Eu me pergunto: cadê os pais que até agora não se retrataram? 'Joga, sua macaca', foi uma entre outras [ofensas proferidas]", denunciou Talita.

"Reiteramos que racismo é crime, conforme previsto na legislação brasileira, e deve ser tratado com a seriedade que merece. Agradecemos o apoio e a compreensão de todos neste momento difícil", escreveu o sambista, em seu perfil no Instagram.

Virada

Apesar do ocorrido, o dia é de festa para Arlindinho. Durante conversa com Splash, ele garantiu que "se sente mais artista em São Paulo", principalmente por conta da relação do pai, Arlindo Cruz, com a cidade. "É sempre uma alegria estar aqui", declara.

Você vê tanta gente sendo empregada, movimentando a economia e a cultura, trazendo entretenimento para quem não consegue pagar ingresso, ver um show do Leonardo. A gente está trazendo cultura, entretenimento e alegria. O povo merece se divertir. E está tendo doações para o pessoal do Rio Grande do Sul, que está precisando. Arlindinho

Considerado um dos grandes nomes da nova geração do samba, o artista já tem mais de 15 anos de carreira e agora aposta em seu novo trabalho, "O Show Continua". Filho de Arlindo Cruz e apadrinhado por Acyr Marques, o sambista cresceu em um ambiente musical forte e conviveu, desde novo, com nomes como Zeca Pagodinho, Jorge Aragão, Fundo de Quintal e Xande de Pilares.

Continua após a publicidade

A Arena Campo Limpo já recebeu as apresentações de Trupe Trupé Pé de Brasil, da banda Catedral e do fenômeno tecnomelody Manu Bahtidão. A programação será encerrada com o sertanejo Leonardo.

Deixe seu comentário

Só para assinantes