PUBLICIDADE
Topo

Bichos

Tudo o que você precisa saber para cuidar do seu pet

Presença de pets em lares brasileiros cresce 30%; adoção supera compra

Mudança de hábito: mais tempo com os pets  - Getty Images
Mudança de hábito: mais tempo com os pets
Imagem: Getty Images

De Nossa

26/07/2021 16h04

A pandemia fez com que mais gente procurasse um cãozinho ou um gato para chamar de seu. É isso que mostra a pesquisa Radar Pet 2021, apresentada pela Comissão de Animais de Companhia (COMAC).

De acordo com o levantamento do estudo, 30% dos pets foram adquiridos durante o período de isolamento social e 23% dos tutores o fizeram pela primeira vez.

Os dados revelam que, no período, a adoção superou a compra. O número é mais significativo entre os felinos (84%) do que entre os cães (54%). As regiões Norte e Sul do país ficaram em destaque quando o assunto é o acolhimento de gatinhos.

Mulher e cão em apartamento - Getty Images/EyeEm - Getty Images/EyeEm
Pessoas que moram sozinhas adotaram durante a pandemia
Imagem: Getty Images/EyeEm

Segundo a pesquisa, o perfil de tutores no geral se concentra em pessoas que moram sozinhas e, em menor número, em casais sem filhos. Considerando todos os donos, 73% concordam que conseguiram desfrutar mais tempo com os animais na pandemia.

O estreitamento de laços aparece nos números. De acordo com a Radar Pet 2021, o percentual de tutores que enxergam os animais como filhos ou membros da família aumentou.

Leonardo Brandão, coordenador da Comac, diz:

Os animais de companhia são extremamente importantes para a saúde e bem-estar emocional das famílias durante esse período de estresse. Isso alavancou as adoções".

Abandono ainda é realidade

Gato com pote vazio - Getty Images - Getty Images
Gato com pote vazio: queda do poder aquisitivo impacta pets
Imagem: Getty Images

Na contramão das altas de adoção, a pesquisa da Comac estima que cerca de 10 milhões de animais de companhia foram abandonados durante da pandemia. Cerca de 40% dos participantes do estudo afirmaram que conhecem alguém que abandonou um pet na pandemia. Estima-se que isso tenha ocorrido em razão da perda de poder aquisitivo de grande parte da população.