PUBLICIDADE
Topo

Técnico diz que time treinou escondido todo dia durante proibição

Rinaldo Rodrigues, técnico da LSB - Marina Gouvêa/LSB
Rinaldo Rodrigues, técnico da LSB Imagem: Marina Gouvêa/LSB
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

13/09/2020 12h03

O técnico Rinaldo Rodrigues, da Liga Sorocabana de Basquete (LSB), que vai disputar o Campeonato Paulista a partir de outubro, revelou que seu time treinou escondido todos os dias enquanto vigorava uma proibição nesse sentido em todo o estado de São Paulo

A revelação, em tom de façanha, foi feita durante uma live com os comentaristas Renatinho e Byra Bello. "Mesmo na pandemia, eu não parei um dia", contou. "Cheguei pro prefeito e falei: ou eu jogo ou não jogo, mas eu eu já estou jogando, ? Só que você não vai encontrar eu", disse, rindo. Sorocaba é administrada por uma prefeita, Jaqueline Coutinho (PSL).

Quando a quarentena começou no estado de São Paulo, a LSB estava se preparando para começar a jogar o Campeonato Brasileiro, organizado pela CBB, na prática a segunda divisão nacional. O campeonato foi inicialmente suspenso e, em julho, cancelado. Mas a LSB não parou de treinar.

"Os caras não pararam nenhum dia. Nós enfrentamos a pandemia. Vou falar por quê: eu fui um cara que bebi, que usei droga, um cara que fui mulherengo, o basquete salvou minha vida. Eu parei um dia depois de uns 10 dias e falei assim esse vírus não pode ser mais forte do que eu fazia. Cheguei no presidente do clube e falei: podemos treinar? Pode treinar que eu confio. Esporte é saúde. Os meus atletas estão com a imunidade totalmente alta. Nós não soubemos conduzir a pandemia. Eu enfrentei isso, hoje eu posso falar", continuou o treinador.

Rinaldo contou que montou um esquema para burlar a fiscalização. "Nós tinha (sic) uma sirene. O clube é muito grande, 124 anos. O porteiro ficava lá. Se chegasse alguém tocava a sirene e escondia todo mundo", gabou-se o treinador. A LSB treina no Recreativo Campestre, clube fundado há 124 anos.

Na live, o técnico também gabou-se de que, por treinar escondido, a Liga Sorocabana terá vantagem física sobre os rivais. "No campeonato paulista eu vou falar para vocês: toma cuidado nos cinco primeiros minutos, que vai ser um avião passando", alertou. Como comparação, outro time de Sorocaba, o Magnus, atual tricampeão mundial de futsal, ficou quase quatro meses sem treinar. Voltou apenas no dia 11 de agosto, a 17 dias da estreia na Liga Futsal. Mesmo respeitando as regras, lidera a competição. A LSB só vai estrear no Paulista de Basquete em outubro.

Essa não é a primeira polêmica na qual Rinaldo se envolve durante a pandemia. Em junho, ele postou no Instagram uma foto se comparando com Htitler.

+ Acompanhe o que mais importante acontece no esporte olímpico pelos perfis do Olhar Olímpico no Twitter e no Instagram. Segue lá! +