Prêmio UOL Carros

Evento celebra os melhores da indústria automotiva em 2021; confira os indicados

Vitor Matsubara Colaboração para o UOL Arte UOL

Os melhores de 2021

O Prêmio UOL Carros mantém a tradição de prestigiar os destaques do mercado automotivo no ano e chega a sua quinta edição em 2021.

O evento ocorrerá no dia 8 de dezembro, com transmissão ao vivo nos canais de UOL e UOL Carros no Youtube e Facebook, além das respectivas homepages.

O júri composto por 22 jornalistas especializados no setor automotivo escolherá os melhores em 14 categorias, com quatro finalistas em cada uma delas.

Também será entregue o prêmio da categoria "Melhor Pós-Venda", com vencedor definido pelo público através de votação na página de UOL Carros entre os dias 25 de outubro e 6 de dezembro.

Nesta reportagem especial, divulgaremos a cada dia os indicados de uma das 14 categorias, selecionados pela equipe do UOL Carros considerando os critérios de "design", "custo-benefício", "tecnologia e conectividade", "desempenho" e "consumo". Nesta segunda-feira é a vez de revelar os finalistas em tecnologia (veja a programação abaixo).

Arte UOL Arte UOL

Parece que a tecnologia na indústria automotiva não tem limites. Prova disso é a diversidade de aplicações entre os concorrentes ao Prêmio UOL Carros.

A Cart é uma plataforma de mobilidade conectada desenvolvida pela Stellantis. Ela permite que as pessoas paguem produtos ou serviços dentro do carro. Assim você pode encomendar seu almoço ou pagar o estacionamento sem precisar sair do veículo.

O Toyota Corolla Cross trouxe a mesma tecnologia híbrida do Corolla sedã para o mundo dos SUVs. E assim como o seu irmão mais velho, o modelo revolucionou ao ser o primeiro SUV híbrido flex do país.

A Volvo trouxe o Google Automotive Services para dentro de seus carros. Além do suporte total ao sistema operacional Android, ele oferece integração total a vários serviços do Google e pode até responder perguntas pelo assistente pessoal.

No mundo dos elétricos, a Volkswagen Caminhões e Ônibus inovou com o e-Delivery. Primeiro veículo elétrico fabricado no Brasil, o caminhão tem duas versões, opções de pacotes de três ou seis baterias e autonomia de até 250 quilômetros.

Arte UOL Arte UOL

Os utilitários ganharam ainda mais importância durante a pandemia, e marcam presença mais uma vez no Prêmio UOL Carros.

A grande novidade do segmento foi a Ford Transit. Fabricada no Uruguai, a van é oferecida em três versões, todas com o motor 2.0 turbodiesel de 170 cv e câmbio manual de seis marchas. Cheia de equipamentos, a Transit tem piloto automático adaptativo e frenagem autônoma de emergência.

É com ela que a Ford pretende roubar mercado de dois grandes rivais. A Mercedes-Benz Sprinter lidera o segmento há anos e oferece uma ampla gama de carrocerias, incluindo a Sprinter Truck, que pode receber uma caçamba de alumínio e até ser convertida para um food truck.

Assim como a Sprinter, a Renault Master também tem várias aplicações. São três carrocerias: chassi, furgão e minibus. O motor sempre é o 2.3 turbodiesel de 130 cavalos, associado a um câmbio manual de seis marchas.

Mas quem precisa de um veículo maior do que uma van encontra no Volkswagen Delivery Express uma ótima opção. Além de prático e ágil, ele pode ser dirigido por qualquer pessoa com CNH do tipo B, a mesma exigida para automóveis. E é bom lembrar que existe ainda o e-Delivery, a versão elétrica do caminhão que já está fazendo sucesso entre as empresas.

Arte UOL Arte UOL

Se os SUVs dominam as vendas, nada mais justo do que eles monopolizarem a categoria de Importados no Prêmio UOL Carros.

O BMW X6 inaugurou o segmento de SUVs cupês e ainda é referência nos dias de hoje. A nova geração estreou por aqui em 2020 e neste ano ganhou a versão M Competition. O motor é um 4.4 V8 biturbo de 625 cv, que fazem o carro ir de 0 a 100 km/h em menos de quatro segundos.

O valente Wrangler traduz a essência da Jeep. Ele é um típico veículo 4x4 e pode ter a capota e até todas as portas retiradas para uma melhor experiência ao ar livre. Ao mesmo tempo, o modelo também não deixa de lado as tecnologias presentes nos melhores SUVs do mercado. O motor é um 2.0 turbo movido a gasolina, de 271 cv.

O GLS é o que há de melhor e mais sofisticado na linha de SUVs da Mercedes-Benz. O gigantesco modelo tem um motor 3.0 de seis cilindros com 367 cv, espaço para até sete pessoas e uma infinidade de itens de série, com direito até a suspensão pneumática.

Por fim, o Range Rover Sport trouxe novidades no visual e até uma versão híbrida do tipo plug-in. Nesta configuração a potência combinada é de 404 cv, e o carro consegue rodar até 48 quilômetros no modo 100% elétrico.

Arte UOL Arte UOL

Tem carro elétrico pra todo gosto nesta edição do Prêmio UOL Carros. O Audi e-tron GT usa a plataforma do Porsche Taycan e vai mais para o lado da tecnologia. Mas o desempenho não é nada mal: os dois motores elétricos entregam 237 cv no eixo dianteiro e 455 cv no eixo traseiro. A potência combinada é de 598 cv, saltando para 645 cv no modo overboost. Tudo isso faz com que ele vá de 0 a 100 km/h em pouco mais de três segundos.

O simpático Fiat 500 voltou ao Brasil bem antenado com as últimas tendências. Agora elétrico, ele tem um motor de 118 cavalos e autonomia declarada de 320 quilômetros. Além do estilo irreverente, o 500e possui até um curioso recurso que toca um trecho da música "Amarcord", de Nino Rota, quando o carro passa dos 20 km/h.

Lançado há um ano, o EQC colocou a Mercedes-Benz no mundo dos elétricos. Ele foi feito para rodar bastante, já que a marca declara autonomia acima de 400 quilômetros. E quem compra o SUV ganha até um carregador do tipo wallbox para instalar na sua residência.

O quarto indicado na categoria é o Volvo XC40 Pure Recharge. O primeiro modelo 100% elétrico da marca sueca estreou no Brasil neste ano e tem dois motores elétricos que geram incríveis 408 cavalos, fazendo com que ele acelere de 0 a 100 km/h em menos de cinco segundos. A autonomia declarada é superior a 400 quilômetros.

Arte UOL Arte UOL

Dois sedãs e dois SUVs disputam a categoria de melhor carro híbrido no Prêmio UOL Carros.

O BMW 330e combina o motor 2.0 turbo de 184 cavalos e um motor elétrico de 113 cavalos. Segundo a marca, ele pode rodar até 66 quilômetros no modo 100% elétrico.

O Honda Accord é o primeiro dos três híbridos que a marca japonesa lançará por aqui nos próximos anos. O carro tem um motor 2.0, a gasolina de ciclo Atkinson com 145 cv e dois motores elétricos, sendo que um deles funciona como gerador. Na prática, a montadora promete que o carro faz mais de 17 km/l na cidade ou na estrada.

O Porsche Cayenne Coupé Turbo S E-Hybrid não é só um exemplo de economia. Desempenho também é o seu forte, já que ele entrega nada menos do que 680 cv, graças à combinação do motor 4.0 V8 de 550 cv e um motor elétrico de 136 cv. Isso faz com que ele vá de 0 a 100 km/h em menos de quatro segundos.

E se a gente está falando de híbridos, é claro que o Volvo XC60 Recharge não podia ficar de fora. O SUV recebeu uma atualização visual e ganhou equipamentos, mas o melhor não mudou. O conjunto híbrido combina um motor 2.0 turbo de 320 cv com um elétrico de 87 cv, resultando em uma potência combinada de 407 cv.

Arte UOL Arte UOL

A categoria de esportivos certamente é uma das mais acirradas nesta edição do Prêmio UOL Carros.

A nova geração do BMW M3 estreou por aqui em maio em duas versões: Competition e Competition Track. As duas trazem o motor 4.0 V8 biturbo de 510 cv, e a versão mais radical tem freios de carbono cerâmica e bancos concha com estrutura em fibra de carbono.

O Mustang Mach 1 trouxe ainda mais desempenho para o cupê da Ford. São 486 cv no motor 5.0 V8 Coyote, um aumento de 17 cv em relação ao modelo anterior. O visual aposta na nostalgia com vários detalhes que remetem ao clássico Mach 1, que foi um dos ícones dos anos 60.

O Mercedes-AMG CLA 45S é anunciado como dono do motor 2.0 mais potente do mundo. São 421 cv, que fazem o sedã ir de 0 a 100 km/h em apenas quatro segundos. E é claro que tudo isso é arrematado com um estilo nada discreto.

Por último, mas não menos importante, é a vez do Porsche 911 GT3. Com 510 cv, ele é o 911 mais próximo de um carro de competição que você vai encontrar. Tudo nele foi projetado pensando nas corridas. E por isso que ele se tornou o recordista de volta mais rápida no lendário autódromo de Nürburgring, na Alemanha, entre todos os modelos da Porsche.

Arte UOL Arte UOL

Se 2020 não teve tantas novidades nas picapes, este ano trouxe bons lançamentos. A Fiat Toro teve o visual renovado, além de uma nova central multimídia e motorização turbo.

No segmento de picapes médias, a Toyota Hilux ganhou uma leve atualização no design e melhorias no motor 2.8 turbodiesel. Agora são 204 cavalos e quase 51 kg de torque máximo na picape que é líder de vendas em sua categoria.

A Ranger Black foi um dos primeiros lançamentos da Ford neste ano. A nova versão foi criada de olho em quem utiliza a picape na cidade, mas não abre mão dos atributos deste tipo de veículo fora do asfalto, como a robustez e o porte imponente.

E já que falamos em imponência, não existe nada mais extremo no mercado brasileiro do que a Ram 1500 Rebel. A grandalhona tem quase seis metros de comprimento e estreou por aqui fazendo barulho com o motor V8 de 400 cv.

Arte UOL Arte UOL

Os sedãs já viveram dias bem melhores no Brasil. Ofuscados pelos SUVs, eles tiveram poucas novidades em 2021.

Uma grata exceção foi o Caoa Chery Arrizo 6 Pro. A evolução do Arrizo 6 trouxe um design mais atual e mais equipamentos a um preço bastante competitivo.

Único sedã compacto na lista de indicados, o Nissan Versa tem qualidades como o belo design e o bom pacote de itens de série. Suas vendas, porém, ainda estão longe de ameaçar os líderes da categoria.

Já o Toyota Corolla ainda reina soberano entre os sedãs médios. Neste ano, ele teve como única novidade a estreia da versão GR-S, que trouxe um design mais agressivo e uma suspensão recalibrada. A motorização é a mesma 2.0 flex das versões 'comuns' do sedã, que entrega até 163 cv com etanol no tanque.

Por fim, o Volkswagen Jetta perdeu espaço com a estreia do Taos e passou por uma reestruturação em sua linha. Depois de perder as versões mais baratas, agora ele é oferecido apenas na versão esportiva GLI, com motor 2.0 turbo de 230 cavalos.

Arte UOL Arte UOL

O segmento de hatches ficou um pouco esquecido em 2021. Dos quatro indicados na categoria, apenas um deles é um modelo inteiramente novo.

O Chevrolet Onix teve um ano bastante conturbado. Líder absoluto de vendas no país, o modelo foi uma das maiores vítimas da crise dos semicondutores e viu sua produção ser suspensa por alguns meses. Resultado: o Onix foi ultrapassado pelos rivais, mas a retomada da produção fez com que o hatch voltasse a figurar no ranking dos carros mais vendidos do país.

Quem aproveitou o 'vacilo' da Chevrolet foram justamente dois outros indicados na categoria. O Fiat Argo chegou a ser o carro mais vendido do país em alguns meses, embalado principalmente pelos resultados de vendas diretas, uma vez que o hatch é um dos modelos mais buscados por frotistas.

O mesmo aconteceu com o Hyundai HB20, que já era o rival mais forte na briga pelo topo. A diferença é que, embora também seja muito procurado para vendas diretas, as versões de entrada não são as mais buscadas pelo consumidor.

O quarto indicado é justamente a última novidade da categoria. O Peugeot 208 estreou em 2020 e neste ano ganhou o reforço do e-208 GT. Importado da França com um motor elétrico de 136 cv, ele traz um estilo mais esportivo e uma lista de itens de série mais generosa do que seu irmão argentino.

Arte UOL Arte UOL

O ano também teve boas novidades no segmento de SUVs Premium. O primeiro candidato ao prêmio é o Audi Q5 Sportback, que trouxe as mesmas virtudes do Q5 em uma carroceria de SUV cupê para enfrentar os arquirrivais BMW X4 e Mercedes-Benz GLC Coupé.

Até então presente nos segmentos inferiores, a Jeep decidiu dar um passo acima com o Commander. Apesar de ter sido baseado no Compass, o primeiro modelo da marca desenvolvido inteiramente no Brasil, tem personalidade própria no design e muito espaço para sete pessoas. São duas opções de motorização: 1.3 turboflex e o 2.0 turbodiesel.

Embora não seja novidade há alguns anos, o Peugeot 3008 ainda encanta bastante gente. Neste ano, o SUV recebeu uma injeção de fôlego graças à primeira reestilização realizada pela empresa. O estilo esportivo é o principal atributo do modelo, que manteve o motor 1.6 turbo de 165 cv.

Quem também está na briga é o Mercedes-Benz GLB. O SUV combina algumas das qualidades da marca alemã, incluindo luxo e tecnologia, com espaço para sete passageiros. O motor é o 1.3 turbo que também equipa outros modelos da Mercedes, como os novos Classe A e GLA.

Arte UOL Arte UOL

Nenhuma categoria reúne tantas novidades como a de melhor SUV médio. O Bronco Sport foi um dos principais lançamentos da Ford neste ano. Com um motor 2.0 turbo de 240 cv, o modelo aposta na generosa lista de itens de série e no charme do carro que é um dos símbolos de veículo 4x4 nos Estados Unidos.

A Toyota demorou para entrar na briga dos SUVs médios, mas acertou com o Corolla Cross. Projetado na Tailândia, o carro caiu no gosto do brasileiro e já assumiu a vice-liderança da categoria. Além de todas as qualidades do Corolla sedã, o SUV tem um importante diferencial: é o único modelo híbrido do segmento.

Quase ao mesmo tempo, a Volkswagen entrou na briga com o Taos. Com um design elegante e motorização 1.4 turbo de 150 cavalos, o modelo se destaca pelo generoso espaço interno, inclusive no porta-malas de 498 litros - o maior da categoria.

Todos chegaram com a missão de combater o líder absoluto da categoria. O Jeep Compass se defendeu com uma leve reestilização visual, mais conteúdo e o novo motor 1.3 turboflex, que entrega até 185 cavalos com etanol.

Arte UOL Arte UOL

A briga pelo título de melhor SUV compacto no Prêmio UOL Carros promete ser uma das mais acirradas da premiação.

O Fiat Pulse estreou fazendo barulho. Baseado no Argo, ele traz design esportivo, um bom pacote de itens de série e o inédito motor 1.0 turbo, que gera 130 cv com etanol. Esse conjunto, associado ao câmbio do tipo CVT, será aplicado em outros modelos da Fiat.

O Hyundai Creta chegou à segunda geração causando polêmica com seu design cheio de personalidade. Além de mais bem equipado, o modelo trocou o antigo motor 1.6 16V pelo moderno 1.0 turbinado de três cilindros que estreou no HB20.

Quem também mudou foi o Renault Captur. Apesar dos leves retoques no visual, a maior atração do SUV está escondida debaixo do capô. Estamos falando do ágil motor 1.3 turbo, que foi desenvolvido em conjunto com a Mercedes-Benz.

Diante de tantas novidades, o Nissan Kicks também mostrou suas armas. Além do facelift que o deixou mais atual, ele ganhou mais equipamentos, incluindo até um sistema de som da Bose com alto-falante no encosto de cabeça do motorista.

Próximas categorias

Confira o calendário de divulgação dos finalistas do Prêmio UOL Carros:

30/11 - Destaque do ano
01/12 - Montadora do ano

Topo