PUBLICIDADE
Topo

BMW X6 se rende à tecnologia para retomar espaço no segmento que criou

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

09/06/2020 04h00

Dificilmente existirá um carro tão controverso quanto o BMW X6. Precursor do segmento de SUVs cupês, ele é amado e odiado na mesma proporção desde sua estreia em 2008.

Quem morre de amores por ele elenca o design ousado e o porte imponente como principais virtudes. E quem não suporta o X6 costuma criticar justamente o... design.

Seja de qual lado você estiver, a terceira geração do X6 acaba de chegar ao mercado brasileiro. Inicialmente apenas em versão única, o carro finalmente traz tecnologias mais avançadas, como as assistências de condução semiautônoma, até outras mais prosaicas, como painel digital e tela tátil da central multimídia.

Por trás dessa renovação mais profunda está a vontade da BMW em retomar (ou pelo menos se aproximar) do patamar que desfrutou nos primeiros anos de vida do X6. Naquela época o carro nadava de braçada no segmento, até porque os rivais foram se mexer apenas alguns anos depois - só que hoje eles incomodam bastante a marca alemã.

Divulgação

BMW X6 xDrive40i

Preço

R$ 567.950 R$ 514.520,00 (Fipe) Ver histórico
Carros
4,3 /5
ENTENDA AS NOTAS DA REDAÇÃO

Não dá para esperar que um monstro de 340 cv seja econômico, mas o X6 até que não faz feio

O motor 3.0 biturbo de 340 cv é mais potente e empolga mais do que seu antecessor

SUVs cupês costumam ser desengonçados, mas a BMW fez um bom trabalho na 3ª geração do X6

Completão, o X6 xDrive40i é bem mais moderno e seguro do que o modelo antigo

Espaço não falta para os ocupantes, inclusive no banco de trás

Custos de manutenção são altos em um carro de mais de R$ 500 mil

Frenagem autônoma, assistente de permanência em faixa... O X6 é um dos mais seguros da linha BMW

Pontos Positivos

  • Itens de série e desempenho

Pontos Negativos

  • Preço e dimensões

Veredito

O X6 não esconde de ninguém que nasceu para chamar atenção. Além de cumprir esse papel com méritos, a terceira geração do BMW conseguiu harmonizar um pouco mais as linhas do carro. Por dentro, o SUV cupê ganhou mais tecnologia e ficou mais amigável sem tantos botões pela cabine. Por pouco mais de meio milhão de reais, ele é uma boa opção para quem precisa de espaço ou simplesmente quer um carro grande por diversos motivos. Se você procura 'apenas' um SUV espaçoso e luxuoso, o X5 pode ser a melhor escolha.

BMW X6 1 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Linhas mais harmoniosas marcam a terceira geração do X6
Imagem: Murilo Góes/UOL

Desde 2008 o X6 é alvo de amor e ódio dos fãs de carros. Goste ou não do modelo, a gente precisa ressaltar sua importância dentro da indústria ao criar um segmento que logo se mostraria rentável para as fabricantes, a ponto de até empresas mais "generalistas", como a Volkswagen, apostarem na categoria.

Mas falando especificamente do modelo da BMW, o novo X6 consegue um equilíbrio maior de proporções - algo que sempre foi o calcanhar de aquiles do X6. Até a grade (que se ilumina juntamente com os faróis) de proporções nitidamente exageradas caiu bem em um carro tão grande, diferente do que acontece no Série 7.

Os traços do SUV cupê ficaram mais agressivos e reforçam a impressão de robustez, casando melhor com a carroceria alta e a silhueta esguia que parecia desajeitada nas gerações anteriores. Atrás, as lanternas em formato de "L" foram trocadas por peças mais afiladas e horizontais. Parece um Série 8 esticado? Sim. Ficou bom? Sim.

A cabine tem espaço de sobra para quatro adultos e uma criança (e satisfatório para cinco adultos), inclusive para a cabeça dos passageiros mais altos no banco de trás. Ao contrário de alguns projetos mais modernos, a linha de cintura alta do X6 não gera a incômoda sensação de claustrofobia e nem prejudica a visibilidade lateral.

BMW X6 2 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Motor 3.0 biturbo entrega 340 cv, 34 cv a mais do que seu antecessor
Imagem: Murilo Góes/UOL

Todo BMW que se preze precisa de potência. Sorte nossa que o motor 3.0 de seis cilindros em linha não decepciona. Com 340 cv (34 cv a mais do que seu antecessor) e torque máximo de 45,9 kgfm, ele entrega exatamente o que dele se espera.

As arrancadas são vigorosas mesmo no modo Comfort e o X6 só assume uma personalidade mais pacata se o modo Eco Pro for selecionado - e nem poderia ser diferente. Se você não ligar em deixar a natureza um pouco de lado, vale a pena selecionar o modo Sport para ouvir o rugido metálico dos seis cilindros trabalhando a pleno vapor.

São necessários 5,5 segundos para ir de 0 a 100 km/h, nada mal para um "monstro" de duas toneladas sem pretensões esportivas - pelo menos não nesta versão, a xDrive40i. A velocidade máxima é limitada eletronicamente em 250 km/h.

Consumo nem deveria ser uma preocupação (e normalmente não é mesmo) de quem compra um X6. Mesmo assim, é bom saber que o SUV cupê faz 7,8 km/l na cidade e 9,6 km/l na estrada com gasolina. Antes que você reclame comigo, eu digo que, sim, são números satisfatórios para um carro deste porte e com tanta potência. Mas, novamente, se você esquenta a cabeça com isso, talvez o X6 não seja o carro certo para sua garagem.

BMW X6 3 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Duas telas de 12,3 polegadas dominam a cabine do SUV cupê
Imagem: Murilo Góes/UOL

Das três marcas de luxo da Alemanha (quatro se incluirmos a Porsche), a BMW foi a mais resistente a algumas tecnologias relativamente simples.

Prova disso estava na cabine do antigo X6: os mostradores analógicos tinham o mesmo visual há décadas e a central multimídia não tinha tela tátil, algo que até carros populares já ofereciam no Brasil.

Felizmente isso faz parte do passado. Agora são duas telas de 12,3 polegadas, uma para o painel digital e outra para o sistema de entretenimento a bordo. Por meio delas é possível visualizar todas as informações sobre o veículo, traçar rotas por GPS e até mudar a cor da iluminação ambiente do veículo - embora a paleta da BMW não seja tão abrangente (e controversa) quanto a de alguns Mercedes-Benz.

É possível realizar várias tarefas por meio da assistente pessoal. O sistema entende comandos de voz e parece ser mais interativo do que o MBUX da arquirrival Mercedes, ainda que nem sempre entenda o "Oi, BMW" que ativa a função. Inteligência também é seu forte: a temperatura do ar-condicionado é alterada de acordo com quem pediu (se foi o motorista, apenas o lado dele será modificado). Experimento pedir para selecionar uma rádio de música clássica e poucos segundos depois estou ouvindo a Cultura FM. Além de tudo ela tem bom gosto.

Existe também o reconhecimento de gestos, caso você não queira utilizar os comandos de voz ou simplesmente esteja com preguiça de procurar os botões. Um sensor instalado no teto do carro reconhece os movimentos realizados logo acima da manopla do câmbio.

Girar o dedo para o lado direito aumenta o volume e para o lado esquerdo abaixa o som. Movimentar o polegar em direção ao lado direito (como se estivesse pedindo carona) avança a faixa musical. Reserve um tempo para explorar todas as funções - e também para não parecer um bobo fazendo gestos sozinho.

BMW X6 5 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
SUV cupê traz várias assistências de condução semiautônomas
Imagem: Murilo Góes/UOL

O X6 traz várias assistências de condução semiautônomas. Agora há piloto automático adaptativo com função específica para trânsito, frenagem autônoma de emergência e alerta de colisão frontal. O assistente de permanência em faixa corrige a trajetória do volante de forma invasiva, a ponto de até assustar o motorista.

Os faróis de LED possuem feixe a laser capaz de dobrar o alcance do facho dos faróis convencionais. E o sistema de câmera com visão em 360 graus facilita muito a vida nas manobras em locais apertados.

Já os custos de manutenção não foram divulgados pela empresa.

BMW X6 4 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
X6 não está mais sozinho no segmento
Imagem: Murilo Góes/UOL

O X6 deixou de ter vida fácil no segmento de SUVs cupês. Por R$ 567.950, o modelo encara Audi Q8 Performance Black (R$ 531.990) e Porsche Cayenne Coupé, que parte de R$ 459 mil na versão mais "barata".

Nos próximos meses, a Mercedes-Benz deve lançar a nova geração do GLE Coupé no mercado brasileiro.

Mecânica
  • Motorização

  • 3.0, biturbo, 6 cilindros

  • Combustível

  • Gasolina

  • Potência (cv)

  • 340

  • Torque (kgf.m)

  • 45,9

  • Aceleração de 0 a 100 (segundos) (km/h)

  • 5,5

  • Velocidade máxima (km/h)

  • 250

  • Consumo cidade (km/l)

  • 7,8

  • Consumo estrada (km/l)

  • 9,6

  • Câmbio

  • automático de 8 marchas

  • Tração

  • integral permanente

  • Direção

  • elétrica

  • Suspensão Dianteira

  • independente, braços sobrepostos

  • Suspensão Traseira

  • independente, multilink

  • Freios Dianteiros

  • discos ventilados

  • Freios Traseiros

  • discos ventilados

Pneus e Rodas
  • Pneus

  • 275/35 (diant.) / 315/30 (tras.)

  • Rodas

  • 22 polegadas

Dimensões
  • Altura (mm)

  • 1696

  • Comprimento (mm)

  • 4935

  • Entre-eixos (mm)

  • 2975

  • Largura (mm)

  • 2004

  • Ocupantes

  • 5

  • Peso (kg)

  • 2055

  • Porta-malas (L)

  • 580

  • Tanque (L)

  • 83

Equipamentos
  • Airbags Motorista

  • Airbags Passageiro

  • Airbags Laterais

  • Airbags do tipo Cortina

  • Airbags para joelho do motorista

  • Controle de Estabilidade

  • Controle de Tração

  • Freios ABS

  • Distribuição Eletrônica de Frenagem

  • Ar-Condicionado

  • Travas Elétricas

  • Ar Quente

  • Piloto Automático

  • Volante com Regulagem de Altura

  • Vidros Elétricos Dianteiros

  • Vidros Elétricos Traseiros

  • Central Multimídia

  • Rádio FM/AM

  • Entrada USB

  • Entrada Auxiliar

  • Banco de Couro

  • Banco do motorista com ajuste de altura

  • Bancos com ajustes elétricos

  • Desembaçador Traseiro

  • Teto Solar

  • Computador de Bordo

  • Acendimento automático dos faróis

  • Faróis de neblina

  • Frenagem autônoma de emergência

  • Alerta de permanência em faixa

  • Sensor de pressão dos pneus

  • Sensor de pontos cegos

  • Alerta de colisão

  • Abertura elétrica do porta-malas

  • Faróis com regulagem de altura

  • Bloqueio do diferencial

  • Sistema de estacionamento autônomo