PUBLICIDADE

Topo

Qual é o Remédio

Um guia dos principais medicamentos que você usa


Qual é o Remédio

Metronidazol é antibiótico potente muito usado em inflamações ginecológicas

iStock
Imagem: iStock

Cristina Almeida

Colaboração para VivaBem

09/11/2021 04h00

Resumo da notícia

  • Este antibiótico tem ação antimicrobiana, em especial contra microrganismos anaeróbios
  • Um dos usos mais comuns é o tratamento de inflamações ginecológicas como a vaginite
  • Sem estudos de segurança para gestantes e lactantes, só deve ser usado por indicação médica
  • Esse medicamento só pode ser vendido com a receita médica, que é retida

O metronidazol é um agente antimicrobiano potente, e é utilizado há mais de 55 anos para tratar infecções por bactérias, amebas e protozoários.

O que é metronidazol?

Trata-se de um antibiótico derivado do nitroimidazol. Devido às suas características, ele só pode ser comercializado com a apresentação da receita médica, que é retida.

Em quais situações ele deve ser usado?

Dada a utilização desse fármaco há mais de meio século, seus efeitos são bastante conhecidos. Contudo, é importante que você faça o uso racional desse remédio, ou seja, utilize-o de forma apropriada, na dose certa e por tempo adequado, conforme orientação médica e do farmacêutico.

Esse medicamento não deve ser usado para o tratamento de resfriados, gripes ou outras infecções virais. Usar antibióticos sem necessidade pode levar à resistência bacteriana. Isso significa que quando você realmente precisar desse medicamento, ele poderá não ter o efeito desejado.

A medicação pode ser indicada para tratar variados tipos de infecções, destacando-se as seguintes:

  • Giardíase (infecção do intestino causada por protozoários)
  • Amebíase (infecção causada por amebas)
  • Tricomoníase (infecções produzidas por várias espécies de tricomonas)
  • Vaginites (inflamação na vagina por Gardnerella vaginalis)
  • Infecções causadas por bactérias anaeróbias (Bacteroides fragilis e outros bacteroides)

O metronidazol também pode ser utilizado no tratamento de picadas de inseto, fístulas perianais, endocardite, meningite, algumas infecções respiratórias como a pneumonia, no período pós-operatório, na rosácea e no tratamento de infecções por Helicobacter pylori. A sua indicação ainda tem sido objeto de estudo nos partos prematuros e doenças periodontais. Como esses usos não constam da bula, eles são chamados de off label.

Entenda como ele funciona

Ao ser administrado pela via oral, o metronidazol é distribuído pelo corpo e seus vários fluidos (bile, saliva, leite materno e placenta), o que faz que sua biodisponibilidade seja ampla. Ele é metabolizado no fígado e eliminado, majoritariamente, pela urina e em menor parte pelas fezes. Os seus efeitos já são esperados após 30-60 minutos da administração.

Para cumprir sua função, o medicamento entra na célula da bactéria ou do protozoário e modifica seus processos celulares. Michelle Melgarejo da Rosa, professora adjunta do Departamento de Bioquímica da Universidade Federal de Pernambuco, explica que isso é feito por meio da liberação de elétrons que provocam reações químicas e levam à produção de compostos tóxicos e radicais livres que danificam o DNA dos microrganismos.

"Assim agindo, o fármaco provoca não só a morte das bactérias como impede que outras delas sejam sintetizadas", completa a especialista.

Conheça as apresentações disponíveis

Flagyl® é uma das marcas de referência do metronidazol. Mas você pode também encontrar versões genéricas desse medicamento.

Confira algumas apresentações e doses disponíveis:

  • Gel vaginal - 100 mg
  • Comprimidos revestidos - 250 mg
  • Comprimido revestidos - 400 mg
  • Suspensão oral - 80 ml, 100 ml, 120 ml ou 200 ml

A medicação consta da Rename 2020 (Relação Nacional de Medicamentos Essenciais), por isso ela tem distribuição gratuita em todas as UBSs (Unidades Básicas de Saúde). Para ter acesso, basta apresentar a receita médica.

O esquema de doses é sempre personalizado e, geralmente, a terapia dura 7 dias. Os especialistas sugerem que você evite aumentá-las, reduzi-las ou mesmo automedicar-se durante uma crise sem orientação do seu médico.

Quais são as vantagens e desvantagens desse medicamento?

Os especialistas consultados destacam como vantagens a potência e a ampla atividade do metronidazol nas infecções por anaeróbios, além de baixos níveis de resistência bacteriana, graças às suas precisas indicações.

Já o potencial tóxico, especialmente pela interação com o álcool e medicamentos de uso comum na população —como os reguladores de humor— podem limitar seu uso. Aliás, o fato de ele ser mais eficaz nas infecções do trato inferior faz desse fármaco mais restrito em comparação com os outros de sua classe.

Saiba quais são as contraindicações

O remédio não pode ser usado por pessoas que sejam alérgicas (ou tenham conhecimento de que alguém da família tenha tido reação semelhante) ao seu princípio ativo ou a qualquer outro componente de sua fórmula.
Fique também atento à presença das seguintes condições:

  • Infecção vaginal por fungos
  • Doenças do sangue, rins ou fígado
  • Edema
  • Gravidez
  • Amamentação
  • Ter idade inferior a 12 anos

Crianças e idosos podem usá-lo?

A ginecologista Raquel Autran, professora associada da Universidade Federal do Ceará, fala que esse medicamento já foi amplamente usado na população pediátrica como anti-helmíntico (ameba e giárdia), e continua sendo usado nas vulvovaginites de crianças maiores na forma de suspensão.

Quanto aos idosos, a médica confirma que eles também podem ser beneficiados por esse fármaco e não há orientações especiais de uso. No entanto, no momento da indicação, os médicos devem estar atentos à presença de eventuais contraindicações, além das possíveis interações medicamentosas.

Estou grávida e pretendo amamentar. Posso usar metronidazol?

O fármaco atravessa a placenta e pode ser excretado pelo leite materno. Como não existem estudos de segurança que garantam que feto e bebê estarão protegidos, a orientação é evitar seu uso no primeiro trimestre de gravidez e durante o aleitamento. Apesar disso, converse com seu médico para que ele possa avaliar a relação de risco/benefício desse medicamento para você.

Qual é a melhor forma de consumi-lo?

A orientação é de que ele seja ingerido inteiro com água. O comprimido não deve ser partido nem mastigado.

Existe uma melhor hora do dia para usar esse medicamento?

Não. O importante é que o metronidazol seja administrado na forma indicada pelo seu médico.

O que faço quando esquecer de tomar o remédio?

Aguarde o horário da próxima dose, e tome o remédio normalmente, conforme orientação médica e do farmacêutico. É desaconselhado tomar doses em dobro de uma vez só para compensar a dose que foi esquecida. Se você sempre se esquece de tomar seus remédios, use algum tipo de alarme para lembrar-se.

Quais são os possíveis efeitos colaterais?

Este medicamento é considerado bem tolerado, seguro e eficaz quando usado em doses adequadas e pelo menor tempo possível.

A apresentação de uso tópico raramente causa reações adversas. Mas as apresentações orais podem levar a efeitos colaterais, e os mais comuns são náusea, vômito, diarreia, gosto metálico na boca, dormência nas mãos ou pés e confusão mental. Algumas pessoas poderão observar ainda as seguintes manifestações:

Interações medicamentosas

Algumas medicações não combinam com o metronidazol. E quando isso acontece, elas podem alterar ou reduzir seu efeito. Avise o médico, o farmacêutico ou dentista, caso esteja fazendo uso (ou tenha feito uso recentemente) das substâncias abaixo descritas, que são apenas alguns exemplos de possíveis interações.

Confira:

  • Anticoagulante (varfarina)
  • Estabilizante de humor (lítio)
  • Imunossupressores (ciclosporina)
  • Anticonvulsivante ou barbitúrico (fenobarbital)
  • Antineoplásico (bussulfano)
  • Inibidores de secreção ácida (cimetidina)
  • Medicamento para tratar etilismo (dissulfiram)
  • Qualquer outro fármaco que contenha álcool

Antes de iniciar o tratamento com o metronidazol, informe ao profissional da saúde o uso de vitaminas, suplementos e fitoterápicos para que ele possa avaliar alguma possível interação com esses itens.

Fique atento ao efeito antabuse

A farmacêutica Danyelle Cristine Marini, diretora do Conselho Regional de Farmácia - seção São Paulo, afirma que apesar de não existirem relatos de interações alimentares, é preciso ficar atento ao consumo do álcool porque há risco de antabuse.

"Trata-se de uma hipersensibilidade ao álcool provocada pela interação com o metronidazol que aumenta o risco da manifestação de efeitos desagradáveis como rubor intenso, dor latejante de cabeça, dificuldade respiratória, náusea, vômito, suor, sede, dor no peito, taquicardia, palpitação, pressão baixa, tonturas, vertigens, além de visão turva e confusão", esclarece a especialista.

O conselho médico é evitar bebidas alcoólicas até ao menos 24 horas após o término do tratamento.

Em casa, coloque em prática as seguintes dicas:

  • Observe a validade do medicamento indicado no cartucho. Lembre-se: após a abertura, alguns fármacos têm tempo de validade menor, o que também é influenciado pela forma como você o armazena;
  • Leia atentamente a bula ou as instruções de consumo do medicamento;
  • Ingira os comprimidos inteiros. Evite esmagá-los ou cortá-los ao meio --eles podem ferir sua boca ou garganta;
  • Em caso de cápsulas, não as abra para colocar o conteúdo em água, alimentos ou mesmo para descartar. Sempre use a cápsula íntegra;
  • No caso de suspensões orais, agite bem o frasco antes de usar. E sempre limpe o copo dosador antes e após o uso. E armazene junto ao frasco do medicamento, para evitar misturar com outros medicamentos;
  • Prefira comprar remédios nas doses justas para o uso indicado para evitar sobras;
  • Respeite o limite da dosagem diária indicada na bula;
  • Escolha um local protegido da luz e da umidade para armazenamento. Cozinhas e banheiros não são a melhor opção. A temperatura ambiente deve estar entre 15°C e 30°C;
  • Guarde seus remédios em compartimentos altos. A ideia é dificultar o acesso às crianças;
  • Procure saber quais locais próximos da sua casa aceitam o descarte de remédios. Algumas farmácias e indústrias farmacêuticas já têm projetos de coleta;
  • Evite descarte no lixo caseiro ou no vaso sanitário. Frascos vazios de vidro e plástico, bem como caixas e cartelas vazias podem ir para a reciclagem comum.

O Ministério da Saúde mantém uma cartilha (em pdf) para o Uso Racional de Medicamentos, mas você pode complementar a leitura com a Cartilha do Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos - Fiocruz) (em pdf) ou do Conselho Regional de Farmácia de São Paulo (também em pdf). Quanto mais você se educa em saúde, menos riscos você corre.

Fontes: Amouni Mourad, farmacêutica, professora do curso de farmácia da Universidade Presbiteriana Mackenzie (SP) e assessora técnica do CRF-SP (Conselho Regional de Farmácia de São Paulo), Danyelle Cristine Marini, diretora do CRF-SP e professora do curso de medicina da Unifae (Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino/São João da Boa Vista) e nas Faculdades Integradas Maria Imaculada (Mogi Guaçu/SP); Michelle Melgarejo da Rosa, professora adjunta do Departamento de Bioquímica da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco); Raquel Autran, ginecologista, professora associada da UFC (Universidade Federal do Ceará), chefe do Setor de Saúde da Mulher da MEAC (Maternidade Escola Assis Chateaubriand), que integra a rede Ebserh. Revisão técnica: Amouni Mourad.

Referência: Weir CB, Le JK. Metronidazole. [Atualizado em 2021 Jun 29]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2021 Jan-. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK539728/.

Qual é o Remédio