Remédios para enjoo: o que é bom tomar para aliviar o sintoma?

A náusea ou enjoo é caracterizada por uma sensação de mal-estar em que a pessoa sente vontade de vomitar, que pode vir acompanhada do próprio vômito ou não. Está relacionada a mudanças na atividade muscular gástrica normal. Na maioria das vezes se resolve espontaneamente entre 12 horas e 48 horas, mas caso isso não aconteça ou os sintomas se intensifiquem, deve-se buscar ajuda médica.

O tratamento do enjoo depende da causa e pode ocorrer em diversas situações, como em quadros de enxaqueca, infecções virais e bacterianas, intoxicação alimentar, doença do refluxo gastroesofágico, durante a gestação, após o uso de algumas medicações, entre outros.

Existem algumas medicações que podem ser usadas para aliviar o problema, mas é importante passar pela avaliação de um profissional da saúde.

Principais remédios contra enjoo

  • Metoclopramida (Plasil, Primperan): é um antagonista de receptor da dopamina (neurotransmissor conhecido pela regulação do humor e prazer, mas neste caso está relacionado à saúde do intestino/estômago). A medicação atua estimulando o esvaziamento gástrico e diminuindo a náusea, entretanto, tem efeitos colaterais que causam mal-estar geral, calores e grande agitação (fenômeno conhecido como reação extrapiramidal).
  • Ondansetrona (Vonau, Enavo, Nausedron): age seletivamente bloqueando os receptores 5-HT3 (subgrupo de receptor da serotonina), resultando em um bom controle de enjoos e vômitos.
  • Prometazina (Fenergan): atua no bloqueio dos receptores da dopamina no cérebro. Em baixas doses funciona como um antiemético, isto é, medicamento utilizado para tratar e evitar náuseas e vômitos.
  • Cloridrato de Meclizina (Meclin): parece estar relacionada com a inibição do centro do vômito no tronco cerebral, com a redução da excitabilidade do labirinto, apresentando boas respostas no quadro de náuseas e vômitos relacionados ao movimento.
  • Droperidol (Droperdal): possui acentuada ação sedativa, tranquilizante e antiemética.
  • Domperidona (Motilium): aumenta a motilidade esofágica, gástrica e intestinal, permitindo alívio de náuseas e vômitos.
  • Dimenidrato (Dramin): é um potente antiemético e anti-histamínico (medicação anti-alérgica).

É importante nunca se automedicar em casos de enjoo. Remédios devem ser tomados apenas após recomendação médica, já que eles podem servir para mascarar sintomas e assim piorar a causa real do problema no seu organismo.

Vale ressaltar que, no caso de gestantes, a Febrasgo (Federação das Associações Brasileiras de Ginecologia e Obstetrícia) tem uma recomendação dos medicamentos que podem ser utilizados para aliviar enjoo. Para saber quais são, a mulher deve conversar com seu obstetra durante o pré-natal.

Efeitos colaterais podem variar

Como a grande maioria dos fármacos, os medicamentos antieméticos (para enjoo), possuem efeitos colaterais que vão variar dependendo do remédio utilizado.

Continua após a publicidade

Os principais são sonolência, constipação, boca seca, tontura, espasmos musculares e alteração de comportamento.

"Remédios" caseiros para enjoo

Na hora do enjoo, muitas pessoas acabam recorrendo as medidas caseiras para aliviar o desconforto. Conheça algumas:

  • Tomar água gelada ou com gelo é uma boa opção porque a baixa temperatura amortece os receptores do paladar e alivia as náuseas.
  • Comer gengibre teria o potencial de relaxar a musculatura do estômago e melhorar a sensação de enjoo. Outra teoria é que o gengibre tem ação anti-inflamatória e contribui para diminuir a secreção dos ácidos gástricos, evitando lesões da parede do estômago.
  • Consumir alimentos de fácil digestão, como bolacha de água e sal, reduz a sobrecarga da função do estômago, o que alivia o desconforto.
  • Evitar ingerir bebidas gaseificadas ou alimentos que favorecem a distensão do abdome, como grãos, por exemplo. Eles pioram o refluxo gastroesofágico e, consequentemente, pioram as náuseas.
  • Além disso, invista na hidratação oral, ela é fundamental para evitar um quadro de desidratação, uma vez que quando a pessoa está com enjoo tende a ter menos apetite.
  • Acupuntura e/ou acupressão são duas técnicas utilizadas na medicina chinesa que podem tratar enjoos e vômitos.

Quando se preocupar

Em casos de dor abdominal intensa, dor de cabeça, rigidez do pescoço, sensação de desmaio ou confusão mental, o paciente deve procurar um pronto-atendimento.

Continua após a publicidade

Fontes: Ana Paula Avritscher Beck, ginecologista e obstetra do Departamento Materno Infantil do Hospital Israelita Albert Einstein (SP); e Fernanda Domingos Giglio Petreche, médica clínica geral do Hospital Israelita Albert Einstein (SP), especialista em medicina interna e em educação na saúde.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes