Topo

Novidades de beleza

O que é BB Glow? Veja riscos da técnica que deixa a pele com efeito de base

BB Glow surgiu na Coreia do Sul, onde as mulheres cuidam da pele e adoram o efeito iluminado - iStock
BB Glow surgiu na Coreia do Sul, onde as mulheres cuidam da pele e adoram o efeito iluminado Imagem: iStock

Paula Roschel

Colaboração para Universa

07/08/2019 04h00

O BB Glow é uma técnica da estética que surgiu na Coreia do Sul e agora se populariza no Brasil e em outras partes do mundo, como Estados Unidos e Rússia. Seu objetivo é deixar a pele homogênea por meio da atenuação de olheiras, manchas e linhas de expressão, graças ao emprego de ativos depositados com uma espécie de caneta com agulha na extremidade, chamada dermapen, ou com o polêmico dermaroller. Tais ferramentas introduzem na cútis, a partir de microlesões, uma série de soros e outras substâncias com pigmentos, que dão brilho e aspecto de base ou BB cream temporário.

Enquanto esteticistas comunicam que o protocolo, uma espécie de maquiagem semipermanente, é inofensivo e traz apenas benefícios, médicos iniciam uma cruzada para derrubar a sua positiva reputação, mostrando um lado danoso e alergênico.

Como funciona?

Para a micropigmentadora estética Danielle Furtado, especialista em BB Glow, do Rio de Janeiro, o protocolo não pode ser considerado uma micropigmentação ou microagulhamento, mas algo distinto. "É um tratamento com baixa carga pigmentária. Ele usa soros, injetados na pele, que funcionam como poderosos antioxidantes, como fatores de crescimento, vitaminas, células-tronco e ouro 24 quilates", explica. A especialista afirma que o BB Glow uniformiza o tom da pele, além de deixá-la com aspecto mais iluminado.

Entre os benefícios elencados pelos defensores da manobra ainda estão a diminuição do calibre dos poros dilatados, melhor textura e capacidade de disfarçar cicatriz de acne. "O protocolo é usado mais para tratar a pele do que pigmentá-la. É possível ver os resultados de 'rosto de porcelana' na primeira sessão, mas o recomendado são cinco", diz a esteticista Natália Nascimento, do Rio de Janeiro.

O que pode dar errado?

A técnica ainda é um mistério, sem comprovação científica ou regulamentação, na visão de especialistas da saúde. "Trata-se de uma maquiagem semipermanente, em que microagulhas são usadas para inserir o pigmento. Com ele, utiliza-se vitaminas e fatores de crescimento. No longo prazo, não sabemos quais efeitos pode causar na pele. O BB cream aplicado, por exemplo, contém inúmeras substâncias que não são biodegradáveis, como metais pesados. Além disso, outras substâncias nocivas estão presentes na formulação, como o óxido vermelho de ferro, passível de causar escurecimento e queimadura na pele caso a pessoa seja exposta à ressonância magnética", diz a biomédica Michele Carvalho, da clínica Bem Bonita, do Rio de Janeiro.

Os principais riscos associados ao procedimento são manchas por conta da inflamação da área, cicatrizes pelas perfurações da caneta ou roller, dermatite de contato, reações alérgicas, granulomas e intoxicação tópica. "Além disso, marcas como as do melasma podem ser agravadas pelo depósito de pigmentos, que irão apenas "disfarçar" e não tratar as principais disfunções. Os supostos benefícios são questionáveis, por se tratar de uma "maquiagem" e não um tratamento em si", completa Michele.

Segurança

Se o BB Glow seguir como uma opção para quem deseja uma cútis impecável, mesmo sabendo das contraindicações e possíveis alergias, existe outro ponto importante para ser considerado: a esterilização. As microagulhas envolvidas no processo devem ser descartáveis, em embalagem lacrada, já que há riscos de contaminação da área pelas microperfurações.

"A manipulação de agulhas requer um ambiente estéril, o que muitas vezes não é respeitado. Isso gera um grande risco de infecções. Além disso, a depender do tamanho da agulha e da pressão exercida, podem ser geradas cicatrizes na pele", diz a dermatologista Kédima Nassif, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, de Belo Horizonte (MG).

Especialistas médicos afirmam, ainda, que a técnica não pode ter durabilidade de um ano, como apontado por algumas esteticistas. O BB Glow ficaria, no máximo, por um mês na área, pois há renovação da epiderme, onde os produtos são depositados, em um espaço de 28 dias.

BB Glow

O que é? Espécie de maquiagem semipermanente que deixa a pele com aspecto de base. Além disso, especialistas que fazem a técnica dizem que a cútis fica com aspecto mais saudável, de porcelana.
Resultados esperados: Pele mais homogênea, com poros reduzidos e luminosidade.
Duração: 1h30.
Quantidade de sessões: Para protocolo completo, cinco, a cada 15 dias.
Contraindicação: Diabéticos e hipertensos descompensados, pessoas com melanoma, marcas ou outra lesão na pele, pessoas passando por tratamento com anticoagulantes, gestantes, lactantes, pessoas alérgicas aos ativos utilizados, com queloide ou herpes ativa.
Manutenção: Esteticistas dizem que o protocolo dura até um ano. Já profissionais da saúde falam em 28 dias de duração.
Valor da sessão: A partir de R$ 650.

Mais Novidades de beleza