PUBLICIDADE
Topo

Galaxy S22 Ultra cobra caríssimo por desempenho perfeito e câmera excelente

Rodrigo Lara

Colaboração para Tilt, em São Paulo

30/03/2022 04h00

Enquanto testava o Galaxy S22 Ultra 5G, o mais avançado entre os modelos da Samsung — e uma espécie de substituto do Galaxy Note, me ocorreram algumas dúvidas. Uma das principais foi: até que ponto quem tem esse aparelho realmente usa todo o seu poder e as suas funções?

Isso porque falamos aqui de um celular com especificações extremamente parrudas, sistema de câmeras que esbanja megapixels, tela enorme e até mesmo uma característica que muita gente que era fã do Galaxy Note curtia: a canetinha S Pen.

Ao menos em teoria, o S22 Ultra 5G será melhor aproveitado por quem quer o máximo em desempenho em um aparelho e que também usará o telefone para trabalhar. Confira a seguir a análise completa do S22 Ultra.


Galaxy S22 Ultra

Preço

R$ 9.499 (prazo) na versão de 256 GB R$ 8.549,10 (lojas varejistas)
TILT
4,5 /5
USUÁRIOS
5,0 /5
ENTENDA AS NOTAS DA REDAÇÃO

Painel de alta qualidade resulta em experiência ótima para games e vídeos

Conjunto de quatro lentes, com funções distintas, permitem fotos de excelente qualidade.

Não chega a ser um peso-pesado, mas passa longe de ser um aparelho leve.

Caneta S Pen é destaque, mas tamanho avantajado atrapalha uso com uma mão só.

Todas as qualidades do aparelho não justificam o preço altíssimo cobrado por ele.

Pontos Positivos

  • Livre de engasgos, é aquele tipo de aparelho capaz de rodar qualquer coisa sem dificuldades.
  • Conjunto de câmeras excelente e versátil.
  • Tela tem tamanho e desempenho ótimos para assistir a vídeos e jogar.
  • Bateria segura bem a onda e ajuda a manter o celular longe da tomada.
  • Caneta S Pen é ótimo periférico que, se aproveitado, adiciona formas bem interessantes de se usar o celular.

Pontos Negativos

  • Tamanho grande impede uso fácil com apenas uma das mãos.
  • Preço praticado faz dele um aparelho para poucos

Veredito

O S22 Ultra 5G brilha quando o assunto é desempenho, tela, câmeras e recursos únicos. Justifica bem o posicionamento como aparelho um ótimo celular topo de linha. O problema é o preço praticado, o que faz seus "irmãos menores" S22 e S22+ serem escolhas mais racionais.

Ao contrário de S22 e S22+, o modelo testado tem um visual próprio e consideravelmente diferente até mesmo do S21 Ultra. Ele é menor em comprimento (163,3 mm) do que o seu antecessor, porém mais largo. As demais medidas são: 77,9 mm de largura e 8,9 mm de espessura, com peso de 228 gramas.

O S22 Ultra 5G tem aspecto mais quadradão na frente, com cortes retos tanto na parte superior quanto na inferior. As laterais, porém, são arredondadas.

A maior largura se deve ao fato de que o smartphone passou a incorporar a S Pen, uma caneta que permite escrever em sua tela. O S21 Ultra tinha suporte ao periférico, mas no S22 Ultra 5G ele conta com um nicho próprio para ser guardado dentro do aparelho, por meio de uma entrada em sua parte inferior.

Mesmo sendo relativamente fino, o celular da Samsung não é exatamente confortável de se carregar no bolso da calça, especialmente se ela for mais justa —ele fica ainda maior com o uso de uma capa de proteção, item quase obrigatório para proteger o aparelho.

Em termos construtivos, o smartphone tem carcaça de metal, feita de um material que a Samsung chama de Armor Aluminium. Frente e traseira são revestidas de vidro (Gorilla Glass Victus +) e ele tem especificação IP68 de vedação para poeira e água —ao menos em teoria, ele consegue sobreviver após ficar submerso em 1,5 metro de água por 30 minutos.

O S22 Ultra conta apenas com uma entrada USB-C em sua parte inferior. É a mesma usada para carregamento da bateria. Como tem sido praxe, a Samsung não colocou um carregador na caixa do aparelho.

A tela manteve as medidas da geração anterior: o display tem 6,8 polegadas (17,27 cm). Isso, por si só, faz com que o aparelho seja ótimo para assistir a vídeos.

A taxa de atualização é de 120 Hz (que representa a fluidez com que as animações são exibidas; quanto maior o número, melhor). Esse índice, que varia de acordo com a situação para poupar bateria, se mostra um diferencial especificamente na hora de jogar games que exigem reações rápidas.

O S22 Ultra 5G é um aparelho extremamente rápido, com abertura e troca entre aplicativos ocorrendo com enorme fluidez. Jogos testados, caso de Asphalt 9, Call of Duty Mobile e Free Fire rodaram sem qualquer tipo de engasgo.

Uma forma mais exata de se medir o desempenho de um aparelho é realizando um teste de benchmark. Usando o app Geekbench 5, o S22 Ultra 5G marcou 3.498 pontos no teste que avalia todos os núcleos do aparelho em conjunto e 1.237 pontos no teste de núcleo simples.

São números de responsa, mas que ficam atrás de um concorrente do aparelho: o iPhone 13 Pro Max. O aparelho da Apple registrou 4.647 pontos e 1.735 pontos nos mesmos testes, respectivamente.

A versão vendida no Brasil usa um SoC (sigla para "System-on-a-Chip", ou "Sistema no Chip", solução que reúne processador, unidade de processamento gráfico e modem) Qualcomm SM8450 Snapdragon 8 Gen 1, o mesmo adotado no restante da linha S22.

Destaque para o método construtivo de quatro nanômetros, o que torna o conjunto mais eficiente e gera menos calor no telefone. Ainda assim, o celular não é imune a um leve aquecimento, especialmente quando ele é usado para tarefas que demandam mais do conjunto, como em games. Mas nada que prejudique a experiência.

O diferencial em relação aos seus "irmãos menores" é a memória RAM (que ajuda no desempenho), que é maior, com 12 GB.

De forma geral, é o mesmo conjunto de câmeras do S21 Ultra. São quatro sensores atrás:

  • grande angular de 108 MP
  • teleobjetiva periscópica de 10 MP (zoom óptico de 10x)
  • teleobjetiva de 10 MP (zoom óptico de 3x)
  • ultra-angular de 12 MP.

A principal diferença para o S21 Ultra está nas teleobjetivas, capazes de captar imagens levemente mais abertas.

Galaxy S22 Ultra: confira fotos tiradas com o celular da Samsung

Na prática, o resultado envolve fotos excelentes, inclusive em situações de baixa luminosidade. Dependendo do nível de escuridão, o aparelho conta com um modo de câmera noturno que diminui a velocidade do obturador para captar o máximo possível de luz.

O zoom, por sua vez, pode chegar a até 100x, mas isso tem mais efeito de curiosidade do que funciona como algo prático, já que é difícil focar em objetos nessa situação e as imagens saem bem pixeladas. Já quando se usa o zoom até 10x, aí o desempenho é bem interessante, auxiliado pelo sistema de estabilização de imagem.

O modo retrato é competente ao borrar o fundo das fotos, não deixar a pele com aspecto plastificado e também em lidar com situações de luz que não são as ideais.

O aplicativo de fotos do aparelho também permite controlar diversos aspectos da câmera, algo útil para quem tem mais experiência com fotografia e não curte depender tanto da intervenção dos algoritmos do smartphone. Na frente, temos uma lente grande angular com sensor de 40 MP.


A bateria costuma ser o calcanhar de Aquiles de celulares mais potentes. E isso é fruto de uma relação diretamente proporcional: quanto maior a quantidade de recursos disponíveis, mais esses aparelhos tendem a consumir suas reservas de energia.

O S22 Ultra 5G, porém, foi bem nesse quesito. O tamanho avantajado do aparelho resulta em uma bateria maior do que a dos outros modelos da linha: são 5.000 mAh.

Utilizando um vídeo padrão dos testes de Tilt, a bateria demorou 13h23 para se esgotar. Em uso quase normal — afinal, a maior parte do tempo foi passada dentro de casa, com o smartphone conectado via wi-fi—, eu só precisei "dar de comer" para ele quase dois dias depois da última recarga.

O suporte a carregadores rápidos também ajuda naquela hora do sufoco e bastam poucos minutos na tomada para conseguir uma boa dose de bateria.

De maneira geral, o S22 Ultra 5G seria "apenas" um celular parrudão com ótimo desempenho. Mas ele tem algo que, de início, não imaginei que usaria tanto: a S Pen.

Herança dos finados Galaxy Note, essa canetinha se mostrou algo surpreendentemente útil em diversas situações. Com a tela gigante do aparelho, é fácil escrever nele como se ele fosse uma folha de "papel digital". E isso vale mesmo no caso de pessoas como eu, cuja caligrafia faria os egípcios antigos se orgulharem, já que o celular tem um recurso atrativo: ele transforma aqueles garranchos incompreensíveis em texto "digitado".

Aqui, claro, varia muito do tipo de uso que se faz do celular. Se você tem por hábito fazer anotações rápidas em papel enquanto trabalha, esse recurso do S22 Ultra 5G pode fazer você aposentar qualquer "método analógico" para isso. E você nem precisa destravar o celular para usar o periférico.

Também é possível desenhar, destacar textos etc. E a S Pen também vai bem em funções menos triviais. Um exemplo é a possibilidade de ela ser usada como controle remoto para o disparo de fotos.

Fora isso, o S22 Ultra 5G também conta com dois tipos de autenticação biométrica: reconhecimento facial (que ainda não é tão eficiente quanto o Face ID dos iPhone, mas não decepciona) e um sensor de digitais sob a tela. Servem tanto para fazer login de acesso a determinados apps quanto para destravar a tela do aparelho.

Até aqui o S22 Ultra 5G estava indo super bem. O problema maior é o quanto se cobra para ter acesso aos recursos avançados dele: considerando os preços de lançamento, a variante com 256 GB de armazenamento saía por R$ 9.499, enquanto a de 512 GB custava R$ 10.499.

É claro que o S22 Ultra 5G não é um aparelho voltado ao custo-benefício.

Por outro lado, alguém com a conta-corrente recheada o suficiente para não se preocupar em pagar isso em um smartphone dessa categoria certamente não irá se arrepender.

O S22 Ultra 5G provavelmente oferece a melhor experiência possível com um aparelho Android e tem recursos exclusivos, como a S Pen.

Vale pesquisar as configurações dos irmãos S22 5G e o S22+ 5G, caso você queira pagar menos por um celular top de linha. Eles compartilham boa parte das especificações do S22 Ultra e fazem a pessoa interessada economizar mais de R$ 2 mil.

Especificações técnicas
  • Sistema Operacional

  • Android 12 (One UI 4.1)

  • Dimensões

  • 163,3 x 77,9 x 8,9 mm (AxLxE)

  • Resistência à água

  • IP68

  • Cor

  • Preto, Branco, Verde e Vinho

  • Preço

  • R$ 9.499

Tela
  • Tipo

  • Amoled Dinâmico 2X

  • Tamanho

  • 6,8 polegadas (17,27 cm)

  • Resolução

  • Quad HD+ (3088 x 1440 pixels)

Câmera
  • Câmera Frontal

  • 40 MP (grande angular)

  • Câmera Traseira

  • 108 MP (grande angular), 12 MP (ultra-angular), 10 MP (teleobjetiva periscópica) e 10 MP (teleobjetiva)

Dados técnicos
  • Processador

  • Qualcomm SM8450 Snapdragon 8 Gen 1

  • Armazenamento

  • 256 GB ou 512 GB

  • Memória

  • 12 GB

  • Bateria

  • 5.000 mAh