PUBLICIDADE
Topo

Fazer carne de sol em casa é mais fácil do que você imagina; veja como

Irina Cordeiro

Colaboração para Nossa

20/08/2020 04h00

A chef Irina Cordeiro já anuncia no início deste episódio de Tá bom demais!: carne de sol não é igual carne-seca ou charque.

Ainda que muita gente confunda, à mesa a diferença é grande. A seca tem apenas 45% de umidade e até 15% de sal. O resultado: uma carne mais firme e bem mais salgada.

Já a carne de sol, com cerca de 70% de umidade e 5% de sal, é mais tenra e não precisa passar pelo processo de dessalgue.

irina cordeiro - Nossa/UOL - Nossa/UOL
A chef Irina Cordeiro resgata receitas de família nesta temporada de Tá bom demais!
Imagem: Nossa/UOL

No Nordeste, é comum ela também ser chamada de carne de sereno. A nomenclatura faz referência a um costume antigo. No processo ancestral, a carne era pendurada em varais para curar no sal.

"Por volta das cinco da tarde, quando o sol baixava, as pessoas recolhiam a roupa e penduravam as carnes com um grampo. E ali ela ficava até a manhã seguinte, curtindo no sereno, daí o nome", explica Irina.

Preparar a sua própria carne de sol em casa é mais fácil do que você imagina, como você confere neste episódio.

Minha avó fazia, minha mãe aprendeu e hoje ensinarei pra todos vocês"
Irina Cordeiro

carne de sol - Nossa/UOL - Nossa/UOL
A farofa d'água acompanha a carne de sol preparada com manteiga de garrafa
Imagem: Nossa/UOL

Ela pode ser preparada com qualquer tipo de corte. Como Irina decidiu preparar ela grelhada, escolheu um bife de chorizo para curar. "Porém, para preparos como o de paçoca de carne, por exemplo, você pode escolher o coxão duro ou até mesmo músculo", indica a chef.

O passo a passo é repleto de dicas e segredinhos que Irina herdou de família. Assim como a farofa d'água — ou farofa de bolão — que ela escolheu para acompanhar o prato, uma versão mais saudável e igualmente saborosa que a tradicional.