PUBLICIDADE
Topo

Bichos

Tudo o que você precisa saber para cuidar do seu pet

Seu pet está soltando muitos pelos? Saiba quando isso significa um problema

Seu cachorro ou gato está soltando pelos demais? Saiba quando isso representa um problema de saúde - Getty Images/iStockphoto
Seu cachorro ou gato está soltando pelos demais? Saiba quando isso representa um problema de saúde
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Juliana Finardi

Colaboração para Nossa

29/06/2022 04h00

De repente você começou a notar muitos pelos na casa toda, na casinha do pet e até na sua mão depois de fazer um carinho. Sinal de que algo não vai bem com a saúde do seu bichinho de estimação? Nem sempre.

Raças de cães e gatos com pelos longos costumam ter duas trocas anuais: geralmente antes do início do inverno e pouco antes do verão. Já as raças com pelos mais curtos como os cãezinhos Poodle, por exemplo, raramente apresentam uma troca de pelo mais significativa, que pode ser notada pelo tutor.

A queda dos pelos faz parte do ciclo metabólico normal da pele dos bichinhos e que cães e gatos não apresentam grandes diferenças neste quesito.

Para os fãs de números, aqui vai a decepção neste assunto: não há como quantificar nem existe um volume pré-determinado de pelos que o animal pode perder. Na prática, esse volume é relativo.

Via de regra, se a perda não gera prejuízos à cobertura da pele ou está associada a lesões, não se trata de um problema.

Falhas são sinal de alerta

Nem sempre soltar pelos é sinal de problemas mais sérios - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Nem sempre soltar pelos é sinal de problemas mais sérios
Imagem: Getty Images/iStockphoto

A preocupação pode e deve aumentar quando o tutor observar falhas na pelagem ou quedas mais constantes. Outros sinais como áreas de coloração diferentes, lesões, feridas ou prurido também podem ser indícios de alguma doença.

Nestes casos, é importante procurar ajuda profissional, que poderá realizar exames como raspagem, citologia, cultura, antibiograma e histopatológico. Exames laboratoriais ou de imagem também podem ser complementos para verificar a saúde geral do animalzinho.

Dependendo do resultado e diagnóstico, será encaminhado o tratamento mais adequado.

O que pode ser

Estresse e doenças diversas podem estar associadas à queda anormal de pelos em pets - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Estresse e doenças diversas podem estar associadas à queda anormal de pelos em pets
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Doenças

Os casos de quedas anormais podem sinalizar inúmeras doenças desde as ligadas a parasitas como sarna e fungos, até as relacionadas a problemas endócrinos e alérgicos. Infecções, tumores e doenças metabólicas também podem induzir queda na pelagem.

Estresse

O fator estresse pode ser um agravante para a queda de pelos, assim como a queda de cabelos nos humanos. Mudanças súbitas na rotina, ficar muito tempo sozinho e outros motivos que estressam os cães e gatos podem potencializar a perda de pelos.

Alimentação é o xis da questão

Outro problema que está diretamente ligado à saúde dos pelos é a deficiência de ácido graxo, da família ômega 6, que pode causar a desidratação da pele e deixá-la ressecada, fazendo com que o animal tenha descamação e perda de força nos pelos.

Alguns dos nutrientes essenciais para a manutenção da saúde dos pelos dos pets são: ômega 6, presente em ingredientes como gordura de frango e gordura suína; além de biotina e zinco.

Alimentação com nutrientes essenciais pode ajudar a garantir pelos mais saudáveis - Getty Images - Getty Images
Alimentação com nutrientes essenciais pode ajudar a garantir pelos mais saudáveis
Imagem: Getty Images

Vale lembrar que a boa alimentação contribuirá muito com uma pelagem saudável e brilhante, mas não impedirá a renovação. A perda diária de pelos continuará acontecendo.

Escovação faz alguma diferença?

Escovação é cuidado essencial para pelos mais saudáveis em pets - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Escovação é cuidado essencial para pelos mais saudáveis em pets
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Ponto positivo para os tutores adeptos da escovação. Não só para os gatos, mas também com os cães, o hábito ajuda a diminuir a quantidade de pelos mortos que ficam nos animais.

No caso dos gatos, em especial, pode diminuir a ocorrência dos tricobenzoares, as famosas bolas de pelos.

Além deste cuidado, é importante o controle regular de ectoparasitas como pulgas e carrapatos, higiene periódica a partir de banhos, hidratação.

Fontes: Carla Alice Berl, veterinária e fundadora da rede Pet Care; Fábio Medici Alvarenga, especialista em dermatologia veterinária; Flavio Silva, mestre em nutrição de cães e gatos e supervisor de capacitação técnico-científica da Premier Pet.