PUBLICIDADE
Topo

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Fifa já reconheceu Palmeiras como campeão mundial; verdade ou lenda?

Jogadores do Palmeiras comemoram a conquista da Libertadores, que o levou ao Mundial - Cesar Greco
Jogadores do Palmeiras comemoram a conquista da Libertadores, que o levou ao Mundial Imagem: Cesar Greco
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

05/02/2021 04h00

Em 1951, o Palmeiras venceu a Copa Rio, um torneio que trouxe ao Brasil seis campeões nacionais de países que formavam a elite do futebol mundial da época: Juventus (Itália), Sporting (Portugal), Nice (França), Áustria Viena (Áustria), Nacional (Uruguai) e Estrela Vermelha (Sérvia).

O alto nível técnico dos adversários fez o torcedor palmeirense (e também a imprensa brasileira da época) tratar a conquista como um legítimo título mundial, já que ainda não existia nenhuma competição interclubes global que fosse oficial.

Desde então, a discussão está instaurada: o Palmeiras é ou não é campeão mundial? Os apoiadores da equipe alviverde juram que sim e até asseguram que, em um determinado momento, a própria Fifa reconheceu esse feito.

Mas será que esse reconhecimento por parte da entidade que comanda o futebol em todo o planeta realmente aconteceu? Ou essa é apenas mais uma das várias lendas urbanas que tanto fazem sucesso no dia a dia do futebol, como o quadro de autismo de Lionel Messi e a transexualidade de Marco Verratti, meia do PSG?

Os palmeirenses alegam que a Fifa já emitiu pelo menos duas comunicações em que equiparou a conquista da Copa Rio a um título mundial.

A primeira foi em 2007, quando o Palmeiras enviou à entidade um extenso dossiê contando a história da competição disputada no meio do século passado e apresentando suas justificativas de por que o torneio deveria ser classificado como uma espécie de Copa do Mundo dos clubes.

A resposta chegou em um fax enviado pelo então secretário-geral do órgão, Urs Lindi, à CBF. No documento, ele admitia que a solicitação palmeirense fazia todo sentido e que o time deveria ser tratado como campeão mundial.

Sete anos depois, um novo documento alimentou ainda mais as argumentações dos torcedores alviverdes.

Após um intenso lobby promovido pelo então ministro do Esporte, Aldo Rebello, que é fanático pelo clube, Jérôme Valcke, também ex-secretário-geral da Fifa, enviou um e-mail afirmando que o comitê executivo da entidade havia reconhecido o título do Palmeiras e classificado a Copa Rio como o "primeiro Mundial de Clubes realizado".

Só que essas documentações sempre pareceram algo mais da "boca para fora", cuja única serventia era agradar possíveis aliados políticos, do que uma forte decisão institucional. A prova disso que é a Fifa jamais incluiu o clube brasileiro em alguma lista de campeões mundiais existente em seus site ou publicações oficiais.

Além disso, ao longo dos últimos 15 anos, o autor do "Blog do Rafael Reis" entrou em contato inúmeras vezes com a assessoria de imprensa da entidade para perguntar se o título de 1951 havia sido reconhecido. A resposta sempre foi negativa.

Em 2017, o órgão tomou uma decisão mais definitiva... e contrária aos desejos palmeirenses. Em decisão tomada por seu Conselho, a Fifa reconheceu apenas a Copa Intercontinental, aquela velha disputa entre os campeões europeu e sul-americano, como precursora do Mundial de Clubes, que teve uma edição disputada em 2000 e vem sendo jogada anualmente desde 2005.

Com isso, tanto a Copa Rio-1951 quanto a segunda versão do torneio, vencida no ano seguinte pelo Fluminense, foram ignoradas pelo órgão, que decidiu não chancelar as conquistas dos dois times brasileiros.

Desde então, a entidade vem chamando a competição de primeiro torneio intercontinental de clubes, mas não mais de Mundial. Inclusive, foram esses os termos utilizados no site oficial da Fifa em recente matéria apresentando a final da Libertadores.

O Mundial de Clubes-2020 está sendo disputado em fevereiro de 2021 por conta do adiamento no calendário do futebol internacional provocado pela pandemia. Também devido à proliferação do coronavírus, a competição tem um participante a menos nesta edição - o Auckland City, da Nova Zelândia, decidiu não viajar ao Qatar.

Vencedor da Libertadores, o Palmeiras estreia domingo (7) na competição, contra o Tigres, do México, que desbancou o sul-coreano Ulsan Hyundai por 2 a 1 nas quartas de final. O Bayern de Munique, campeão europeu e favorito ao título, joga na segunda-feira (8).

A decisão que irá coroar a melhor equipe do planeta está prevista para a quinta da próxima semana, dia 11.