PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Rafael Reis


Por medo da pandemia, campeão mundial pode ter férias até próxima temporada

01.fev.2020 - N"Golo Kanté durante Chelsea x Leicester City pelo Campeonato Inglês - Visionhaus
01.fev.2020 - N'Golo Kanté durante Chelsea x Leicester City pelo Campeonato Inglês Imagem: Visionhaus
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

28/05/2020 04h20

Classificação e Jogos

O Campeonato Inglês está preparando o seu retorno para meados de junho. No entanto, é bem possível que uma das principais estrelas da competição só volte às atividades normais na próxima temporada.

Campeão mundial com a seleção francesa em 2018 e eleito o craque da Premier League em 2016/17, o volante N'Golo Kanté está com medo de voltar aos gramados por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

O jogador de 29 anos chegou a se apresentar para a retomada dos treinos na semana passada. No entanto, após explicar sua posição, foi liberado das atividades normais do clube e agora está mantendo a forma com exercícios feitos em casa.

Segundo a "Sky Sports", o camisa 7 dos Blues está considerando até mesmo a possibilidade de não voltar aos treinos e nem participar dos jogos do restante desta temporada caso não se sinta totalmente seguro.

O técnico Frank Lampard e os companheiros no elenco do Chelsea têm apoiado o comportamento do volante e não o estão pressionando a apressar seu retorno à rotina normal de um jogador profissional de futebol.

"Nós o respeitamos e vamos esperar até que ele se sinta confortável para voltar aos treinos conosco. A verdade é que, para fazer o que estamos fazendo, você deve se sentir bem e sentir-se confiante. Conhecemos bem Kanté. Ele é alguém que adora treinar e seria incapaz de mentir sobre algo assim", afirmou o goleiro argentino Willy Caballero, ao jornal inglês "Daily Mail."

Kanté é extremamente introvertido e costuma ter dificuldade de se abrir até mesmo com as pessoas mais próximas. Logo após a decisão da Copa-2018, foi preciso que um parceiro de seleção interviesse (Steven Nzonzi) para que ele tirasse uma foto ao lado do troféu, já que lhe faltava coragem para pedir que os outros jogadores lhe dessem licença.

O francês também tem alguns traumas pessoais que até hoje lhe afligem. Seu pai morreu quando ele tinha 11 anos. O irmão faleceu de ataque cardíaco pouco antes do Mundial da Rússia.

O volante chegou a desenvolver alguns sintomas do novo coronavírus no período em que esteve em quarentena. Por isso, mesmo que os testes médicos tenham mostrado que não houve nenhuma infecção, ele não se sente confortável para retornar às atividades, já que se considera do grupo de risco.

Mas Kanté não é o único jogador que deseja que o futebol na Inglaterra não volte tão logo.

O atacante Troy Deeney, capitão do Watford, recusou-se a voltar aos treinos e afirmou publicamente que não pretende retomar a rotina de atleta para não correr o risco de contaminar sua família, em especial o filho recém-nascido, que tem problemas respiratórios.

O Campeonato Inglês está parado desde o dia 9 de março e ainda tem 92 partidas a serem disputadas até o encerramento da temporada.

A ideia da Premier League é ter a bola novamente rolando a partir do dia 19 de junho. Para isso, jogadores e integrantes das comissões técnicas dos 20 clubes participantes estão sendo submetidos a inúmeras rodadas de teste.

A última coleta, realizada nesta semana, testou 1.008 pessoas e registrou quatro casos positivos para a Covid-19, de três times diferentes. Os nomes dos infectados não foram divulgados.

Segundo informações da OMS (Organização Mundial da Saúde), a pandemia do novo coronavírus já infectou quase 5,5 milhões de pessoas em todo o planeta e provocou pelo menos 349 mil mortes.

O Reino Unido, onde fica a Inglaterra, é um dos países mais afetados, com 265 mil casos positivos da doença e 37 mil óbitos.

Rafael Reis