PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Rafael Reis


Nada de Neymar: o verdadeiro melhor do mundo nesta temporada é Lewandowski

Lewandowski é o grande nome do futebol mundial nesta atípica temporada - Christian Charisius / AFP
Lewandowski é o grande nome do futebol mundial nesta atípica temporada Imagem: Christian Charisius / AFP
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

26/05/2020 04h20

Classificação e Jogos

A Fifa já anunciou que não entregará neste ano seu tradicional prêmio de melhor jogador do mundo devido à bagunça provocada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no calendário do futebol internacional.

Mas, caso a eleição fosse realizada neste ano, o favorito para vencê-la provavelmente não seria Neymar, ao contrário do que muitos torcedores e analistas têm dito nas redes sociais nos últimos meses.

Isso porque, no momento, não dá para encontrar um candidato maior a suceder Lionel Messi como número um do planeta que Robert Lewandowski.

O camisa 9 do Bayern de Munique, que enfrenta hoje (26) o Borussia Dortmund, pela 28ª rodada do Campeonato Alemão, no jogo mais aguardado desde a retomada pós-pandemia do futebol europeu, faz uma temporada que beira a perfeição.

Autor de 41 gols em 35 partidas em 2019/2020, o polonês é o artilheiro da Bundesliga (27 tentos) e da Liga dos Campeões da Europa (11 bolas nas redes). Além disso, lidera a Chuteira de Ouro, prêmio conhecido ao goleador máximo das ligas nacionais do Velho Continente.

Lewa também é jogador mais importante da equipe mais consistente da temporada. O Bayern lidera o Alemão, é o único clube que ainda mantém 100% de aproveitamento na Champions e não perde uma partida desde dezembro - já são 17 jogos (16 vitórias e um empate) de invencibilidade.

O polonês não é tão mágico quanto Messi, Neymar ou mesmo Kylian Mbappé e raramente produz jogadas capazes de deixar os torcedores boquiabertos. Mas é extremamente eficiente na arte de resolver partidas.

O camisa 9 do Bayern só não balançou as redes em sete das 35 partidas que disputou nesta temporada. Na Champions, ele fez gol em todos os jogos em que foi escalado. Já no Alemão, chegou a emendar 11 rodadas consecutivas deixando sua marca nas redes adversárias.

Aos 31 anos, o centroavante vive o auge da carreira. Com média de 1,17 gol por partida, está superando com folga seu recorde anterior (0,91, estabelecido na temporada 2016/2017).

Além disso, em uma temporada em que Messi e Cristiano Ronaldo não têm conseguido repetir suas melhores atuações e em que Neymar tem passado muito tempo no departamento médico (só jogou 22 vezes), é um raro caso de astro que prima pela consistência.

Ainda faltam os títulos, é verdade, para que Lewa consiga transformar o favoritismo em prêmios de melhor do mundo (ao contrário da Fifa, a "France Football" não falou nada sobre cancelar a Bola de Ouro). Mas ele e seu time estão no caminho certo.

Bayern e Dortmund se enfrentam a partir das 13h30 (de Brasília), no Signal Iduna Park, casa da equipe aurinegra. A partida será transmitida pelo Fox Sports, que pode ser acessado via UOL Esporte Clube.

Apesar de ter cara de "final antecipada" da Bundesliga, o clássico não coloca em jogo a liderança da competição. A diferença da equipe de Munique, que busca o oitavo título alemão consecutivo, para o vice-líder é de quatro pontos (61 a 57). O RB Leipzig aparece no logo na sequência, com 54.

Rafael Reis