PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Vencedor da seletiva olímpica nos 100m livre cai no antidoping e é suspenso

André Calvelo - Satiro Sodré/SSPres/CBDA
André Calvelo Imagem: Satiro Sodré/SSPres/CBDA
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

23/04/2021 18h42

Menos de um dia depois de vencer a seletiva olímpica brasileira da natação nos 100m livre, prova mais aguardada e disputada da competição, André Calvelo, de apenas 20 anos, foi suspenso provisoriamente pela Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) depois de um resultado analítico adverso para substância proibida — não foi informada qual. Com isso o resultado dele é anulado e ele está, por enquanto, fora dos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Em nota no começo da noite, a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) revelou que, em comunicado, a ABCD informou que o teste foi feito fora do período de competição, no dia 18 de março. "Como o comunicado foi enviado à CBDA nesta sexta-feira, às 15h33, todos os resultados do nadador na seletiva olímpica estarão suspensos provisoriamente até decisão em contrário. Vale ressaltar que o processo corre em sigilo e informações complementares são responsabilidade da agência reguladora", informou a CBDA.

O Olhar Olímpico apurou que esse atleta é André Calvelo, que fez os melhores resultados da seletiva, nadando forte tanto nas eliminatórias (48s09) quanto na final (48s15) e assumindo o sexto lugar no ranking histórico dos 100m livre no Brasil. Ele é irmão de Wagner Leonardo, jogador do Santos, atualmente emprestado ao Náutico.

Com a suspensão de Calvelo, curiosamente quem é beneficiado é um atleta que recentemente também foi suspenso por doping e acabou beneficiando Calvelo. Gabriel Santos, do Pinheiros, ficou fora do Mundial de 2019 e abriu vaga para o jovem nadador da Unisanta. No fim, Gabriel foi inocentado na Corte Arbitral do Esporte (CAS) porque ficou comprovado que houve contaminação.

Siga o Olhar Olímpico no Twitter e no Instagram e receba atualizações diárias no canal do Telegram.

Agora é Calvelo quem é suspenso provisoriamente e beneficia Gabriel, que chegou a ser tetracampeão brasileiro e ficou em nono lugar nas eliminatórias da seletiva, ontem de manhã. Com a suspensão de Calvelo, Gabriel passa à final e terá direito fazer uma tomada de tempo, em data ainda a ser definida. Se ele nadar abaixo do índice olímpico, 48s57, vai à Olimpíada nos 100m. Se nadar abaixo de 48s87, entra no revezamento 4x100m livre. Se não, a vaga fica com Felipe Ribeiro Souza, quinto na final de ontem.

O Olhar Olímpico procurou a assessoria de imprensa da Unisanta e também a assessoria de imprensa de Calvelo, mas não obteve resposta até a publicação deste texto. Quando houver resposta, o texto será atualizado.

Na etapa de hoje da seletiva, Larissa Oliveira ficou a um centésimo do índice nos 100m livre e dois nadadores alcançaram a marca mínima nos 200m medley: Caio Pumputis e Vinicius Lanza. Guilherme Costa, que já ia a Tóquio para nadar os 400m e os 800m, também se classificou nos 1.500m.