PUBLICIDADE
Topo

Santos

Família esportista de Santos tem nadador com meta olímpica e aposta de Cuca

Os irmãos André Calvelo (esq.), nadador, e Wagner Leonardo (dir.), zagueiro do Santos  - Reprodução
Os irmãos André Calvelo (esq.), nadador, e Wagner Leonardo (dir.), zagueiro do Santos Imagem: Reprodução

Eder Traskini

Do UOL, em Santos (SP)

17/12/2020 12h00

A aptidão para o esporte não é hereditária. São vários os exemplos de filhos de jogadores que fracassam no futebol. No entanto, a família Calvelo de Souza parece ser uma exceção: os quatro filhos do seu Wagner de Souza seguiram os passos do pai, ex-jogador de futsal, e se aventuraram, com certo sucesso, em diversas modalidades. Entre eles estão Wagner Leonardo, zagueiro do Santos, e André Calvelo, destaque da natação nacional.

Os tempos de Calvelo o credenciam, inclusive, para disputar com chances reais a seletiva que vale vaga na Olimpíada de Tóquio-2021. A decisão está marcada para o Troféu Maria Lenk, em abril do próximo ano, no Rio de Janeiro.

O nadador de 20 anos tem como prova mais forte aquela que é considerada a mais nobre da natação: os 100m livre. Além de sonhar com medalha, Calvelo também projeta levar alguém bastante conhecido para o Japão: o irmão que é uma das revelações do Santos na temporada.

"[Sonho com] Final olímpica e a tão sonhada medalha olímpica. Mas, hoje, esse pensamento [Olimpíadas em família] fica cada vez mais forte. Se Deus assim permitir, seria uma honra estar com meu irmão realizando esse sonho defendendo nosso país no maior evento esportivo do mundo", disse Calvelo ao UOL Esporte.

André Calvelo - Satiro Sodré/CBDA - Satiro Sodré/CBDA
Nadador André Calvelo representou o Brasil na Olimpíada da Juventude em 2018
Imagem: Satiro Sodré/CBDA

Wagner começou a se firmar no profissional do Santos e demonstrou versatilidade para atual como zagueiro ou lateral esquerdo. O jovem de 21 anos pode ganhar ainda mais sequência diante das possíveis saídas de Lucas Veríssimo e Luan Peres, que formam a dupla titular: Veríssimo tem propostas da Europa, enquanto Luan tem contrato de empréstimo só até o fim do ano.

"Quando começamos a nos firmar nos nossos esportes começamos a sonhar com a Olimpíada, sim, e estamos trabalhando muito forte para tentar alcançar. Seria um sonho realizado poder disputar uma com ele. Quando éramos mais novos e quando iniciamos, a gente nunca imaginou viver tudo isso", contou Wagner Leonardo à reportagem.

Em entrevista coletiva recente, Cuca opinou sobre a posição de Wagner em campo e disse que o jogador é zagueiro em sua visão — mesmo atuando bem na lateral esquerda. A percepção do comandante pode facilitar a a disputa de Wagner por vaga no time num futuro breve.

Wagner Leonardo - Ivan Storti/Santos FC - Ivan Storti/Santos FC
Wagner Leonardo, avançando pela ala esquerda do Santos. Mas pode se fixar como beque
Imagem: Ivan Storti/Santos FC

"Se eu errar, o erro seria só meu"

Calvelo chegou a jogar com Wagner no Santos, mas desistiu do futebol para se dedicar às piscinas. O nadador da Unisanta revela que a decisão foi motivada na vontade de praticar um esporte individual.

"Sim, foi um processo muito bom, não fiquei triste, pois eu queria ganhar e não depender de um erro de um amigo pra perder. Se eu errar, o erro seria só meu. Eu voltava na próxima competição e queria resultados melhores. Comecei a me encaixar cada vez mais na natação", explicou.

Em 2017, Calvelo se destacou nos jogos escolares da juventude e levou o prêmio de melhor atleta escolar do ano. De lá pra cá, ele tem demonstrando evolução. Foi vice-campeão dos Jogos Olímpicos da juventude na Argentina no revezamento 4x100m.

Já entre os adultos, participou do sexto lugar mundial do Brasil no revezamento 4x100m livre. Foi campeão e recordista sul-americano no 4x200m livre, campeão e recordista brasileiro nos 50m, 100m e 200m livre. Entre treinos, Calvelo ainda arruma tempo para gravar sobre temas diversos em seu canal no youtube, o "Calvelo Crazy".

Família ainda atacou no vôlei e ciclismo

Enquanto o pai foi jogador de futsal e atuou pelo Banespa, clube de São Paulo, os filhos se dividiram na hora de escolher os caminhos a seguir. Matheus jogou vôlei no Santos e foi campeão paulista. Pedro pedalava pela equipe Memorial e também conquistou o título estadual para a família.

Ao contrário de André Calvelo e Wagner Leonardo, os dois pararam com os esportes profissionalmente e transformaram as práticas apenas em hobby. Matheus se tornou empreendedor, enquanto Pedro se dedica ao bodybuilding.

Santos