PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

Ana Sátila ganha segundo ouro seguido na Copa do Mundo de Canoagem

Ana Sátila, da canoagem slalom - Divulgação
Ana Sátila, da canoagem slalom Imagem: Divulgação
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

08/11/2020 14h16

A brasileira Ana Sátila está aproveitando bem a retomada das competições de canoagem slalom na Europa. Hoje (8), em Pau, na França, ela venceu a prova de C1 na Copa do Mundo, repetindo o ouro conquistado na etapa passada, de abertura da temporada, na Eslovênia. Por conta do coronavírus, a Copa só terá essas duas paradas.

Ana Sátila, que fará em Tóquio, no ano que vem, sua terceira participação olímpica, já foi campeão mundial em 2018, no Rio, mas nunca havia ganhado uma etapa de Copa do Mundo. Neste início de temporada, sem a presença de algumas de suas principais rivais, ela está indo à forra.

Na França, por pouco o Brasil não ganhou mais medalhas. A própria Ana Sátila foi quarta colocada no K1 — o "C" é de canoa, e o "K" de caiaque ——, mesmo resultado de Mathieu Desnos na versão masculina. Nascido e criado na França, Desnos é namorado de Ana Sátila e, por ela, se mudou para o Brasil. Ele representa a bandeira brasileira na Copa do Mundo, mas não tem autorização para os Jogos Olímpicos.

Bom resultado no triatlo

Em Valência, na Espanha, Luísa Baptista conquistou mais um bom resultado na Copa do Mundo de Triatlo. A brasileira de 26 anos, no melhor momento da carreira, foi quarta colocada na etapa, disputada no formato sprint, com 750 metros de natação, 20 quilômetros de ciclismo e cinco de corrida — metade do tradicional.

Este foi o segundo bom resultado do Brasil na temporada da Copa do Mundo de Triatlo, que agora chega ao fim. Em setembro, na República Tcheca, Djenyfer Arnold conquistou um quinto lugar. Desta vez, em Valência, ela foi décima.