PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

Liga que organiza o NBB troca de presidente pela 4ª vez em dois anos

Lula Pereira, novo presidente da LNB - Fotojump/LNB
Lula Pereira, novo presidente da LNB Imagem: Fotojump/LNB
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

28/10/2020 16h22

A Liga Nacional de Basquete (LNB), organizadora do NBB, trocou de presidente pela quarta vez em menos de dois anos. O veterano Lula Ferreira assumiu o comando da entidade ontem (27), mas vai ficar menos de dois meses. É que já tem nova eleição marcada para dezembro — na LNB, os mandatos são de dois anos.

As mudanças começaram em 2018, quando João Fernando Rossi, hoje diretor de marketing do São Paulo, decidiu que não concorreria à reeleição, depois de um mandato à frente da entidade, e abriu espaço para a eleição de Kouros Monadjemi, que havia sido o primeiro presidente da liga, entre 2008 e 2012.

Kouros, porém, ficou só pouco mais de um ano no cargo nessa sua segunda passagem pela presidência da LNB. Em fevereiro, pediu afastamento para assumir a presidência do Conselho Deliberativo do Minas Tênis Clube. Deixou o cargo para seu vice na liga, o ex-jogador olímpico Nilo Guimarães.

Nilo é o idealizador do projeto de Mogi das Cruzes (SP), onde também atua como secretário municipal de Esporte. O problema é que, entre as exigências para uma entidade do terceiro setor receber recursos públicos federais, está que ela não tenha como gestor uma pessoa com cargo público. Para que a LNB pudesse apresentar projetos na Lei de Incentivo, Nilo pediu afastamento do cargo.

Assim, foi necessário que se elegesse um novo presidente para a liga, em reunião realizada ontem. O escolhido foi o ex-técnico Lula Ferreira, que vinha atuando como gestor do Sesi/Franca. "Essa obra toda que é a LNB foi construída por grandes presidentes: Kouros, Rossi, Cássio (Roque) e Nilo. Todas essas pessoas, junto com tantas outras, simbolizam todos os dirigentes que alavancaram uma instituição que não começou nem do zero, começou do subsolo, porque o basquete se encontrava abaixo de zero antes da criação da LNB. Chegamos muito longe, mas vamos trabalhar ainda mais para chegar na cobertura", disse.

Lula, porém, inicialmente fica no cargo apenas até dezembro, quando vai ocorrer a eleição ordinária da liga. Ainda não está claro se Lula será indicado para permanecer na presidência, agora eleito, ou se haverá outras candidaturas.