PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

Nadador Kaio Márcio anuncia aposentadoria após quatro Olimpíadas

Kaio Márcio - Divulgação
Kaio Márcio Imagem: Divulgação
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

29/09/2020 14h12

O adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio não apenas adiou os planos de Kaio Márcio Almeida disputar sua quinta Olimpíada na natação. O paraibano de 35 anos, que era o segundo mais velho nadador brasileiro em atividade, anunciou ontem pelas redes sociais, optou por encerrar a carreira. Agora, ele é um ex-atleta.

"É com muita alegria que hoje anúncio que estou deixando as piscinas e pendurando a minha sunga. A natação sempre foi um esporte que esteve presente na minha vida desde que me entendo por gente. Hoje foi um dos dias mais especiais na minha vida onde fiz meu último treino ao lado de vários amigos que me ajudaram muito esses últimos anos de carreira e me ensinaram muita coisa", postou ele no Instagram, ilustrando com uma foto na piscina do Minas Tênis Clube.

Kaio se despede como um dos nadadores mais importantes de sua geração no Brasil. Em 2005, antes de Cesar Cielo e Thiago Pereira, ele estabeleceu o recorde mundial dos 50m borboleta em piscina curta. Depois, em 2009, ele voltaria a bater um recorde mundial na piscina de 25 metros, desta vez nos 200m borboleta.

Depois de estrear nos Jogos Olímpicos de Atenas, 2004, ele teve o melhor resultado da carreira em Pequim, em 2008, quando foi finalista olímpico dos 200m borboleta - terminou em sétimo. Ainda nadou os 100m e os 200m borboleta em Londres e a prova mais longa no Rio, chegando à semifinal.

Onda de aposentadorias

Antes de Kaio Márcio, outros dois atletas olímpicos da natação brasileira já haviam anunciado aposentadoria este mês. João de Lucca, 30, se tornou pai recentemente e, apesar de ter chances reais de entrar tanto no revezamento 4x100m livre quanto no 4x200m livre em Tóquio, nem que fosse como reserva, optou por parar aos 30 anos.

Ele, que estava em sua terceira passagem pela equipe de natação do Flamengo, assumiu o cargo de treinador de uma equipe da cidade de Louisville, nos Estados Unidos, onde ele cursou universidade e chegou a ser tricampeão da NCAA. Como nadador, João de Lucca esteve em Londres e no Rio.

O outro anúncio de aposentadoria este mês foi de Manuela Lyrio, 31, dona de nove medalhas dos Jogos Pan-Americanos. Semifinalista da Rio-2016 nos 200m livre, ela se despediu das piscinas como recordista brasileira e sul-americana desta prova: 1min57s28.

Existe expectativa que, até o final do ano, outros nadadores também anunciem aposentadoria. Hoje o mais velho em atividade é Nicholas Santos, de 40 anos, que tem se dedicado, com sucesso à prova de 50m borboleta, que não é olímpica. No ano passado, ele foi bronze no Mundial.

Além dele, estão na lista de veteranos Felipe Lima (35), João Luiz Gomes Junior (34), Felipe França (33) e Guilherme Guido (33), todos com boas chances de irem a Tóquio. Também aos 33 anos, Cesar Cielo continua treinando em Itajaí (SC), mas ele não participa de competições oficiais desde abril de 2018.

+ Acompanhe o que mais importante acontece no esporte olímpico pelos perfis do Olhar Olímpico no Twitter e no Instagram. Segue lá! +